Follow by Email

sábado, 31 de dezembro de 2011

FELIZ 2012


Que o ano de 2012 seja de muita paz, amor e harmonia, repleto de realizações e maravilhas na vida das pessoas.

Que os sentimentos de bondade, compaixão, respeito, alegria, sinceridade e humanidade estejam presentes, que as pessoas sejam mais conscientes e cresçam na fé.

Que cada uma aprenda com os erros e que não os repita nesse novo ano, uma boa reflexão fará muito bem a cada um, que ao invés de julgar o outro procure primeiro se olhar.

Que cada uma saiba que esse mundo não é seu, que estamos aqui para viver e não para destruir e escravizar, que a humildade sempre enobrece o homem e nunca o desqualifica.

Amar o próximo é sempre belo e quando existe o amor os sentimentos ruins se afastam.

Que em 2012 ocorra uma renovação, que cada um busque se aproximar de Deus, que saiba proteger o meio ambiente, que a felicidade e a bondade passem a reinar.

Feliz Ano Novo e Boas Festas.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

OUVIR E GLORIFICAR A DEUS

“Portanto, com incansável atenção, deve-se constantemente ouvir sobre a Personalidade de Deus, glorificá-lo, lembrar-se dele e adorá-lo, sendo ele o protetor dos devotos.” (A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Compreender o transcendente é o dever do homem, buscar realizar a vontade de Deus é o objetivo da humanidade, saiba ela ou não, a devoção é o caminho para todos.

Deus nos creou, ele nos ensina, nos dá o necessário para viver, mas a vida não é somente nossa, todos merecem viver, o sol nasce para todos e ninguém é melhor do que ninguém.

A verdade absoluta é divina, o homem que enxerga o material vive em ilusão e não sabe o sentido da vida, pois, está vagando no mundo por impulsos e prazeres, em um ciclo que leva a morte e não eleva a sua consciência.

O homem deve buscar a Deus de forma incansável, quanto mais ele busca, mais próximo ele estará, mais sábio ele será, mais bem-aventurado ele será, e entenderá que ele é muito mais simples do que ele é, que a vida é passageira e ele veio aprender a servir.

O homem deve servir e glorificar a Deus de forma constante, pura e incansável, desapegado de interesses, e cheio de amor e devoção.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

OS SERES VIVOS SÃO POTÊNCIA DE DEUS

“A terra, a água, o fogo, o ar, o éter, a mente, a inteligência e o ego são energias inferiores do Senhor, mas as entidades vivas são diferentes de todos esses elementos, pois são energia superior.”(A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

As energias vivem espelhadas pelo mundo, podem ser unidas ou separadas, criadas e modificadas, suas misturas resultam em outras energias.

Deus creou o mundo, creou os seres vivos, todos eles dotados de sua potência, uma essência natural e advinda dele.

O homem cria, mas não tem o poder de crear, pois esse poder é divino, embora o homem seja uma potência de Deus, ele não é superior ao seu Creador e nem é capaz de possuir mais energia do que ele, que é a fonte Suprema de tudo e a plenitude.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A CONSCIENTIZAÇÃO DA SOCIEDADE

“É preciso que nos conscientizemos das atuais necessidades da sociedade humana. E quais são estas necessidades? A sociedade humana não se restringe mais a fronteiras geográficas de países ou comunidades específicos. Atualmente, há um contato maior do que na Idade Média, e o mundo tende para a formação de um Estado único ou uma sociedade humana única.” (A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Essa união tem aspecto espiritual, é a sociedade que se desenvolve de forma humana, mas que também é indispensável que tenha o conhecimento espiritual.

Somente Deus pode preencher a lacuna existente na sociedade humana, por mais que existam os ideais, saberes humanos e científicos, por maior que seja o desenvolvimento tecnológico, eles são incapazes de preencher a necessidade espiritual de cada ser vivo.

Para existir a paz entre os homens não é necessário o material, pois o materialismo causa divergências sociais entre os homens, enquanto o transcendente os une e os torna iguais e irmãos, formando uma comunidade universal, sem limites e sem fronteiras, é a conexão com Deus levando o homem a horizontes inimagináveis.

A sociedade se conscientiza a partir do transcendente, essa é a principal necessidade da sociedade, quando ela passar a ter esse conhecimento de forma ampla, viveremos de forma mais harmoniosa e com menos divergências.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O NATAL


Muitas comemorações acontecem entre sorrisos, abraços e presentes que vêm e vão. A tradição do Natal é repetida a cada ano com seus eternos símbolos unidos a novidades atuais.

É um tempo de reflexão, alegria e descontração, com luzes e sons que pairam no ar e animam os nossos corações.

Mas onde está Jesus? O Filho de Deus não encontrou lugar na hospedaria quando nasceu em Belém, e muitas vezes, não encontra lugar para nascer no coração do ser humano. A vontade dele é nascer nos corações humanos.

No Natal devemos ter ternura e gratidão a Deus, reverenciando aquele que nasceu para cada um e morreu por todos. O Natal é o reconhecimento da vinda de Cristo para resgatar a humanidade perdida.

Que o seu Natal seja muito mais que festas e tradições, que seja um momento alegre e de encontro com a restauração com Cristo.

A vida de Jesus Cristo nos ensina a ser gente, como gente deve ser, onde: cada cristão torna-se como Cristo, cada comunidade integra-se como a Trindade e cada sociedade busca ser como o reino de Deus, tratando o mundo na perspectiva de fazer dele um jardim.

Envoltos nesta visão, desejamos que nossos relacionamentos possam ser transformados e que a harmonia da noite de Natal invada o seu coração com toda plenitude, para que todos os dias do Ano Novo sejam cheios de felicidade e amor na presença do Altíssimo.

Feliz Natal,    

Um Próspero Ano Novo,

E Boas Festas!

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

A LIMPEZA DA CONSCIÊNCIA


“Quando confunde o verdadeiro eu com o corpo, o ser vivo fica privado do sentimento transcendental, de krishna-prema e fica impossibilitado de experimentar a verdadeira felicidade – sentimento este que, em sua característica real, é espiritual e está sempre ligado diretamente à alma (e não ao corpo). O processo da consciência de Krishna conhecido como sadhana-bhakti consiste simplesmente em atividades práticas para suddha-cittah, limpar a consciência.” (Chandramukha Swami)

Essa consciência está conectada ao amor de Deus, um sentimento verdadeiro, absoluto e puro.

A limpeza da consciência faz com que o homem saia da ilusão material e passe a sentir e ver a verdade, recuperando sua consciência original e apagando a consciência ilusória material.

O transcendente passa a alimentar a alma, que se rende ao amor verdadeiro com devoção, o homem passa a agir de forma consciente e gerando reações que trazem o bem.

Liberto das reações matérias o homem encontra a verdadeira felicidade.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A CONSCIÊNCIA PURA


“Em seus ensinamentos, Chaitanya Mahaprabhu explica que, em seu estado original e natural e todo ser vivo é plenamente consciente de Deus, ou consciente de Krishna. Na verdade, esta sua consciência pura manifesta-se naturalmente, já que o ser vivo é eternamente uma parte integrante do Supremo.” (Chandramukha Swami)

O ser embora viva na terra está conectado ao Supremo, seja ele homem ou animal, também possui uma alma.

O ser vivo faz parte da potência de Deus, ele pode ser consciente ou inconsciente, sua consciência pode ser plena ou parcial.

O homem de vida consciente no mundo material vive em harmonia social e com o meio ambiente, mas pode não ser plenamente consciente em Krishna.

O ser pleno na consciência de Krishna não age para os benefícios humanos e materiais, mas age de forma espiritual, sabe diferenciar matéria e espírito, sabe que faz parte do Supremo e está de passagem no mundo material para aprimorar sua alma e servir ao Senhor.


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A PERSISTÊNCIA

“A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.” (Confúcio)

As quedas não são derrotas, mas é aprendizado, o homem que cai e não se reergue sofre uma derrota, mas aquele que de cabeça erguida segue em frente com honra e dignidade está sendo glorificado pela persistência.

Seus objetivos serão conquistados e não serão apenas vitórias, mas algo de muito mais valor, pois serão frutos de uma caminhada perseverante.

O homem persistente não sofre derrotas, mas vive a aprender.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

ESPÍRITU, GRAN CREADOR

“Espíritu, gran Creador,
Eres del mundo fundador;
Oh llena el corazón veraz,
Trae gozo a la humanidade.
Oh, líbranos del tentador,
Y hasnos dignos de tu amor.
Nuestras mentes limpia em verdade,
Y danos paz, hasnos amar.
No nos queremos descarriar,
Guíanos tú em nuestro andar.
Ayúdanos ver la verdade,
Y practicarla sin cesar.
Al darnos de tu próprio ser
Padre e Hijo podemos ver!” (Autor desconhecido, versão espanhola de Pablo Yoder)


O grande Espírito Creador creou o mundo para o gozo da humanidade, para que eles desfrutem de prazeres materiais com consciência espiritual, sabendo que este mundo não é deles, mas é de Deus.

O Supremo nos liberta das tentações e do mal, livra o homem dos apegos materiais, dessa forma a alma vai sendo liberada.

Deus é pleno em amor, enche nosso espírito de amor, ele torna-nos amantes e devotos de seu puro amor, mostra ao homem a verdade e nos dá a paz de espírito, faz o homem ser feliz.

O Grande Creador nos dá forças, ajuda o homem a não fraquejar diante dos prazeres, das tentações, das dificuldades e tristezas, nos tornando perseverantes e nos guiando pelo caminho da verdade, faz o homem ser bom, e ele passa a ser um espelho de bondade, perseverança, verdade e devoção.

domingo, 18 de dezembro de 2011

UMA PESSOA SANTA

“Uma pessoa santa é como água pura, livre de toda a contaminação e capaz de purificar todas as coisas. Assim como a água pura é transparente, a pessoa santa manifesta transparentemente a Personalidade de Deus dentro de seu coração. Este amor a Deus é o reservatório de toda a felicidade. A água produz uma vibração muito agradável à medida que flui e cai em cascata. De modo semelhante, a vibração sonora de um devoto puro do Senhor, saturada com glórias do Senhor, é muito atraente e bela. Assim, por estudarmos a natureza da água, podemos compreender os sintomas de um devoto puro do Senhor.” (Hridayanada Dasa Goswami)


A pessoa santa não se contamina com as impurezas materiais, tem uma natureza amável e uma vibração sonora como a da água corrente, ela é pura e vive a purificar pessoas e coisas em nome das glórias do Senhor.

As pessoas santas revelam-se para humanidade, elas são iluminadas e acendem as chamas das pessoas que também vão se tornar puras e iluminadas. Os santos vivem para servir, trazem a felicidade, são misericordiosos e mestres espirituais.

Os santos não estão presos a este mundo material, ele vem para auxiliar a humanidade e ajudá-los a se libertar do pecado. Temporariamente vivem no mundo material e depois retornam para junto do Senhor com sua missão cumprida.

Os santos revelam a Suprema Personalidade de Deus, divulgam sua mensagem pelo mundo, têm uma vida vibrante e espalham sua sonoridade positiva pelo mundo, purificando e iluminando, glorificando e realizando a vontade do Senhor.

sábado, 17 de dezembro de 2011

O GOZO MATERIAL

“Uma pessoa inteligente deve compreender que, se existe uma alma eterna diferente do corpo, então a felicidade verdadeira deverá estar em nossa situação eterna, além do cativeiro da natureza material. Contudo, as pessoas comuns, mesmo quando discutem assuntos espirituais, geralmente desejam tornar-se famosas ou aumentar sua riqueza e duração de vida através de tais práticas espirituais. Muitas pessoas comuns pensam, por exemplo, que o sistema de yoga destina-se ao aprimoramento da saúde, que se pode orar a deus pedindo dinheiro e que nosso conhecimento espiritual destina-se a aumentar nosso prestígio perante a sociedade.” (Hridayanada Dasa Goswami)


Os seres humanos buscam árduas atividades pregando religiosidade, ascendência econômica, desfrutes materiais, conhecimento do eu e da alma, aumento da duração da vida terrena e riquezas materiais.

O gozo espiritual não significa impotência, incompetência, fragilidade, respeito na sociedade, um status elevados de humanidade perante os outros. O gozo espiritual vem com o transcendente, com a aceitação do Supremo Creador, a percepção dos sinais divinos, a busca da verdade, a humildade e a simplicidade.

O gozo material é passageiro, traz incertezas, não torna o homem feliz, deixa um vazio espiritual, faz o homem regredir, coloca-o numa corrida em busca de prazeres materiais, que nunca tem fim e ele sempre quer mais.

Os homens devem desfrutar o material com a consciência espiritual, desse modo, o material servirá de complementos da vida terrena, para sobrevivência, na verdade o homem estará alimentando seu corpo, mas seu espírito estará consciente e saberá diferenciar o material do espiritual, saberá que existe a eternidade que vai muito além do mundo material.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

OS DEFEITOS

“Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.” (Clarice Lispector)

O homem é imperfeito, no dia que ele for perfeito ele não será apenas um homem, mas ele também será Deus, por isso nós não podemos ter certeza do que é um defeito.

Não conhecemos as pessoas apenas pelas suas qualidades, mas também pelos seus defeitos, se conhecemos apenas a parte boa, é porque ainda não conhecemos a pessoa.

Um homem que crer que retirou todos os defeitos da sua vida pode cair no narcisismo de se achar perfeito, quando não é, esse é o grande perigo do homem achar que tudo pode.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

O SÁBIO

“Segundo afirma o Bhagavad-Gītā, famoso livro sagrado da antiga Índia, o verdadeiro sábio é aquele que pode distinguir o eterno do temporário, o espírito da matéria, o Ser Supremo do ser minúsculo, à luz do conhecimento transcendental. Que sabedoria poderia ser atribuída a alguém que simplesmente trata de analisar os fenômenos naturais, dos quais não depende de maneira alguma o sucesso espiritual? Que sabedoria poderia ser atribuída aos que tentam avidamente impedir que o corpo envelheça ou morra, quando a própria realidade deste mundo prova que a velhice e a morte são aspectos inerentes e inevitáveis da vida material?” (Hridayanada Dasa Goswami)

O homem expressa sua sabedoria de várias maneiras, podendo ser um observador, um cientista, um filósofo, um estudioso.

O verdadeiro sábio conhece o transcendente, o sentido da vida e o mundo material, essa sabedoria é adquirida de forma gratuita e simples, de forma crescente, quando o homem aceita a existência do Ser Supremo ele passa a ser um verdadeiro sábio, a entender o mundo e a vida.

Os fenômenos materiais podem ser lógicos, provados, criados e experimentados, já os fenômenos transcendentais fogem as lógicas, as experiências e somente podem ser creados por Deus, esses são independentes de materialidade e do homem.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A NATUREZA DIVINA

“Todavia, existe outra natureza, a qual é eterna e transcendental a esta matéria manifesta e imanifesta. Ela é suprema e jamais é aniquilada. Quando tudo neste mundo é aniquilado, essa parte permanece como ela é.” (A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

A natureza divina não é material e passageira, ela é espiritual e eterna. As coisas são energia divina, são creação de Deus e depois são transformadas pelos humanos, animais e fenômenos naturais.

O homem cria coisas que não eternas, mas também não podem ser, pois ele apenas transforma a energia divina, ao final de tantas transformações a matéria vai sendo destruída.

O corpo humano é matéria, ele nasce, cresce e morre, ele vai surgir, se desenvolver e se desintegrar, já a alma é eterna, pois ela tem a essência da natureza divina, com a morte corporal a alma continua a viver após abandonar o corpo.

A alma é o corpo espiritual, é uma expansão da natureza divina, diferente do corpo que já nasce com uma natureza material.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

UMA DEFINIÇÃO DE DEUS

“Os conceitos sobre Deus do homem moderno são muitos e variados. As crianças têm a tendência a imaginar que Deus é um velhinho de barbas brancas. Muitos adultos consideram Deus uma força invisível, um conceito mental, ou toda a humanidade, ou o universo, ou eles mesmos.” (A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Deus é ilimitado, ele possui muitos nomes, se tentarmos especificar Deus estaremos reduzindo ele, ele também pode se manifestar em fenômenos e formas humanas. Pode estar em vários lugares ao mesmo tempo e continua sendo ele mesmo onde esteja ou se manifeste.

Deus atrai todos e todos devem buscar Deus, ele é a fonte de tudo, é eterno, é amor, bondade, é infinito, é o Supremo Creador, dele nós viemos e a ele devemos retornar.

Muitas pessoas acreditam ser Deus, tentam dominar o mundo, acham-se donos de tudo e de todos, esquecem que são seres humanos, tratam os outros como seres inferiores, querem ser servidos e idolatrados, essas pessoas não entendem o sentido da vida e nem temem a Deus, muito menos acreditam na sua existência.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A DIVERSIDADE

“Existem outras culturas, outras civilizações, outros povos, outras religiões. Cada uma contribui com algo único para a experiência humana. Cada uma, de acordo com a sua perspectiva, foi a escolhida. Mas esta é a nossa. Esta é a nossa fé, o nosso povo, a nossa herança. Amando-os, eu aprendi a amar a humanidade em sua diversidade. Em paz comigo mesmo, estou em paz com o mundo.” (rabino Jonathan Sacks)

O diferente também há de ser amado e reconhecido, pois nossa realidade não é a única certeza, não é a perfeição total, é uma parte do todo, do bom, do importante, é uma contribuição de ontem, de hoje e do futuro.

As culturas contribuem com suas riquezas, antes era mais difícil de conhecer outras culturas, mas a partir da globalização essas distâncias entre as culturas e as barreiras foram sendo quebradas, dessa maneira ocorreu uma maior integração cultural.

O que é diferente e desconhecido passou de estranho para interessante, o que era parte da vida deles também pode ser parte da nossa vida, pois, servem para toda humanidade.

Não estamos sozinhos no mundo e nem na vida, o sol, nasce para todos, todos têm direito ao meio ambiente, se todos nasceram, tivemos o direito à vida e essa direito primordial e universal não pode ser retirado.

O respeito ao diferente deve existir, o que é bom deve ser preservado e promovido, devemos conhecer o que ainda é diferente e saber aproveitar sua riqueza cultural e seus preceitos universais, sabendo apreciá-los, dessa forma, passaremos a conhecer novas culturas e entender melhor o mundo e as relações.

O Deus que conhecemos não é nosso, nossa religião tem um Deus que é o mesmo de todas, e os nomes dele diferem e o modo de como nos relacionamos com ele. Embora existam muitas religiões existe um só Deus que creou tudo e todos.

domingo, 11 de dezembro de 2011

UM INIMIGO COMUM

“O inimigo comum de todas as disciplinas religiosas é o egoísmo da mente. Pois é isso o que causa a ignorância, a cólera e o descontrole, que são a origem de todos os problemas do mundo” (Dalai-Lama)

O egoísmo é inimigo de Deus e do homem, ele causa o aparecimento e o fortalecimento de outros inimigos.

Ele causa a indisciplina, o individualismo, a cegueira, a possessão, a obsessão, a rebeldia e a liberdade exacerbada.

Ele consegue dominar o coração humano e enchê-lo de sentimentos e prazeres que não fazem bem nem ao espírito e nem a humanidade.

sábado, 10 de dezembro de 2011

O APRENDIZ ESPIRITUAL

“Como um aprendiz espiritual, você deve estar preparado para enfrentar as dificuldades que estão associadas a toda busca espiritual genuína e estar determinado a persistir em seus esforços e sua vontade. Você deve tentar prever ao longo do caminho e compreender que a chave para a prática bem-sucedida é nunca abandonar sua determinação.” (Dalai-Lama)

O aprendiz deve seguir sem desistir, o caminho a ser seguido leva ao melhor que se pode existir.

É a finalidade de tudo, é o local sagrado, de amor e devoção.

Após chegar a eternidade o homem será um servo de Deus, todo o aprendizado será demonstrado com amor e devoção.

Por isso, o aprendiz não pode desistir, ele deve ser determinado até o fim e que será um novo começo.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

VITÓRIA EM BUSCA DE GLÓRIA

“Os homens anseiam mais pela glória do que pela virtude. A armadura de um inimigo, seu capacete quebrado, a bandeira arrancada de um navio conquistado são tesouros mais valorizados do que todas as riquezas humanas. É para obter esses símbolos de glória que generais, sejam eles romanos, gregos ou bárbaros, enfrentam milhares de perigos e suportam inúmeras provações.” (Juvenal, poeta romano do século II)

A vitória a qualquer custo tem seu preço, a busca da glória está em segundo plano após essas vitórias.

A exibição dos destroços é sinônimo de sangue e honra, as conseqüências dos desastres são imedidas e impossíveis de serem totalmente calculadas.

Essas vitórias geram felicidades passageiras, pois, ninguém fica feliz com a guerra, e as destruições, ao contrário, ela traz tristeza e destruição humana e cultural.

Esses falsos tesouros não passam de mera matéria, mas possuem valores pessoais agregados, e esses valores são arriscados, pois neles pode haver o sentimento de vingança, o egoísmo, a sede de destruição e interesses individuais obscuros.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A LINGUAGEM INTEGRA O HOMEM

“Se a linguagem não tem sentido, a ação torna-se impossível e, consequentemente, todos os assuntos humanos se desintegram e torna-se impossível e inútil seu manejo.” (Confúcio)

É por meio da linguagem que os homens se entendem, dessa maneira suas relações tornam-se mais estreitas e eles constroem novos entendimentos que são comuns a ambos.

Se os homens utilizam a linguagem para o bem comum, eles desenvolvem o conhecimento social, comum a todos os homens.

Mas, se eles utilizam a linguagem para o mal, ela será um meio de desentendimento e discórdia entre eles, chegando a causar a destruição humana.

Enfim, a linguagem pode tanto unir quanto separar os homens, integrá-los e desintegrá-los, incluí-los e excluí-los, tudo depende do modo em que a linguagem será utilizada.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O DIREITO MULTICULTURAL

“O nosso lugar é hoje um lugar multicultural, um lugar que exerce uma constante hermenêutica de suspeição contra supostos universalismos ou totalidades. (...) Este florescido nos estudos culturais, configurações transdisciplinares onde convergem as diferentes ciências sociais e os estudos literários e onde se tem produzido conhecimento crítico, feminista, anti-sexista, anti-racista, pós-colonial.” (Boaventura de Sousa Santos).

Hoje estamos em uma era de multiculturalismo, onde as barreiras foram vencidas e o conhecimento integrou as mais diversas culturas globais junto a evolução tecnológica mundial. O direito multicultural e as ciências que o estudam e o complementam, buscam uma transformação social diante da crise pós-moderna do direito e das sociedades globais.

Diante do paradoxo capitalismo/socialismo, a sociedade medieval foi sendo transformada em sociedade industrial, chegou-se a fase pós-industrial e hoje vivemos em uma sociedade de informação. A globalização superou o imperialismo e a modernização que em eras anteriores foram predominantes no controle e na transformação social. Rompendo os paradigmas que regiam a sociedade, a difusão cultural, os modos de governar. Com grande influência do princípio da solidariedade e buscando alternativas para superar a crise sócio-jurídica existente.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

DIREITO MODERNO E DIREITO PÓS-MODERNO

“O direito moderno passou, assim, a constituir um racionalizador de segunda ordem da vida social, um substituto da cientifização da sociedade, o ersatz que mais se aproximava – pelo menos no momento – da plena cientifização da sociedade que só poderia ser fruto da própria ciência moderna.” (Boaventura de Sousa Santos).

Para recuperar a “boa ordem”, a ciência do direito busca soluções para o caos social e a tensão dialética com a solidariedade. Que de certa forma foi causado pelo positivismo jurídico que assegurava o capitalismo selvagem, que se desenvolvia a qualquer custo.

O direito pós-moderno, absorvido de epistemologia cultural, busca estabelecer novamente a boa ordem e debater a solidariedade respeitando os direitos humanos e o meio ambiente. Com um discurso paralelo entre a ontologia e a epistemologia, de forma racional e utilizando-se da ciência e da técnica. Esse direito regulador e científico tenta combater a sensação de insegurança e receio de desenvolvimentos incontroláveis nas sociedades atuais. Buscando promover uma emancipação social multicultural, de forma regrada para se chegar a um estado de bem-estar social.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O FORMALISMO JURÍDICO

“Tudo regido por um ritual solene, que abandonou a peruca, mas conservou a tradição e o formalismo. Temis, vendada, balança na mão, é o símbolo maior, musa de muitas gerações: o Direito produz ordem e justiça, com equilíbrio e igualdade. Ou talvez não seja bem assim.” (Luis Roberto Barroso)

Ao longo de sua existência, o mesmo direito que foi idealizado como um meio e fim de se obter a justiça, também foi utilizado para validar e encobrir várias injustiças, devido ao modo como foi analisado e aplicado, sendo desvirtuado de sua natureza e utilizado como meio de domínio.

No século XX, esvaziado de sua essência filosófica – o direito positivo entra em decadência após o legalismo exarcebado dos regimes nazista e fascista. Onde foram cometidos grandes absurdos na Segunda Guerra Mundial. Surge o pós-positivismo para tentar superar a crise jurídica, reintegrando as idéias de justiça e legitimidade ao positivismo convencional, valorizando novamente os princípios éticos que vão complementar e orientar o direito, dando ênfase à valores jurídicos fundamentais.

Hoje estamos em uma era de multiculturalismo, onde as barreiras foram vencidas e o conhecimento integrou as mais diversas culturas globais junto à evolução tecnológica mundial. O direito multicultural e as ciências que o estudam e o complementam, buscam uma transformação social diante da crise pós-moderna do direito e das sociedades globais.

domingo, 4 de dezembro de 2011

A FENOMENOLOGIA E O OBSERVAR DA NATUREZA

“Não se pode negar que a observação do universo começa por revelar uma multiplicidade de dados e o sujeito cognoscente, ao tentar compreendê-los e descobrir entre esses múltiplos fenômenos relações unificadoras generalizáveis.” (João Maurício Adeodato)

É necessário conhecer a sua natureza para que possam ser explicados e entendidos e chegar a uma compreensão.

Por isso esse método é chamado fenomenologia, estuda vários fenômenos, utilizando do raciocínio para chegar-se-á conclusões lógicas. Se fossem encontrados sistemas, não seria necessária uma interpretação científica mais avançada, pois, é tendência dos sistemas demonstrarem suas características. Já com o estudo dos fenômenos, encontram uma problemática que terá de serem encaixadas para se chegar a uma conclusão, como se fossem encontradas várias peças para formar um quebra-cabeça – o objetivo final para se chegar a interpretação correta e visível de todo o seu conteúdo e maneiras de sua formação.

sábado, 3 de dezembro de 2011

A ZETÉTICA

“Sem o exercício filosófico-reflexivo, zetético-regressivo (histórico) e zetético analítico (conceitual), tornamo-nos simplesmente vítimas do processo histórico e do curso dos fenômenos.” (Eduardo C. B. Bittar)

A zetética, que é o conhecimento obtido após investigar e questionar os fenômenos vai com por o conhecimento científico, bem como será um dos seus métodos de especulação e aplicação dos argumentos diante das realidades encontradas.

Seguir esses fenômenos da nossa realidade contribui para o esvaziamento do ser, o homem que não reflete e nem possui valores históricos e sociais, é a perda dos conceitos morais e éticos de viver uma filosofia de sociedade. Temos de parar e pensar, observar toda a nossa história, recuperar todo o nosso importante conteúdo que com as mudanças sociais foi ficando esquecido no tempo.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

CONHECIMENTO GERAL E CONHECIMENTO ESPECÍFICO

“A primeira investiga a relação do pensamento com o objeto em geral. A segunda toma como objeto de uma investigação crítica os axiomas e conceitos fundamentais em que se exprime a referência de nosso pensamento aos objetos.” (Johanes Hessen)

A teoria do conhecimento pode ser dividida em conhecimento geral e conhecimento especial, para um melhor estudo e conhecimento de seus objetos e os seus diferentes modos de especulação.

Na interpretação das normas jurídicas é necessária uma aplicação da teoria do conhecimento, pois, ela proporcionará uma maior segurança jurídica. Fazendo um paralelo entre ela e a aplicação justa, seria o mesmo que ter um conhecimento da norma e adequá-la a realidade fática dos objetos que são esses fatos sociais emergentes das relações humanas. É o conhecimento sócio jurídico que justificará a efetividade normativa. O conhecimento da norma não é apenas o saber literal, mas a experiência jurídica, a união entre “homem + costumes + realidade social”, com essa cognoscência do fenômeno sócio jurídico e que se chega a real efetividade fenomenológica das leis, a repetição dos casos concretos e uma lei mais justa para a sociedade.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

O PENSAMENTO

“É assim que as águas do mar se povoam, e não se moveriam sem as várias interpretações das palavras.” (Santo Agostinho)

O pensamento e a razão movem o mundo, o interpretar está em constante dinâmica, e vão sempre aperfeiçoando as conclusões, conceitos e concepções, esta é a razão da hermenêutica. Através desse conhecimento científico, ou seja, de um amplo e detalhado estudo do caso, o aplicador da norma terá uma visão da relação fático-social onde a norma será aplicada, todos esses aspectos entrelaçados darão uma visão realista do ocorrido, bastando que o aplicador use sua consciência e realize a justiça para aquele caso, solucionando o conflito de forma justa e consciente com a lei mais correta para aquele determinado caso.