Follow by Email

terça-feira, 7 de junho de 2011

O AMOR PRÓPRIO

"O amor próprio é mais arrogante que cego; não nos oculta os nossos defeitos, mas nos convence que eles escapam aos olhos dos demais." (Samuel Johnson)

É arrogante porque se impõe diante de tudo, é mais que cego, porque essa cegueira é conhecida pela pessoa, que se conhece e tenta ocultar fronte os demais.

O amor próprio faz a pessoa agir sem consciência e achar que as pessoas não enxergam nossos defeitos. É bastante perigoso, pois, ele pode nos convencer com seu grande ego de persuasão.

Ele adula o homem ao ponto de torná-lo narcisista, com grande astúcia ele vai dominando o ser, corrompendo a sua alma e o escravizando.

O homem passa a ser um ser errante, mas ao mesmo tempo pensa que está correto, se sua consciência lhe avisa, ele a ignora, se faz um mal ele acha que dali tirou um grande proveito, sua alma vive em decadência profunda.

O homem deve ter o cuidado com suas emoções, deve agir consciente, evitando o erro frequente, buscando a bondade e não deixando que o amor próprio o controle.