Follow by Email

quinta-feira, 30 de junho de 2011

UM PARADOXO DO TEMPO MODERNO

"Ora, se examinarmos a situação atual, haveremos de convir que ela nos apresenta um profundo paradoxo. De um lado, vemos que o tema da definição e da garantia dos chamados "direitos humanos" tornou-se um tema de alta relevância política nas Declarações solenes, no Direito constitucional e no diálogo entre nações. De outro, a crise das concepções do homem na trilha do espaço de questionamento aberto pelo advento das ciências humanas e pelo predomínio da ideologia individualista torna difícil para nossa sociedade, altamente politizada no sentido organizacional e técnico (sem falar no ideológico), o reconhecer-se num motivo antropológico fundamental ou referir-se a uma imagem coerente do homem." (José Soder)

O homem toma uma postura organizacional que acompanha a formação do estado moderno, seu pensamento ético e político apresenta um profundo paradoxo entre os direitos individuais e coletivos.

Há uma movimentação social que tenta efetivar o direito das maiorias, mas ao mesmo tempo, também existem os movimentos políticos que protegem direitos individuais, para privilegiar as minorias.

É um paradoxo que acompanha a história da antropologia humana, a imagem do homem é fragmentada culturalmente, devido à diversidade de ideologias e a liberdade de segui-las, tornando abstratos alguns direitos que obrigatoriamente deveriam ser concretos.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

UM POR TODOS E UM CONTRA TODOS

"O problema fundamental da sociedade política é formulado como um problema de cooptação de partes elementares - a partir do átomo social que é o indivíduo - e de composição de forças - a partir da força social elementar que é o egoísmo individual." (Eric Weil)

Os homens elegem seus representantes, que defenderão seus interesses políticos, mas uma só pessoa fala por muitos, ou pelo menos, deveria falar, mas nem sempre cumpre com seus deveres e obrigações.

Muitos deles, antes populistas, tornam-se individualistas quando chegam ao poder, suas necessidades passam a ser o primeiro patamar a ser alcançado, depois vêm os interesses coletivos. Esse é um sentimento individual e egoísta, que transformam o ser humano, se achando importante e relativizando as outras pessoas como se fossem meros objetos que lhe auxiliaram a chegar ao poder.

Depois a situação agrava-se, além de se satisfazer pessoalmente, ele quer mais, e para obter ele precisa ferir os demais interesses, então tenta legitimar suas condutas, sua forma de exercer a política e escapar ileso no final das contas. Um pensamento político social transforma-se em satisfação pessoal, isso gera grandes problemas sociais, fere os movimentos políticos e suprime a vontade das massas populares.

E vai formando-se uma tirania, um poder que alimenta sua solidão, pensamentos profundos e enaltecedores, mas ao mesmo tempo apagadores das memórias sociais.

terça-feira, 28 de junho de 2011

O MUNDO MODERNO E O HOMEM






                                                               Georges Gusdorf

"O movimento de transformação do qual emergiu o mundo moderno caracteriza-se igualmente pelo advento de uma nova concepção do homem elaborada segundo as categorias da filosofia racionalista e de sua derivação empirista, e que fornecerá os traços para a nova imagem do indivíduo delineada nas novas teorias morais e políticas." (Georges Gusdorf)

A imagem humana vai sendo transformada pela sociedade, que alteram os conceitos, as condutas, as leis, os direitos e deveres, tudo isso acompanha o desenvolvimento.

O mundo antigo priorizava o homem pensador, moral e político, a razão estava ligada a imagem humana.

O mundo moderno prefere o homem que domina a natureza, possui técnica, acumula riquezas, o homem capitalista que enobrece a sociedade, e a faz desenvolver com valores não só morais, mas principalmente os valores pecuniários, com grande atuação política.

O mundo pós-moderno desencadeou o homem global, integrado ao mundo, com uma imagem sociopolítica, que sabe jogar de acordo com os interesses dominantes, que possui riquezas e sabe pensar. Que se utiliza da diplomacia para conseguir seus objetivos, que luta para dominar e explorar a natureza, mesmo que seja necessário esquecer as leis, os direitos, a ética, os valores morais e até mesmo a vida.

O mundo vai determinado imagens humanas, criando fantoches, um jogo de interesses que inclui aqueles que jogam de forma política e diplomática, mas ao mesmo tempo excluem os racionalistas e que buscam o respeito a vida, aos direitos humanos e ao meio ambiente.

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A FAMÍLIA SE ALTERA COM AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS

"O enfraquecimento e a dissolução das últimas comunidades éticas a sobreviver às grandes transformações das sociedades modernas, e que aparentemente pareciam essenciais à própria constituição da sociedade humana, como a família, apresentam-se, talvez, como o efeito mais visível do processo de integração das mais diversas formas de sociedade no âmbito ou no espírito (ou na ideologia) da civilização universal moderna. (Paulo Meneses)

O homem encontrava na família uma base para sua formação e vida em sociedade, desde criança era preparado para enfrentar o mundo, sabia compreendê-lo antes mesmo de conhecê-lo.

Mas a sociedade mudou o conceito de família também mudou, hoje é muito mais amplo, e perdeu uma de suas características, pois, nem sempre a família exerce seu papel de base para preparação da pessoa, com isso, o indivíduo busca outras formas de aprendizado.

A família ainda é uma base de formação, nem sempre exercendo essa função, e na falta disso, ocorre uma substituição dos desejos e do sentimentalismo individual, que substitui os pensamentos e ideologias de comunidade ética. O pessoal prevalece sobre o universal, trazendo sérios problemas à sociedade.

Esse é mais um drama pós-modernos, famílias dissolvidas, pensamento individualista, perda e desvalorização dos princípios éticos, a comunidade dá lugar ao egoísmo e os olhos se fecham para realidade.


domingo, 26 de junho de 2011

A IMPORTÂNCIA DA RAZÃO NA HISTÓRIA HUMANA



                                                         Adriaan Theodoor Peperzak

"Sem a presença da Razão como enteléqueia ou alma de seu vir-a-ser, o desenrolar empírico da história mergulharia no puro aleatório ou no absurdo." (Adriaan Theodoor Peperzak)

A história humana é empiricamente explicada pela razão, ou seja, o conhecimento do passado, o que foi sendo compreendido com fatos ocorridos no passado.

A razão não é formada apenas por um pensamento unilateral, mas por uma conscientização a partir de pensadores que observaram o ciclo de vida humano e suas relações. Construindo um pensamento de forma objetiva, para evitar suposições aleatórias e absurdas.

Desenvolvendo conceitos a partir da filosofia do espírito objetivo, que analisa a prática do agir humano e as consequencias desse agir na sociedade, podendo assim, obter estatísticas objetivas para fundamentar o empirismo que dá origem aos conceitos.

Esse pensar, explica materialmente o abstrato e o imaterial, com objetividade para que possa ser aceito, formando as teorias majoritárias.

sábado, 25 de junho de 2011

O HOMEM PODE AGIR PARA O BEM DE TODOS

"Age de tal sorte como se a máxima de tua ação devesse torna-se, por tua vontade, lei universal da Natureza." (Immanuel Kant)

A iniciativa individual de atingir um bem para a humanidade é de suma importância, fazer sua parte e não esperar que o outro primeiro faça para depois ele começar a fazer.

Se ele preserva o meio ambiente, a natureza ganha e todos são beneficiados, ele dá um exemplo, mostra que uma voz clama pelo bem, pela vida, por algo que todas as gerações humanas necessitam ter a oportunidade de conviver com a natureza.

Essa vontade individual, mas de cunho coletivos, será seguida por outros, e se tornará no futuro uma lei universal humana, beneficiando a natureza, que em contrapartida também beneficia a humanidade que dela necessita para viver.

Uma vida artificial é uma vida sem sabor, sem belezas e sentimentos, faltam as cores, o encantamento, o mistério natural. Tudo artificial não passa de fetiche, é interessante, mas todos sabem que isso ali não corresponde à realidade.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

A CONSCIÊNCIA CÍVICA





                                               Padre Henrique Cláudio de Lima Vaz

"A consciência cívica desperta quando as leis são entendidas como, ao mesmo tempo, próprias de todos, isto é, a elas adere autonomamente o indivíduo, transformando-a de pública, universal, em privada, a reger-lhe a conduta no caso concreto." (Padre Henrique Cláudio de Lima Vaz)

A consciência cívica inicia sua formação quando se consolida uma consciência moral em uma sociedade, depois, passando a ser positivado pelo direito esse senso comum, ou seja, a institucionalização dos conceitos sociais, que foram surgindo desde a sociedade primitiva.

A unidade e a identidade social estabelecem os valores e as normas de conduta individuais, o direito será a coerção, ou seja, a maneira de ajustar a conduta de indivíduos que transgridam o bem-estar e a harmonia social, gerando conflitos.

Quando o agir humano é aceito de forma universal, passa a ser uma conduta humana ética, as leis humanas, quando aceitas de forma universal, também ganham um caráter ético, são leis para todos e todos devem obedecê-la, pois também é comum a toda sociedade.

Enquanto está no senso comum, a lei é pública, e quem decide se aprova ou reprova a conduta humana é a sociedade. Após essa norma social passar a ser norma jurídica, ela passa a ser privada. O Estado é quem vai avaliar o caso concreto e aplicará ou não uma sanção, ou seja, de caráter punitivo e/ou educativo.

Um direito universal é um direito aceito por todos, são os direitos humanos individuais e coletivos. E todo ser humano é digno desses direitos, e esses direitos devem ser respeitados.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O BELO, O BOM, O BEM

"O belo, o bom, o bem não estão mais no conhecimento, no saber, já que os desígnios de Deus são inescrutáveis, mas sim no querer crer." (Hannah Arendt)

A fé purifica as vontades, transformam atitudes, desejos, esperanças, a fé é uma das fontes da ética.

Temos fé no que é bom, e Deus é a fonte da beleza, da bondade e do bem.

Homens agem com natureza humana, Deus é divino e somente através dele algo também pode ser tornar divino, o crescimento da fé é a resposta de Deus as atitudes humanas, mas que deixam de ser vontades pessoais e passam a ser vontades purificadas, para a glória de Deus e não do homem.

O saber, o intelectualismo, o grande conhecimento e a experiência, não dão o conhecimento do mundo por mais elevados que o sejam. Mas se buscamos Deus ele nos dá conhecimento e começamos a entender o homem e o mundo.

Nosso 'Superior' começa a se revelar, com o crer e querer buscar aproximar-se de Deus por meio da fé, estará o amando e o aceitando. Ele é o todo-atrativo, a fonte do amor, vai iluminar a nossa vida, ficará cheio de alegria com a nossa felicidade e nos dará muito mais alegrias.

terça-feira, 21 de junho de 2011

A FICÇÃO DA ISONOMIA

"Consiste em pesos e medidas diferentes na aplicação da lei, o que também depende diretamente da situação individual e até social." (João Maurício Adeodato)

A lei deveria ser igual para todos, seguir o princípio da isonomia, que existe, mas de forma fictícia, já que, na aplicação da lei muitas vezes os olhos se fecham e esse princípio deixa de ser aplicado.

Por isso a população critica a Justiça, diz que ela escolhe seu público, concede privilégios a uns, esquece de outros, sabe quem deve ser condenado e absolvido, causando uma segregação social.

Mas isso ocorre devido aos aplicadores do direito estabelecerem pesos e medidas no momento de aplicar a lei, cada um com seu sistema de avaliação, muitas vezes em casos semelhantes saem decisões diferentes, o que não deveria ocorrer.

No momento de criação, a lei é una, é igual para todos, mas essa é a teoria, mas na prática ocorrem todas as divergências possíveis e impossíveis. E nesses momentos surgem as desconfianças, os questionamentos e as frustrações ao invés de ver ser realizada a verdadeira Justiça.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

ANTIÉTICOS NO PODER

"Penso que vem a calhar ocupar-se de ética em um ambiente tal como o Brasil de hoje, no qual as pessoas decentes parecem ter-se afastado da política, exatamente a parte da ética a que Aristóteles dava mais importância." (João Maurício Adeodato)

O quadro político brasileiro mostra que as pessoas querem entrar no poder para obterem benefícios e por interesses pessoais, não pensam na coletividade.

O jogo de interesses reina, tudo já esquematizado, campanhas financiadas e privilégios posteriores, quem financia quer ser escolhido, quer o dinheiro de volta com juros e correção monetária. Nessas horas, os que agem por meios legais ficam de fora, pois a escolha foi prévia, antes da entrada no poder.

Por onde anda a ética na política? As promessas que são feitas ao povo que vota na esperança de ver um governo de todos e para todos, não um de poucos e para poucos.

Essa triste realidade faz com que pessoas se afastem da política, é um desestímulo, não adiantando o querer fazer, pois, quando chegam lá, correrem um sério risco de nada poder fazer, por não entrar em toda uma organização antiética. Para conseguir ter de ceder, de mudar a ideologia. Uma tortura psicológica a quem defende a ética e quer uma realidade política diferente.

A história política do Brasil é marcada por grandes acontecimentos, vergonhosos aos olhos do povo, povo este que muitas vezes não sabe o valor de um voto, que acaba trocando ele por benefícios, e daí começa o trabalho dessas pessoas, com falsas promessas e doações em troca de voto chegam ao poder.

domingo, 19 de junho de 2011

A MISERICÓRDIA DE DEUS

"Mesmo que você tenha cometido erros no passado, com sérias consequências, não há argumento suficiente para se auto-condenar ao fogo eterno. Pelo contrário, sempre se encontra uma bela oportunidade para superá-los e procurar melhorar sua forma de viver." (Luiz Manzione)

O homem vive na terra, mas não sabe o seu futuro, muitas vezes ele se desconhece, não sabe o que faz aqui e nem para onde vai.

Se ele começa a analisar sua vida, e diante da existência de erros, não significa que ele pode se auto-condenar, pois não é ele quem decide, mas é alguém muito superior e cheio de bondade.

Nosso Senhor não quer nos condenar, ele quer que estejamos servindo a ele, ele nos ama e é muito misericordioso. Homem algum é capaz de estimar tanta bondade, amor e misericórdia, é demais para os limites do conhecimento e do pensamento humano.

Faz parte do transcendente, só ele sabe, e nos revela, e nos atrai a ele, faz de tudo para nos ajudar, nos dá muitas oportunidades durante a vida terrena, chances que podem mudar completamente o homem, e basta que aceite e a partir daquele momento renove sua vida, seja um novo homem, com uma alma de amor e consciência.

Não julguemos o próximo, pois o nosso julgamento é humano, e após o encerramento da vida, as atitudes das almas prevalecerão, que deverão ser de amor devoção ao nosso Deus.

sábado, 18 de junho de 2011

A CONSCIÊNCIA MORAL

"O conhecimento de nossa própria consciência moral é ainda, sem dúvida, imperfeito e, provavelmente, continuará a desenvolver-se e a tornar-se mais requintado à medida que a humanidade existe." (Jacques Maritain)

A consciência moral do homem é mutável com o tempo, há maneira que a sociedade evolui, os preceitos morais também se alteram, sendo imperfeitos e flexíveis, são capazes de sumirem ou serem superados.

A consciência moral é formada por um senso comum, um conjunto de pensamentos e de acordos com os costumes do povo.

A moral é livre, não é obrigatória, e o indivíduo a aceita os não, caso a descumpra não será punido por uma lei, mas será reprovado pelo senso comum da sociedade. Se hoje algo é preceito moral amanhã pode não ser, costumes usuais vão sendo deixados de lado e os novos vão sendo abraçados.

Os valores morais podem ser divergentes nas sociedades, eles são humanos, com perspectivas diferentes, se algo é moral para mim, pode ser imoral para o outro. Dessa maneira, regras vão sendo criadas, vão sendo obedecidas por uns e desobedecidas por outros. O valor moral efetiva-se com a aceitação humana, que passa a aplicar em sua vida tal valor.

É uma questão de consciência individual, pode até se tornar uma lei com sua reiterada prática e aceitação na sociedade, passando a ser uma norma jurídica legítima a ser cumprida, sob a pena de sofrer uma punição pelo descumprimento, mesmo assim, se a sociedade deixa de aceitar a norma, ela perde sua eficácia, podendo cair em desuso, uma letra morta da lei ou ser revogada deixando de existir.

Enquanto existir a humanidade, os valores morais serão criados, desenvolvidos, extintos, renovados, eles viverão em plena mutação, uma imperfeição constante que passa por períodos de estabilidade e instabilidade, aceitações e reprovações, conservadorismo e modernidade.

sexta-feira, 17 de junho de 2011

LEIS PARA OS MAIS FRACOS

"Não podemos deixar que o mundo se transforme num mercado global, sem outra lei que a do mais forte" (Mitterrand)

A globalização e o capitalismo avançam ferozmente, impondo suas vontades, seu poder econômico, dinheiro e mais dinheiro, poder e mais poder essa é a regra que eles pregam.

Fazem pressão para que sejam criadas leis favoráveis a eles, um lobby que se consolida com troca de favores, uma mão lava a outra, mas isso restrito a poucas mãos.

E onde fica a maior parte da população? Os que estão em condições econômicas desiguais? O poder do capital não pode restringir a dignidade deles, nem reduzir seus direitos que ao longo dos anos vai sendo legalizado de forma abrangente, pois são direitos humanos.

O capitalismo global traz a desigualdade social, monopoliza a renda entre poucos, e o fluxo do capital pode aquecer e destruir uma economia, é um capital volante que tem como destino gerar riqueza doa a quem doer e aconteça o que acontecer, o importante é satisfazer os capitalistas.

É nesse instante que o social deve aparecer, mostrando a grandiosidade da população marginalizada e que espera por leis igualitárias, impedindo que exista a lei do mais forte, mas que haja a lei do mais fraco para que ele fique em pé de igualdade com o mais forte nas relações.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

A ÉTICA E O MUNDO

"Quiseram construir um mundo sem ética. E a ilusão se transformou em desespero." (André Franco Montoro)

Falta-se bondade e justiça no mundo, as facilidades que pareciam interessantes eram meramente ilusórias, apesar de conquistas muitos, ficando a ética esquecida. As atitudes antiéticas tornaram-se dominantes, chegando a prevalecerem nas relações, diante de todo esse contexto inicia-se o desespero, chega-se a um caos, falta a justiça e a confiança, daí começa-se uma nova era para volta dos princípios éticos e morais e reduzir esse desespero humano.

A terra estava sem lei, o mundo antiético começa a desmoronar, e antes que chegue ao fim do mundo, lembram-se da ética, para reafirmar os alicerces, todos os pilares novamente serão construídos, é a única forma de começar a redenção.

Iniciada a conscientização, surgem às leis garantindo o respeito e a dignidade, a forma de aplicação das leis é alterada, a norma não está mais vazia, nua e crua, são observados os valores para que se chegue à justiça, e a sociedade desacreditada volte a crer.

Em um mundo globalizado e pós-moderno, a crise reina, o caos social existe, quebram-se os velhos paradigmas, as opiniões caem por terra, uma metamorfose ambulante surge regenerando os pensamentos. Aparecem novos paradigmas, com base não somente nos costumes e nos preceitos morais, esses novos são éticos e universais para o homem, a humanidade e o meio ambiente.

Busca-se o bem-estar social, a harmonia entre os homens, a preservação ambiental, o respeito, a dignidade, a liberdade, a igualdade e a fraternidade. Uma longa jornada de superação, transformar um mundo velho em um mundo novo, fazendo toda uma renovação. Não  mais ilusória, mas realista, ao invés do desespero chega a esperança, a união volta a ser importante e a ética deve imperar.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ERROS E ACERTOS

"A ciência pode apenas determinar o que é, não o que deve ser." (Albert Einstein)

Um dos maiores expoentes da ciência reconhecia que ela possuía erros e acertos. Quando algo é comprovado, explicado e por mais que questionado chegue a ter uma certeza da sua exatidão, a ciência determina que "é".

Mas, muitas vezes surgem as proposições do deve ser, nestes momentos, ela inventa uma resposta para o inexplicável, aquilo que ela desconhece, não alcança, sabe até que existe, mas não sabe cientificamente comprovar.

Nem tudo pode ser explicado cientificamente, o transcendente não se explica materialmente, é questão de "crer ou não crer", mas, muitos dos cientistas não aceitam, eles querem "que seja e não seja ou deva ser".

Muitas ilusões são criadas, promessas perdidas e expectativas frustradas, são as quedas da ciência, fatos e fenômenos que ultrapassam a razão de ser, que são e não devem ser, e que existem, mas sua essência é desconhecida.

A ciência inegavelmente tem sua importância na vida do homem, tem sua razão de existir, ela também é fundamental para a vida, mas não ao ponto de tudo poder, de tudo ser e de tudo poder determinar. Pois ela tem seus limites, onde a razão deixa de existir, esse é o campo do "é" e não o do que "pode ser" ou "deve ser", e para poder entender é necessário acreditar e ter fé.

terça-feira, 14 de junho de 2011

A LEI UNIVERSAL

"Há uma lei verdadeira, conforme a natureza e o homem não a pode violar sem negar a si e à sua natureza, e receber o maior castigo." (Cícero)

O homem deve obedecer ao seu "Superior", essa é a lei verdadeira, a lei da obediência, a servidão e o amor ao "Ser Supremo", que é fonte de toda beleza, energia, amor, o todo atrativo.

Para seguir essa devoção, ele tem de negar a sua natureza humana, que lhe aprisiona na materialidade, e buscar o transcendente, amar seu eterno "Creador", realizar sua vontade, fazendo esse serviço com amor e consciência.

As leis humanas regulam a sociedade, o modo de vida terrena, com a finalidade de manter a harmonia e o bem-estar social. Com elas é possível viver em coletividade e evitando conflitos, pois existem direitos e deveres, individuais e coletivos, impondo limites para que ninguém se ache no direito de ser melhor do que o outro. São leis que estabelecem a igualdade, a dignidade, a liberdade e a fraternidade.

A natureza também exerce seu papel, ela tem sua lei natura, por si só é equilibrada, mas vem o homem interferir e causa um desequilíbrio no meio ambiente, cada ação provocada produz inúmeras reações. E a natureza não aceita tal destruição, ela é viva e é vida, o homem deve conviver com ela e não matá-la. As reações da natureza são tão grandes que nem o homem e nem a tecnologia mais avançada são capazes de controlá-la. Sendo assim, terão de sofrer as consequências de todos os males causados.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

SABER DISCORDAR

"Um cavalheiro é um homem que pode discordar, sem se tornar desagradável." (Charles Dickens)

O homem que sabe discordar sem ser desagradável, respeita o direito de pensar do outro. Às vezes existem pontos de vista diferentes, que tornam uma análise relativa, com isso duas opiniões acham-se corretas, pois ao mesmo tempo estão opostas e com visões diferenciadas.

Nem sempre o achar é o correto, e o correto pode na verdade ser o errado. Após o confronto de idéias, analisam-se os pontos de vista e o objeto, a partir daí serão descobertos os erros e acertos, e como foi feita a observação que resultou no ponto de vista. Daí serão tiradas as verdades e por fim descobrirá o que é certo e se alguém acertou.

Se eu erro e não desagradei o outro, quando eu descobrir o meu erro, será mais fácil justificá-lo e explicá-lo, pois, não foi feita a imposição da minha opinião, e sim uma divergência de opinião.

Um cavalheiro discorda sem desagradar, expressa sua opinião sem ferir, age com humildade e respeito com o próximo. Por mais que discorde das outras opiniões, ele respeita o direito que cada um tem de pensar.

domingo, 12 de junho de 2011

FELIZ DIA DOS NAMORADOS


Você e muito especial para mim
Preenche minha vida e o meu coração,
Me faz feliz.
É a pessoa que me completa
Com simples gestos, palavras, sorrisos e carinhos.
É muito meiga, cativante, doce, carinhosa, encantadora.
Tão fascinante e apaixonante.
E sempre lembre-se...
Te amo
Te amarei sempre... Eternamente.
Feliz Dia dos Namorados, meu AMOR...

sábado, 11 de junho de 2011

VIVER COM MODERAÇÃO

"Desfruta o eu como se tivesses que morrer logo e gasta-o comediantemente, como se tivesses que viver muito. Sábio será aquele que compreende ambos os preceitos e ponha medida na avareza e na prodigalidade." (Luciano de Samosata)

A moderação equilibra a vida do homem em sociedade, faz com que ele viva bem e aproveite o que a vida tem a lhe oferecer.

É importante ser tolerante, evitando cometer os excessos, que causam tanto a inatividade e a omissão humana, quanto às desordenadas atitudes, tornando-o uma pessoa abusiva.

Limites de atuação é uma virtude do homem tolerante, que vive feliz e está presente na sociedade de forma moderada, não desperdiça seu tempo e nem o dos demais, usa racionalmente os seus bens materiais, aplica-os de forma funcional, proporciona a manutenção dos mesmos.

Não se esquece de que ele não é o único habitante do mundo, sabe ser útil a sociedade, sabe preservar o meio ambiente e o utilizá-lo não apenas para desfrute, mas com a consciência de que ele continue proporcionando tanto esse prazer à ela quanto aos outros e as demais gerações que ainda hão de existir.

Ele vive sem medo de morrer, porque no dia de dar adeus a esta vida, ele vai sabendo que soube aproveitar a sua oportunidade de aqui viver, aprendeu a não ser egoísta, soube viver em coletividade, e não acumulou bens para si, mas utilizou-os de forma racional. O homem moderado vive com segurança, vive sorrindo, a vida para ele é uma comédia, sabe aprender nos momentos difíceis, vive a crescer, ensina aos outros. Vive atua na sociedade, não é apenas um passageiro nesse mundo, mas alguém que vive para ele e para o mundo, sem perder a virtude da moderação.

sexta-feira, 10 de junho de 2011

A JUSTIÇA E OS INJUSTOS

"Tão grande é a força da Justiça. Que nem aqueles que se nutrem da maldade e do crime podem viver sem um mínimo dela." (Cícero)

A Justiça protege os cidadãos, ela garante e efetiva seus direitos, ela corrige e pune os injustos para que eles  não voltem a cometer injustiças e vivam em harmonia com a sociedade.

Os cidadãos são protegidos, a paz social existe quando se acredita que a Justiça exercerá seu papel sempre que for necessário, pois há a esperança de que diante de uma transgressão a lei, exista a punibilidade. Essa é uma garantia do bem-estar social, que mantêm a harmonia e o equilíbrio na sociedade.

Mas nem os que cometem injustiças e transgridem a lei estão à mercê dela, eles também estão protegidos, pois também são pessoas e possuem direitos e garantias, que são direitos fundamentais e existem para todos. Portanto, eles têm direito a um processo justo, à defesa e serem punidos de acordo com a gravidade do crime cometido. Caso contrário, eles seriam vítimas de injustiças.

A Justiça existe para todos, e deve funcionar corretamente e ser eficaz, deve ser aplicada na medida dos direitos daqueles que nela estão buscando ver seus direitos ou se defendendo, de maneira a não cometer injustiças, não deixar que a tirania estatal prevaleça e os cidadãos tenham seus direitos restritos. Ela deve demonstrar que a verdade prevalece.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

A CORAGEM

"Corajoso é aquele que teme o que se deve temer e não teme o que não deve se temer." (Tolstoi)

A quem devemos temer? Somente a Deus e há nada mais.

O medo faz com que o homem abdique da sua coragem, mas a ele não devemos temer, devemos ter coragem e enfrentá-lo.

Quem tem Deus em seu interior tem coragem, tem fé e confiança, sabe que tudo se resolverá, passa a ter controle espiritual e o seu pensamento não irá fantasiar temores.

A maldade faz o homem temer, qual será a maneira de vencê-la? Ou de estar blindado de suas reações? É necessário viver na bondade, blindados com a proteção divina.

Se agirmos com bondade, a reação será boa e elevará o nosso espírito, mas existe algo não bom, somente com a misericórdia divina essa reação será anulada.

O mal também é fruto da imaginação, dos pensamentos materiais, que aprisionam o homem em um mundo de desejos, causando temor, onde estará Deus nessas horas? O homem dele se esquece ao ponto de ficar neste estado de descontrole e passa a temer a tudo, ficando perturbado.

Se vivermos na bondade de Deus, teremos a paz de espírito que somente ele pode nos proporcionar, estaremos desapegados do mundo material, servindo ao nosso Senhor, realizando a sua vontade, estaremos em equilíbrio espiritual e conscientes.

Se vivermos conscientes, na bondade, conectados com Deus, só a ele temeremos, e a coragem estará sempre com o homem que caminhará perseverante, viverá aqui, mas realizará tudo servindo a Deus, não para proveito próprio, mas do nosso "Todo Poderoso Creador".

quarta-feira, 8 de junho de 2011

A VOZ DO CORAÇÃO

"Quando não se pensa o que se diz, é quando se diz o que se pensa." (Jacinto Benevente)

Quando o homem não pensa, ele fala e não sabe o que fala? Isso ocorre porque ele fala o que está em seu coração, nesse momento ele é levado pelas emoções e transmite o conteúdo do seu interior.

Se seu coração está cheio de bondade, o homem fala coisas boas e animadoras, mas se está cheio de maldade ele fala coisas más para tentar desiludir o outro.

Se possuir alegria e felicidade, será uma ótima mensagem que sairá de seu coração, mas se estiver triste transmitirá a tristeza.

Se possuir amor, dele sairão palavras doces e carinhosas, mas se possui ódio as palavras sairão ferventes de seu coração.

Se ele é sonhador sairão palavras de esperança, que enaltecerão os que elas ouvirem.

Se possuir fé, falará palavras peregrinas que irão formar um pensamento que poderá ser realizado, e a vivência da esperança desse dia chegar.

Se possuir paz e harmonia, o ouvinte será acolhido e consolado. Mas se tem intranquilidade ele deixará o outro perturbado com aquelas palavras.

Se possuir sinceridade falará palavras verdadeiras, mas se tiver a falsidade ele vai tentar ludibriá-lo.

É assim que saem as palavras, que as vezes o homem não sabe de onde vem e nem de como saiu naquele momento, ele não queria falar, não pensou mas falou com a voz que vem do seu interior, a voz do coração.

terça-feira, 7 de junho de 2011

O AMOR PRÓPRIO

"O amor próprio é mais arrogante que cego; não nos oculta os nossos defeitos, mas nos convence que eles escapam aos olhos dos demais." (Samuel Johnson)

É arrogante porque se impõe diante de tudo, é mais que cego, porque essa cegueira é conhecida pela pessoa, que se conhece e tenta ocultar fronte os demais.

O amor próprio faz a pessoa agir sem consciência e achar que as pessoas não enxergam nossos defeitos. É bastante perigoso, pois, ele pode nos convencer com seu grande ego de persuasão.

Ele adula o homem ao ponto de torná-lo narcisista, com grande astúcia ele vai dominando o ser, corrompendo a sua alma e o escravizando.

O homem passa a ser um ser errante, mas ao mesmo tempo pensa que está correto, se sua consciência lhe avisa, ele a ignora, se faz um mal ele acha que dali tirou um grande proveito, sua alma vive em decadência profunda.

O homem deve ter o cuidado com suas emoções, deve agir consciente, evitando o erro frequente, buscando a bondade e não deixando que o amor próprio o controle.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A GENTILEZA

"Nunca é cedo para uma gentileza, porque nunca se sabe quando será tarde demais." (Ralph Waldo Emerson)

Ser gentil é um gesto nobre, é respeito com o próximo, todos merecem um tratamento digno. Como é bom ser tratado com alegria e felicidade, receber um sorriso acolhedor, saber que somos percebidos e não somos desprezados.

A gentileza é um ato humilde, todos nós podemos ser gentis, basta querer, basta por em prática. E o que nos custa? Exatamente nada, e o que nos rende? Ser reconhecidos como pessoas gentis que sempre estão dispostas a tratarem o próximo com bondade.

Se faltar a gentileza, quando chegar o arrependimento nem sempre é possível corrigir essa ação cometida, o fato de ter ocorrido já é um ato reprovável, era  bem melhor ter sido simplesmente gentil.

Hoje vivemos, e do amanhã não sabemos, a falta da gentileza nos constranger, pois pode não haver mais tempo de tentar corrigir, o tempo é passageiro e a vida é um enigma, que iniciou, mas não sabemos até quando vai durar.

Por isso, se formos gentis não temos nada a perder e temos muito a ganhar.

sábado, 4 de junho de 2011

O DOM

"É dom dos homens de grande talento dizer muito com poucas palavras; infelizmente, é dom dos de pouco talento falar muito e não dizer nada." (Jean Baptiste Poquelin Molière)


O dom nasce com o homem, depois o homem começa a expressá-lo durante sua vivência, é um presente divino, e se expressa de forma talentosa.


O dom de dizer através de poucas palavras não é inerente a todos, os artistas respiram a arte, planam nas idéias e encantam o mundo, com suas simples palavras, pinturas, gestos e inventos. Eles tocam o coração das pessoas, e demonstram horizontes longínquos com suas expressões materializadas em tão poucos traços, mas suficientes para chamarem nossa atenção.


Ah! Mas isso não é para todos, existem os que tentam copiá-los, mas  não conseguem, não possuem a sensibilidade talentosa da arte. Possuem interesses, não fazem com amor, apenas com esforço para realizarem seus desejos. Fazem possíveis escândalos, horrorizam, terminam seguindo novos rumos, este dom não pertence a eles, mas não deixam de tentar.

A SUAVIDADE

"Quem pisa com suavidade vai mais longe." (provérbio chinês)

Quem não gostaria de ter uma noite suave? Dormir com tranquilidade? Ter grandes amigos? Viver de bem com a vida? Viver controlado de corpo e alma com fé em Deus?

Tudo isso é possível, não precisa ser comprado, apenas ser vivido. Se eu sou bom não me preocupo com o mal, se tenho fé em Deus saberei que os tormentos que vierem passarão, mas eu precisarei confiar no "Ser Supremo" e repleto de amor.

Ele criou a natureza maravilhosa e bela, ele nos deu a chance de aqui viver e dela desfrutar, de fazer amigos e viver em harmonia, de ter uma família, de amar e ser amado. Uma vida suave é uma vida de amor, amor ao nosso "Eterno Creador" e amor ao próximo.

Podemos aqui ter uma vida curta ou longa, mais tudo isso é passageiro, do nosso Deus viemos e o objetivo é para ele retornarmos. Enquanto estamos aqui devemos viver com amor e alegria, mas cientes do maior objetivo, servir e adorar ao nosso Senhor, e devemos estar prontos para o dia do desapego dessa vida e a nossa alma fluir.

Fica o mundo, ficam as alegrias e os nossos familiares, grandes amigos que fizemos e todo o amor que aqui deixamos e praticamos. Esse é um bom legado a ser deixado, nada de materialismo, pois este não tem valor algum.

O materialismo não traz suavidade e sim desassossego, o querer, poder, tudo cada vez mais e aprisionando o homem, reduzindo sua capacidade de pensar e amar, ao ponto de esquecer de que ele veio passar uma temporada no mundo e aqui poder ser uma pessoa melhor.

Pra que se preocupar se podemos esperar? Por que desistir se temos a chance de com fé e esperança conseguir? Se fizermos a nossa parte, Deus tudo vê, tudo pode, e no momento certo ele vai realizar em nossa vida, ele é quem traz a paz ao nosso espírito, se estamos de bem com ele e o mundo desaba em nossa frente, enfrentamos tudo isso com suavidade, o pesado se torna leve.

Viver com suavidade é possível para todos, basta querer e buscar, não está nos homens, e sim em Deus. O que ele torna suave é pleno para todos, é amor e paz para alma e para vida aqui na terra.

Nosso divino "Creador" vive em nosso meio e a nos observar, vive a realizar emoções em nossa vida, dele tudo veio, e depois foi sendo transformada a energia divina e natural. E que pode ser desfrutada curta ou longa pelo homem enquanto aqui sua alma permanece e depois ela está liberta para outra vida.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

O APARENTE E O REAL

"Ganharíamos mais deixando-nos ver como somos, do que tratando de parecer o que não somos." (La Rochefoucauld)

Muitas pessoas vivem da aparência, fazem de tudo para robustecê-la e mascarar toda uma verdade escondida por trás daquela farsa. Muito tempo perdido, um dia a verdade vem à tona e todos descobrem que aquela pessoa não existia, ante a ficção havia uma identidade buscando refúgio.

Enganar aos outros não faz a alma crescer, ser quem você não é não te traz paz de espírito, então qual o motivo de tanta enrolação? Clonar o próximo, ser uma cópia, esquecer quem você é e negar a sua naturalidade e buscar uma montagem.

A felicidade também vem da humildade, da aceitação de quem você é e de ser alguém com sua própria identidade. Nada de máscaras e fetiches, uma pessoa é reconhecida por suas características, elas vão determinando quem você é. Se constantes demonstram quem realmente você é, se inconstantes determinam quem você pode ser, se mutantes elas determinam quem você não é.

Ser aparente não é fácil, são muitas inverdade entrelaçadas, pois a máscara não pode cair diante de todos, é um plano que não pode dar errado, mas não tem jeito, a verdade se sobrepõe e um dia surge para revelar o segredo que ali estava.

Ser aparente é apegar-se a vaidade, ser real é demonstrar as virtudes que a pessoa possui, viver em verdade e sinceridade, deixando a falsidade de lado e o apego ao belo e ao perfeito, passando a assumir sua verdadeira identidade.

Ser verdadeiro e sincero é uma riqueza grandiosa, todos respeitam, e valoriza os bons costumes sociais.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A LUZ E A ESCURIDÃO

"É melhor acender uma luz, mesmo pequena, do que amaldiçoar a escuridão." (Confucio)

Acender luzes é fazer o bem sem olhar a quem, mesmo que estejamos ajudando o próximo em uma quantidade mínima já é algo bom e trará bons frutos. Já quando não o conhecemos e o julgamos é um amaldiçoamento a escuridão, e um erro gravíssimo que nada traz de positivo.

Fazendo o bem, agimos de forma correta, toda bondade gera positividade, quanto mais positivo alguém é, menos negativo ele será e seu caminho estará sendo iluminado. Sem compromisso, ser bom é fazer o bem sem esperar que o outro pague pela ajuda os te retribua com a mesma, é iluminar o mundo, é a mais pura bondade, é a bondade que Deus nos ensinou.

Alguém é tão bom quanto Deus? Não, pois só ele é tudo, é o máximo, o ilimitado, o eterno. Nós podemos viver a bondade, no agir, no pensar, contribuindo com a prosperidade. Isso está de acordo com a vontade de Deus, ele quer que sejamos bons de corpo e alma.

Quando olhamos a escuridão, algo que não conhecemos alguém estranho, de modo algum podemos dizer que é ruim. Nem sequer tentamos saber da sua essência, que julgamento maldoso, que pensamento negativo, assim as luzes do mundo se apagam e a escuridão se expande. Nesse momento impedimos que a bondade prosperasse, ela está sendo restringida absurdamente.

Se um ato de bondade acende uma luz, a sua falta é omissão, e a omissão é um ato direcionado ao mal, é o deixar de agir quando se podia fazer o bem, sem uma justificativa boa, pois é uma justificativa pessoal ou grupal, deixamos de pensar amplamente e mantemos uma idéia íntima. Nem tudo que achamos bom e correto é na verdade o certo e nem a real bondade.

Amaldiçoar a escuridão é ruim, ruim porque amaldiçoar é maldade e gera negatividade, e se na escuridão existe o bem, que sequer foi descoberto vai se matar o bem? Pura maldade, não leva a lugar algum, um pensamento que deve ser refeito senão essa pessoa não seguirá por um caminho iluminado por Deus, embora ele seja misericordioso e posso perdoá-la. Pois sua bondade é imensa e quem somos nós para medir tal bondade? O homem de modo algum pode mediar à bondade de Deus, tentar isso é impor limites a ela.

Se pararmos de julgar e começarmos a agir com bondade começaremos a contribuir para iluminação do mundo.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

A CONSCIÊNCIA

"Meia-noite. Ao meu quarto me recolho.
Meu Deus! E este morcego! E, agora, vede:
Na bruta ardência orgânica da sede,
Morde-me a goela ígneo e escaldante molho.

Vou mandar levantar outra parede...
- Digo. Ergo-me a tremer. Fecho o ferrolho
E olho o teto. E vejo-o ainda, igual a um olho,
Circularmente sobre a minha rede!

Pego de um pau. Esforços faço. Chego
A tocá-lo. Minh'alma se concentra.
Que ventre produziu tão feio parto?!

A Consciência Humana é este morcego!
Por mais que a gente faça, à noite, ele entra
Imperceptivelmente em nosso quarto!" (Augusto dos Anjos)

A nossa consciência conhece todos os nossos atos, as ações praticadas e os nossos mais íntimos pensamentos, dela não pode mos fugir, se ela está limpa a paz reina, mas se estiver perturbada ela começa a tumultuar nossa vida.

Ser consciente é discernir o certo do errado, saber a natureza do que será praticado, mas nem sempre o consciente age de forma correta, podendo cometer erros e saber que ele responderá pelas reações e consequências geradas a partir das suas ações.

Agir com consciência é agir com bondade, de maneira correta, porém essa certidão não é restrita apenas ao indivíduo, ela é justa, e se é justa ela é para todos, é equânime e delicada. É um agir transcendental, pois também estará em equilíbrio com toda uma harmonia que existe ao nosso redor e ao horizonte.

O inconsciente age sem pensar, ele pode não discernir o bem e o mal, vive aleatoriamente, para ele não fará diferença o que cometeu. Ele é incapaz de saber o que é certo para ele ou para todos.

O agir inconsciente é um erro que pode ser cometido porque tem consciência, deixando de seguir a ética e priorizando a vaidade pessoal, o homem troca a virtude pelo desejo. Os inconscientes agem sem consciência porque não saber o que fazem.

Se o maior cego é aquele que não quer enxergar, quem tem consciência e persiste em agir com inconsciência parte para o caminho do mal.