Follow by Email

segunda-feira, 27 de junho de 2011

A FAMÍLIA SE ALTERA COM AS TRANSFORMAÇÕES SOCIAIS

"O enfraquecimento e a dissolução das últimas comunidades éticas a sobreviver às grandes transformações das sociedades modernas, e que aparentemente pareciam essenciais à própria constituição da sociedade humana, como a família, apresentam-se, talvez, como o efeito mais visível do processo de integração das mais diversas formas de sociedade no âmbito ou no espírito (ou na ideologia) da civilização universal moderna. (Paulo Meneses)

O homem encontrava na família uma base para sua formação e vida em sociedade, desde criança era preparado para enfrentar o mundo, sabia compreendê-lo antes mesmo de conhecê-lo.

Mas a sociedade mudou o conceito de família também mudou, hoje é muito mais amplo, e perdeu uma de suas características, pois, nem sempre a família exerce seu papel de base para preparação da pessoa, com isso, o indivíduo busca outras formas de aprendizado.

A família ainda é uma base de formação, nem sempre exercendo essa função, e na falta disso, ocorre uma substituição dos desejos e do sentimentalismo individual, que substitui os pensamentos e ideologias de comunidade ética. O pessoal prevalece sobre o universal, trazendo sérios problemas à sociedade.

Esse é mais um drama pós-modernos, famílias dissolvidas, pensamento individualista, perda e desvalorização dos princípios éticos, a comunidade dá lugar ao egoísmo e os olhos se fecham para realidade.