Follow by Email

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

EM TEMPOS DE KALI-YUGA

“Em Kali-yuga, esta era de desavenças e hipocrisia, haverá um declínio das seguintes qualidades: religiosidade, veracidade, limpeza, tolerância, memória, força física, duração de vida e misericórdia.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Essas qualidades são inerentes aos seres humanos e os diferenciam dos animais. Com a redução dessas qualidades a vida vai ficando cada vez mais selvagem.

No mundo está faltando misericórdia, aumentou à mentira e a falsidade, as pessoas estão se esquecendo e desprezando os valores humanos e sociais, muitos morrem nos conflitos e desejos de vingança, outros matam por maldade, tantos outros morrem por negligência, imprudência e ignorância.

O homem que vive de forma selvagem e instintiva não usa a razão, vive em conflitos, não possui paz e tira a paz do próximo, atingindo a harmonia social.

O homem selvagem destrói o meio ambiente, é egoísta e possui sede de crescimento, é movido por paixões e ignorâncias, é materialista, Deus não está presente em seu coração.

Na era de Kali-yuga a civilização humana perde espaço para os interesses pessoais, os valores são perdidos no espaço e no tempo provocando um esvaziamento lógico e racional humano. Eles desistem do bem-estar social e primam pela vida individual. O homem segue o caminho da autodestruição e causa consequências sociais e ambientais.

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O LOBO E O CORDEIRO

“O lobo e o cordeiro tinham ido ao mesmo riacho, levados pela sede. O lobo estava mais acima e o cordeiro bem abaixo. Então o bandido, estimulado por sua goela insaciável, introduziu um motivo de briga:
 – Por que – disse ele – sujaste a água que estou bebendo?
Responde o lanígero:
 – Como posso, pergunto, fazer aquilo que reclamas, lobo? A água corre de ti para os meus goles.
O lobo, repelido pela força da verdade, diz:
 – Seis meses atrás tu falaste mal de mim.
O cordeiro respondeu:
 – Mas eu ainda não tinha nascido.
 – Por Hércules – diz o lobo –, o teu pai falou mal de mim.
E assim, agarrando o cordeiro, o dilacera, num cruel assassinato.
Esta história foi escrita por causa daqueles homens que oprimem os inocentes com razões falsas.” (Fedro)

Pessoas más criam circunstâncias para atacar os inocentes, são capazes de falsear argumentos com afirmações de verdade, como fundamento de sua razão de atacar e oprimir o próximo.

Mesmo que o outro esteja certo e com a razão, não tendo argumentos cabíveis ele parte com voracidade ao ataque a fim de destruir e devorar sua vítima.

Falta caráter, falta razão, existe a arrogância, o desprezo e a falta de respeito, a vontade de fazer o mal prevalece, mesmo que custe uma vida.

A sociedade está cheia de lobos a destruir e devorar os cordeiros, não apenas para saciar sua fome, que seria uma necessidade, ao invés disso, é por pura vontade de acabar com o próximo.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

A RAPOSA E O CACHO DE UVAS


“Uma raposa faminta, vendo alguns cachos de uvas penderem de uma parreira, foi tomada pelo desejo de apanhá-los, mas não conseguiu atingi-los. Enquanto se afastava, ela disse para si mesma: “São apenas uvas verdes.”
Assim também ocorre com alguns homens que, graças à sua fraqueza, não sendo capazes de chegar ao fim de seus atos, acusam as circunstâncias que encontraram.” (Esopo)

A raposa tinha um desejo de comer as uvas, tinha a necessidade de saciar sua fome, mas logo desistiu.

Ela poderia ter tentado superar o obstáculo da distância do solo, pois a parreira estava carregada e os galhos estavam pendendo com o peso das uvas.

Ao invés de assumir que desistiu de algo que poderia alcançar com um pouco mais de esforço, ela culpou as uvas, disse que eram verdes, uma maneira de justificar sua fraqueza, preferiu ficar faminta.

Mesmo que as circunstâncias não sejam favoráveis as conquistas são possíveis, basta tentar, basta se esforçar e persistir para poder alcançar.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

A RAPOSA E A MÁSCARA

“Uma raposa entrou na casa de um ator, vasculhou cada um de seus utensílios e encontrou, entre outros objetos, uma cabeça de espantalho, perfeitamente modelada. Apanhando-a nas mãos, ela disse: “Oh, que cabeça! Mas não tem miolos.”
Esta fábula se aplica aos homens que são formidáveis de corpo, porém desprovidos de espírito.” (Esopo)

A perfeição corporal não é sinônima de perfeição espiritual.

O corpo corresponde às características e aspectos materiais, enquanto o espírito é transcendental, embora se possuam a origem inicial do perfeito, eles são diferentes.

O corpo se adéqua a vida material e o espírito busca sua origem, vai incorporar os valores e conhecimento transcendente.

Muitos homens são perfeitos de corpo e vazios de espírito, vagam pelo mundo, vivem de impulsos, eles buscam o prazer material, outros parecem zumbis.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

A TARTARUGA E A LEBRE

“Uma tartaruga e uma lebre competiam para saber qual das duas era mais rápida. E assim, determinaram um dia e um local com baliza, e se separaram. A lebre, confiando na ligeireza que lhe é natural, não se preocupou com a corrida: deitou-se à beira do caminho e adormeceu. Já a tartaruga, consciente de sua lerdeza, não deixou de se apressar e, correndo à frente da lebre adormecida, chegou ao termo final e conquistou o prêmio da vitória.
Esta fábula mostra que o esforço vence, muitas vezes a natureza indolente.” (Esopo)

O esforço pode superar a técnica, pode chegar a objetivos além dos que foram muito bem planejados.

O que era algo certo pode deixar de ser quando existe um pensamento indolente da razão.

Subestimar o próximo é um grande risco, humilhá-lo é desumano e imoral.

A perseverança, o esforço e a fé trazem uma energia além dos esforços físicos, um incentivo oxigenador que leva a grandes horizontes e conquistas.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A HISTÓRIA DO LADRÃO

“Existe uma história do ladrão que partiu em peregrinação a uma cidade sagrada. No caminho, ele e os outros peregrinos, pararam para dormir em uma estalagem. Sendo viciado em roubar, o ladrão começou a elaborar planos para roubar os pertences dos outros peregrinos. Porém, ele pensou: “Estou indo em peregrinação, portanto, não me parece apropriado roubar estas bagagens. Não, eu não farei isto”. No entanto, por causa de seu vício, ele não conseguiu abandonar por completo o ato. Assim, ele pegou a mala de alguém e a colocou noutro lugar, e depois a mala de alguém e a colocou noutro lugar. Ele passou a noite inteira colocando diferentes malas em diferentes locais, porque sua consciência o importunava, ele não pôde tirar nada das malas.

De manhã, ao acordarem, todos os peregrinos começaram a procurar suas malas e não as encontraram. Houve um grande tumulto, mas por fim todos foram encontrando suas malas em diferentes locais. Após acharem todas as malas, o ladrão explicou: “Senhores, sou um ladrão e tenho o hábito de roubar durante a noite. Portanto, quis roubar alguma coisa de suas malas, porém, pensei que não seria bom roubar uma vez que estou indo a este lugar sagrado. Assim, talvez eu tenha trocado as bagagens mas, por favor, desculpem-me”. Isto é característico de um vício. Ele não quer mais roubar, porém, às vezes o faz pois ainda mantém o hábito.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

O ladrão estava em peregrinação a um lugar sagrado, a busca pelo Senhor começou a mudar sua vida, ele se arrependeu do que fazia e sua consciência pesou.

Embora não conseguisse dominar seu vício, ele buscou forças e mudou a realidade, pois, ao invés de roubar, ele apenas mudou as malas de lugar, deixando as intactas e não as violando.

O ladrão ao final teve coragem de confessar o que era e que foi ele quem escondeu as malas, demonstrou publicamente o sentimento de arrependimento já que buscava o sagrado e foi Deus         quem tocou seu coração e mudou sua vida. Sendo assim, pediu desculpa a todos pelo transtorno causado.

A partir daquela noite, ele passou a ser consciente, ele tentou ser uma pessoa melhor, deu um exemplo de mudança, embora tivesse um passado sombrio e vergonhoso, ele agora procura combater o seu vício e estar ainda mais consciente de Deus.

Ele ao contar publicamente ensinou a outros que ainda é tempo de mudar, de se arrepender pelo que fez, de ser uma boa pessoa e de não prejudicar os outros, e o maior exemplo que transformou totalmente sua vida, buscar a Deus.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

O LEGADO DO SER

“Há algo que fica imantado à existência visível ou invisível de um ser; são os feitos, os pensamentos, as ideias e as palavras que caracterizam sua vida.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

O legado de um ser não são seus bens materiais, não são suas riquezas, pompas e sutilezas.

O legado de um ser são os seus feitos para humanidade, para o meio ambiente, para os necessitados, para a sociedade.

O legado de um ser são seus pensamentos, ideias e palavras, que são luzes, são preceitos, são exemplos, conselhos, artes, um patrimônio material e imaterial que compõem o universo cultural.

O legado de um ser é seu exemplo de vida, suas ações e atitudes, seu jeito de ser, sua humildade, sua prudência, seu jeito de amar, sua capacidade de servir, sua crença, sua fé.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

SER VALENTE

“Ser valente não significa de modo algum a cega exaltação da força interna, porquanto esta deve ser regulada pela própria responsabilidade.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Ser valente é ser responsável, é conquistar seus objetivos sem massacrar pessoas, é ser nobre diante das vitórias.

Ser valente é ser humilde e assumir suas atitudes, é viver com liberdade e harmonia.

Ser valente não é ser arrogante, mas é ser manso e prudente diante das ofensas de terceiros, solucionando conflitos de forma pacífica.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

OS CICLOS DA VIDA

“Os ciclos da vida se tornam tanto mais longos quanto mais intensamente são vividos.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Nem todos sabem aproveitar os bons momentos da vida, as coisas mais simples são as mais marcantes.

A natureza é repleta de belezas, mas tem todos aproveitam o perfume das rosas, as cores das plantas, não percebem as astúcias e acrobacias dos animais.

A família acompanha o homem desde seu nascimento até o fim da vida, seja ela a família biológica ou as aderidas ao longo da vida.

A vida pode ser longa e aproveitada quando o homem vive em harmonia social, quando vive em uma coletividade igualitária, nesses momentos ele também vive mais, preocupa-se consigo e com o próximo, ajuda e é ajudado, serve e é servido.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

A SUPERAÇÃO

“Todo tempo é bom quando nos ocupamos em superar o que sabemos.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

O homem deve aproveitar o tempo, se conhecer melhor, conhecer a Deus e a vida.

O homem deve se superar cada vez mais para não ficar estagnado no tempo, pois a sociedade e o mundo vivem a se transformar e a exigir que o homem possua conhecimento.

O homem que dedica parte do seu tempo para se conhecer melhor poderá se aperfeiçoar, perceber os seus erros, se arrepender e mudar.

O homem que se dedica a conhecer a Deus saberá o motivo da vida, terá uma vida melhor, descobrirá a verdade e viverá bem em sociedade.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

O AMOR MOLDA O HOMEM

“O amor a si mesmo deve levar cada um a aperfeiçoar seu caráter, sua conduta e seus conhecimentos da vida.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

O homem que se ama se cuida, aperfeiçoa suas condutas e pensamentos.

O homem que ama o próximo é humilde, bondoso, possui misericórdia e compaixão.

O homem que ama Deus tem amor a si, ao próximo e a vida, quer o bem de todos, protege os animais, o meio ambiente e preza pelo bem-estar universal.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

A LIBERDADE HUMANA

“O que expõe o homem ao perigo de perder a liberdade é o abuso ou o mau uso que dela se faz.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Todos os homens são livres por natureza e deveriam permanecer livres.

Mas, a liberdade humana recai em um perigo, pois, alguns homens abusam do seu direito de liberdade e querem se sobrepor aos outros, cerceando a liberdade deles.

O abuso ou o mau uso da liberdade aprisiona o homem, que perde seu direito de estar livre na sociedade, sofrendo punições para que aprenda a conviver com os outros e respeitar os direitos alheios.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A CONDUTA HUMANA

“Conforme seja o pensamento que o ser tenha em sua mente no instante em que atue, assim será a conduta observada.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Os homens pensam, muitos pensamentos ficam no seu interior, outros são externados.

Quando o homem põe em prática seu sentimento interior, ele passa a ser visto pela sociedade, que perceberá as ações e omissões dele.

A conduta do homem poderá ser aprovada ou reprovada pelos observadores, mas quando ele estiver apenas pensando estará guardado no seu interior, mas não estará em segredo, pois o nosso Supremo Creador sabe tudo que o homem faz e o que pensa.

A conduta humana sempre será observada pelos homens ou por Deus.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O TENÁRIO DA AMIZADE

“Não se poderia conceber a amizade se ela não fosse presidida pelo tenário simpatia-confiança-respeito.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Uma amizade verdadeira necessita de pilares fundamentais, pois, sem eles, ela será fragilizada e poderá se acabar.

A simpatia aproxima as pessoas, é agradável, uma maneira de identificação humilde e simples.

A confiança produz grandes laços, torna as relações sólidas, duradouras e alongadas enquanto ela existir.

O respeito garante a integridade das amizades, evita indiferenças, é um tratamento humano, com igualdade, vai balizar as relações se amizade.

Muitos outros pilares formam as amizades duram anos e vidas, mas sem esse tenário a amizade fica frágil.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O ESFORÇO FECUNDO

“Todo esforço fecundo sempre gera estímulos que fortalecem o ânimo e asseguram a solidez dos empenhos.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Se o homem se esforça ele vai conseguir, mas não basta somente o esforço, é necessário que ele pense positivo.

O homem que persevera em alcançar seus objetivos é esperançoso e possui uma energia a mais, essa força irradiante o auxilia no desempenho.

O homem com fé e ânimo sempre segue adiante, de cabeça erguida, assim, ele consegue superar barreiras, pois ele não estará sozinho na caminhada, ele seguirá guiado por Deus.

O homem com esforço fecundo é alegre e vibrante, possui forças internas e externas que diretamente influenciam nas suas conquistas.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

EM BUSCA DA FELICIDADE

“Todos nós estamos à procura da felicidade, mas não sabemos o que é a verdadeira felicidade. Vemos tanta propaganda sobre a felicidade mas, na prática, vemos tão poucas pessoas felizes. Isto porque poucos sabem que a verdadeira felicidade está além das coisas temporárias.”
(Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

É com a consciência de Deus que o homem começa a se realizar, essa é eterna, dura para sempre, atinge a sua alma e o seu espírito.

A felicidade material é ilusória, passageira, nunca é plena e nem preenche o homem que passa a vida toda a procurando e não a encontra, assim como o ponteiro de um relógio, vai, vai e acaba por retornar ao mesmo lugar.

Quando o homem vai à busca de Deus ele encontra o caminho da felicidade, com uma plenitude que o faz levitar, ele o faz feliz eternamente.

Essa é a grande diferença das pessoas que se acham felizes com as posses materiais e as que são felizes devido ao amor e a misericórdia de Deus.

A felicidade aparente é material e passageira, enquanto a real é espiritual e eterna.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A MENTE

“A mente é o melhor amigo daquele que a conquistou; mas, a própria mente é o maior inimigo daquele que fracassou em conquistá-la.”
(Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Quando o homem conquista sua mente, consegue fazer com que ela pense de maneira correta, auxilie seu equilíbrio corporal e espiritual ele está dominando-a.

A mente conquistada passa a atuar em seu benefício e se torna sua amiga.

Já a mente inimiga atormenta o homem, vai contribuir para sua instabilidade e seu desequilíbrio, iludirá o homem com pensamentos que o fazem regredir.

Não basta que o homem domine sua mente, é necessário que ele a conquiste e se torne seu amigo.

Para que o homem conquiste sua mente, ele tem de ser positivo, ter fé e esperança, buscar conhecimento transcendente e se alimentar da Palavra de Deus.

domingo, 12 de fevereiro de 2012

LÁGRIMAS

“Lágrimas não são argumentos.” (Joaquim Maria Machado de Assis)

O homem não pode ficar apenas chorando e se lamentando, ele necessita agir.

Lágrimas não justificam argumentos, elas são a demonstração de sentimentos humanos.

Para soluções são necessários argumentos que as resolvam, é necessário agir, pensar, decidir.

O homem deve ficar em movimento, viver aprendendo, crescendo e nunca parando.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

LA TEMPESTAD RUGE

“Es de noche...
La tempestad ruge em el mar...
Los rayos rompen lãs tinieblas,
Los truenos hacen cimbrar la tierra,
La lluvia cae a torrentes,
Olas enormes estallan em la playa solitária...

Se oye uma voz entre la tempestad...
–Señor, ¿por qué?
¿Por qué tengo que experimentar esta tempestad?
Está oscuro y hare frio,
Los rayos me han sacudido,
Los truenos me han cimbrado.
Estoy empapado de lluvia y
Las olas parecen aplastarme
Como a lãs conchas.
¡Perezco, Senõr!

Calladamente, Dios contesta y dice...
–Soy yo, no temas.
Tú pediste crecimiento
Para madurez,
Para alisar esas orillas escabrosas em tu vida.
¿Confiarás em mi lo suficiente para dejarme
Sacudirte,
Quebrarte,
Hasta molerte,
Para que yo pueda rehacerte,
Y cambiarte a mi imagen?

–Sí, Señor,
Ahora entiendo el propósito de la tempestad.
Tu la hás usado para
Cambiarme,
Para rehacerme,
Para formarme
A tu imagen.

–Mi vida es tuya, Señor,
Tuya para empaparla,
Tuya para quebrarla,
Tuya para molerla
Como tu quieras.

Ahora, de repente, há pasado la tempestad,
Las tinieblas se han ido,
Y rompe el Alba.
Prorrumpe el sol,
Bañando el mundo
Con su calor,
Su belleza,
Su paz.

–Señor, ahora comprendo...
Tuve que experimentar la ferocidad
De la tempestad,
Para ahora experimentar la plenitud,
La calma,
El calor,
La belleza
De tu paz.
Amén...” (Judit de Miller)

Na nossa vida encontramos vendavais, tempestades, maremotos, que dão uma reviravolta em nossa vida.

Momentos de calor, frio, tensão, calafrios, desespero, desconfiança, aceleram o comportamento humano, causa uma grande agitação.

Mas há os momentos de paz, de alegria, felicidade, harmonia, calma e quietude, eles também estão presentes.

O homem passa por diversas fases na vida, paixões, ignorâncias, bondades, crescimento, conhecimento, também às vezes quer sumir do mundo.

Mas se ele acredita e tem fé em Deus, sabe que ele não o abandona, descobre que ele deixa o homem vivenciar novos obstáculos para deles tirar lições e aprender.

Sem a intervenção de Deus o homem ia viver e regredir, destruir-se, pois não conseguiria crescer.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

EN LA MAÑANA

“Encontré a Dios em la manãna
Al roderarme placentera calma;
Su presencia vino cual amanhecer,
Como uma gloria em mi alma.

Permaneció todo el día su presencia,
Todo el día estuvo a mi lado.
Navegamos en perfecta quietud
Por mar tempestuoso y agitado.

Otras naves han naufragado;
A otras naves los mares angustiaron;
Pero los ventos que a ellas abatían,
Al puerto de la paz me impulsaron.

Entonces pensé em otras mnãnas,
Con un remordimiento em la mente,
Cuando yo, también, perdí mi amarra,
Dejando atrás al Presente.

Ahora pienso que sé el secreto,
Aprendido en turbulenta vía.
Debes buscar a Dios en la manãna,
Si quieres su presencia todo el día.” (Ralph Cushman)

Em todas as manhãs devemos pedir misericórdia a Deus pelo ontem, agradecer por um novo dia e recomeçar tudo de novo, mas de uma maneira melhor.

Devemos crer e confiar nele, entregar nossa vida em suas mãos, saber que ele vive a nos proteger e quer o melhor para nós.

Quando a paz de Deus invade e preenche o nosso coração nas manhãs, vemos quanto é belo o amanhecer, e estaremos tranquilos até o alvorecer, sentimos sua presença em nossa vida e passamos de forma esperançosa, confiantes e com consciência pelos tormentos diários.

Deus é o pilar que sustenta nossas vidas, sem ele o homem cai, o barco naufraga e afunda, ele nos mantém firmes para seguir os nossos caminhos e destinos, ele é o nosso guia.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

OS MATERIALISTAS E OS ESPIRITUALISTAS

“Só não as têm os materialistas, aqueles para quem Deus é absurdo, a pátria e a família uma comandita; gente que reduz a inteligência a um pouco de fósforo, e a virtude uma convenção. Esses vivem fisicamente; são corpos que se transformam. Nós, porém, que nos remontamos à nossa origem divina, todos temos nossas abusões.” (José Martiniano de Alencar)

Os materialistas buscam algo possível, palpável, comprável, possuem uma vida mercantilista e fugaz, vivem de satisfação dos desejos pessoais, alimentam-se com desejos incontroláveis e sempre querem mais.

Os espiritualistas vivem se aproximando do Deus Todo Poderoso, possuem um estilo de vida de desapego, consomem o necessário, vivem com amor, buscando sabedoria, alimentando seu espírito com o que é bom e divino, deixando de lado as coisas fúteis.

Dois modos de vida, em direções opostas, às vezes com um pouco de cada em sua vida, mas que levam à fins diversos. Enquanto um causa regressão o outro faz progredir, não há um crescimento material, e sim um espiritual e de fé.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

VIDA E EXISTÊNCIA


“É a sua alma que me acompanha ou é a minha lembrança que a tem sempre viva e presente ao meu espírito? Seja o que for, isso me consola e me restitui a felicidade que perdi. Que necessidade tenho eu de investigar este mistério ou dissipar esta ilusão? Não há maior mistério e maior ilusão do que a vida; e nós vivemos sem conhecer, nem a nossa origem, nem a realidade de nossa existência.” (José Martiniano de Alencar)

O homem vive, carrega consigo as lembranças da vida, a experiência, mantém vivo fatos, verdades, histórias, ilusões e muitos mistérios.

Alguns vivem a vida, existem neste mundo, acreditam em uma ilusão vivida ou investigam uma realidade onde ele se encontra, são formas humanas de pensamento.

Crer no Supremo Creador, aceitar a origem divina, saber que a vida é passageira, dessa forma o homem vai compreendendo sua existência, com fé no mistério divino e não buscando soluções humanas e exatas à ele, pois o homem é limitado e Deus não possui limites.

Se o homem busca esfacelar a realidade ao máximo, ele chega em um ponto inexplicável, se a vida é ilusão, quanto mais se busca conhecer a ilusão, mais o homem fica tolo e iludido.

Quando o homem aceita Deus e nele aprofunda seu conhecimento ele vive e compreende sua existência, embora viva em um mundo de ilusão ele saberá da verdade e da realidade.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

OS INDÍGENAS


“Homens cultos, filhos de uma sociedade velha e curtida por longo trato de séculos, queriam esses forasteiros achar nos indígenas de um mundo novo e segregado da civilização universal uma perfeita conformidade de idéias e costumes. Não se lembravam, ou não sabiam, que eles mesmo provinham de bárbaros ainda mais ferozes e grosseiros do que os selvagens americanos.” (José Martiniano de Alencar)

Muitos escritores narram uma imagem pessimista dos indígenas, tratando-os como selvagens e animais, mas são seres humanos iguais aos outros e até inocentes em um modo de vida simples e retirando da natureza o necessário para viver.

Muitas vezes encontramos homens exploradores, maldosos e gananciosos com uma imagem de heróis, ao mesmo tempo, a imagens dos índios é deturpada, os caracterizam com uma imagem do rude, do grosseiro e irracional, mas ele vivia tranquilo, seu espaço foi invadido e sua cultura foi sendo destruída.

Homens racionais, de ideias e ideais, conquistadores e desbravadores, polidos por riquezas culturais e desenvolvimento educacional, moral e religioso. Mas ao mesmo tempo esquecidos de suas origens, cometendo atos irracionais e tratando pessoas como seres inferiores simplesmente por viverem em um local com uma cultura diferente.

Ao invés de aprenderem com uma nova cultura, tentaram dominar os povos, escraviza-los, dizimá-los, excluí-los e destruir a riqueza cultural e natural que eles possuíam.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

AS CRIATURAS




                                                                      Dalai-Lama

“As criaturas que habitam esta terra em que vivemos, sejam elas seres humanos ou animais, estão aqui para contribuir, cada uma com sua maneira peculiar, para a beleza e prosperidade do mundo.” (Dalai-Lama)

No mundo encontramos homens inteligentes, que inventam coisas que facilitam a vida humana e não prejudicam o meio ambiente.

Homens iluminados que contribuem para formação das pessoas, em caráter, preceitos, vivência social, educação, crescimento religioso e espiritual.

Homens que cuidam da saúde, da alimentação, para que possamos manter o equilíbrio biológico e ambiental do nosso corpo, das plantas e dos animais.

Os animais e as plantas embelezam o mundo, com cores exóticas, movimentos acrobáticos, simples atos que nos divertem com demonstrações de amor e carinho.

Cada pessoa que existe no mundo vem com uma missão, vem para contribuir de alguma forma, ninguém vem ser inútil, todos temos direitos, deveres e obrigações. Todos nascemos com dignidade e ela deve ser respeitada, todos temos direitos que devem ser preservados, e todos temos a obrigação de proteger o meio ambiente e contribuir com o mundo.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

SER PACIENTE


“Quando somos pacientes, coisas que normalmente consideraríamos muito dolorosas acabam não parecendo tão ruins. Ao contrário, quando não existe a tolerância paciente, até as menores contrariedades parecem insuportáveis. Tudo depende de nossa atitude diante dos fatos.” (Dalai-Lama)

Ser paciente faz do homem mais esperançoso, mais confiante, ele cresce na fé, pois, quando existe a paciência mais fácil fica de se chegar à solução de um problema.

O homem impaciente muitas vezes sofre desnecessariamente, quando poderia estar calmamente esperando, ele está destruindo seus nervos e entrando em uma crise profunda.

Grandes momentos de guerra, dor e sofrimento podem ser uma nuvem passageira quando o homem é paciente, aceita a situação e supera as dificuldades.

O homem precisa ser tolerante consigo, com a sociedade e com o meio em que ele vive, para não tomar atitudes drásticas que o levem ao desespero e agravem cada vez mais a situação.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

UMA AUTO AVALIAÇÃO


“Em primeiro lugar, deveríamos avaliar nossa própria atitude para com os outros e verificar constantemente se estamos agindo bem. Antes de apontar o dedo para os outros, devemos apontá-lo para nós mesmos. Em segundo lugar, devemos estar preparados para reconhecer nossos erros e procurar corrigi-los.” (Dalai-Lama)

O homem deve se auto avaliar constantemente, muitos homens julgam o próximo, fazem juízos de valor, acham-se corretos enquanto os outros são errados, mas, na verdade ocorre o contrário, os outros podem ser os certos e eles os errados.

Antes de procurar defeitos nos outros e tentar corrigi-los, o homem tem de olhar para si e ver os seus erros, assumir o que foi feito, corrigir o que está errado. Mesmo assim ele não pode julgar os outros, pois o homem não é perfeito.

Os homens são imperfeitos e se acham corretos, quando deveriam buscar viver a sua vida e ajudar os outros, de forma bondosa e sem interesses pessoais, dessa forma ele vive bem consigo e com os próximos.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

AS BOAS QUALIDADES HUMANAS


“As boas qualidades humanas – honestidade, sinceridade e um bom coração – não podem ser compradas com dinheiro e nem produzidas por máquinas ou mesmo pela mente. Nós chamamos isso de luz interior.” (Dalai-Lama)

As boas qualidades humanas são demonstrações de sentimentos, de comportamento, de ações durante sua existência terrena.

Elas são demonstradas ao longo da vida, são desenvolvidas e aperfeiçoadas, parecem ser inerentes ao homem desde o seu nascimento e crescimento.

Os homens de bom coração possuem qualidades, que são boas não só para ele, mas também para sociedade.

Qualidades que não se fabricam e que não se compram, mas que encontramos em homens de bom coração.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

A EXISTÊNCIA DO AMOR


“Se existe amor, há também esperança de verdadeiras famílias, verdadeira fraternidade, verdadeira igualdade e verdadeira paz. Se não há mais amor dentro de você, se você continua a ver os outros como inimigos, não importa o conhecimento ou o nível de instrução que você tenha, não importa o progresso material que alcance, só haverá sofrimento e confusão no cômputo final.

O homem vai continuar enganando e subjugando outros homens, mas insultar ou maltratar os outros é algo sem propósito. O fundamento de toda prática espiritual é o amor. Que vocês o pratiquem bem é meu único pedido.” (Dalai-Lama)

O amor é base e esperança para as famílias, as famílias que vivem do amor prosperam, são unidas, vivem em harmonia, sabem viver e perdoar mesmo diante dos erros e desentendimentos que possam surgir.

O homem que ama, é verdadeiro, fraterno, possui olhos e pensamentos de igualdade, não possui inimigo, pois, busca solucionar seus problemas de forma pacífica e harmoniosa, evitando ferir os outros, evitando mágoas e pensamentos que reduzem o homem e o empatam de progredir.

O homem que ama vive na paz, vive no amor e na devoção, busca viver bem e quer que os outros também estejam e vivam bem, proporcionam o bem comum para toda humanidade.

O homem que vive com amor também vive a progredir, é cheio de esperança e bons pensamentos, sua fé é crescente e ele espalha amor onde passa.