Follow by Email

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

AS VIRTUDES E O HOMEM VIRTUOSO


“As virtudes passam como os rios,

Mas o homem virtuoso não deixa de ser o que é.” (Henry David Thoreau)

Os homens podem ser cada vez mais ou cada vez menos virtuosos, assim, a quantidade de virtudes que o homem possui aumenta ou diminui.

As virtudes absorvidas pelos homens podem deixar de existir, podem ser passageiras, repentinas e logo viram águas passadas.

O homem virtuoso deixará de existir quando sua vida humana acabar, sua alma abandonar o seu corpo, mas, o homem que é virtuoso sempre pode ser o que é enquanto sua vida durar, ele não é obrigado a deixar suas virtudes de lado e passar a ser o que não é.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

A VONTADE DE PROCESSAR


“O fim compensa os meios. Não é o prosaico interesse pecuniário, mas a dor moral da injustiça sofrida que impele a vítima a instaurar o processo. O que se tem em mente não é recuperar o objeto do litígio – talvez, como muitas vezes ocorre em casos como esses, ele o terá dado a uma instituição de caridade, para fixar os verdadeiros motivos que o conduzem ao litígio. O que pretende é fazer prevalecer seu bom direito. Alguma coisa no seu interior lhe diz que não pode recuar, que não se encontra em jogo o valor do objeto em litígio, mas sua personalidade, sua honra, seu sentimento de justiça, seu auto-respeito. Em poucas palavras, o processo transforma-se de uma questão de interesse numa questão de caráter: o que está em jogo é a afirmação ou a renúncia da própria personalidade.” (Rudolf von Ihering)

Primeiro o homem pensa no que pode ganhar ou perder com o processo, depois ele busca os meios de satisfação dos seus desejos.

Muitas vezes se processa por interesses pecuniários, sejam eles por uma reparação ou pela chance de lucrar.

Mas também existem as pessoas que processam devido a um abalo moral sofrido, não por vingança, mas para compensar uma dor, o constrangimento, a aflição sofrida, o dinheiro não paga a injustiça sofrida, mas o processo existe para punir, dar exemplo, ensinar, evitar que aquela situação corra novamente e faça outros sofrerem.

Alguns utilizam a reparação material e/ou pecuniária para benefício próprio ou de seus familiares, mas também, existem os que doam os valores para instituições de caridade ou para pessoas necessitadas.

Outros querem ver seu direito respeitado e realiza-o através do processo, eles acreditam na Justiça e buscam a materialização daquele direito que foi violado ou deixou de ser respeitado.

A vontade de processar pode partir de interesses, de honra, caráter, sentimento de ver a Justiça prevalecer sobre a injustiça, de respeitos, de cidadania e também da vontade de lucrar com as reparações materiais ou pecuniárias.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

O CANTO DE LOUVOR


“Eu estou satisfeito com o que tenho. Sou feliz com o meu Deus, meu cântico, minha devoção. A devoção a Deus é o cântico do meu coração, e minha felicidade está toda nesta canção. Vossa canção será mais clara, mais espontânea, mas quando eu canto meu coração está completamente cheio. Pode um homem desejar mais alguma coisa quando tem o coração cheio? Na minha canção nós dois somos irmãos, e eu não me deixo perturbar pela vossa canção.” (Jiddu Krishnamurti)

O homem que vive em conexão com Deus é feliz e satisfeito com o que tem.

O homem que louva a Deus é feliz, ele canta com amor e devoção ao Senhor.

O homem canta com a pureza interior, a chama acesa de Deus que existe na sua alma.

Com o canto de louvor, o coração humano fica cheio de alegria e felicidade, de amor a Deus, seu interior fica preenchido e não há lugar para o vazio.

O canto de louvor deixa o homem mais próximo de Deus, sua presença é cada vez mais sentida e percebida, o amor e a devoção crescem cada vez mais.

domingo, 27 de janeiro de 2013

OS SOFRIMENTOS DAS CONSEQUÊNCIAS DOS SONHOS



samsritir na nivartate
svapne vicarato yatha

 


“Às vezes sofremos porque vemos um tigre num sonho ou uma serpente numa visão, mas, de fato, não existe nem tigre e nem serpente. Assim, criamos uma situação em forma sutil e sofremos as consequências. Não podemos mitigar esses sofrimentos a menos que despertemos de nosso sonho.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

O que vemos em sonhos e visões podem nos fazer sofrer, isso dependerá da forma que recepcionarmos essas visões.

Muitas vezes o homem acorda e não sai do sonho, então aquela visão pode o fazer sofrer até que ele acorde do sonho e caia na real.

Esses sofrimentos causados pela cegueira do pensamento ou da aceitação de uma ilusão causam aflições aos homens que vivem como sonâmbulos.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

TRANSFERINDO A CARGA DE UM LUGAR PARA OUTRO


yatha hi purusho bharam

 


“Um homem poderá carregar uma carga sobre sua cabeça, colocando a carga no ombro. Dessa maneira, ele tentará aliviar-se da carga. Contudo, qualquer processo que ele invente para anular a carga não fará nada mais que mudar a mesma carga de um lugar para outro.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

A transferência da carga de um lugar para outro não anula seu peso, não trará alívio, pois, o peso será o mesmo e o alívio esperado não existirá.

Enquanto a carga não for totalmente anulada, seu peso não cessará, não importa para que lugar seja ela transferida, a carga sempre irá pesar.

Os homens vão buscando maneiras de se aliviarem da carga, pois elas geram um incômodo a eles, porém, Deus creou a matéria e só ele é quem vai aniquilá-la, os homens apenas fazem crias a partir da matéria.

As transferências da cargas são incômodos na tentativa de encobrir outro incômodo, ou seja, ao invés dos homens solucionarem o problema da carga, eles acabam somando dois problemas e assim sucessivamente.

Deus pode anular as cargas e reduzir os sofrimentos humanos, para que isso ocorra, é preciso crer nele e se render a ele, se o homem não fizer isso, ele irá acumular as cargas e sofrimentos enquanto durar sua vida humana.

Deus da a paz e o alívio aos homens.

 

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

AS MARAVILHAS NO MUNDO


“Maravilhas nunca faltaram ao mundo; o que sempre falta é a capacidade de sentí-las e admirá-las.” (J. Schimidt)

Deus creou muitas maravilhas neste mundo, mas nem todos os homens as percebem, podem sentí-las ou admirá-las.

Muitos homens estão tão apegados a coisas fúteis que se esquecem de observar as maravilhas no mundo, as belezas naturais.

Enquanto as populações mais antigas admiravam e vivenciavam as maravilhas e belezas naturais quando descobertas, as novas gerações vivem uma vida artificial.

As distrações artificiais vão ocultando as maravilhas e tornando a vida cada vez mais artificial.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

SITUAÇÃO E DIREÇÃO


“O mais importante da vida não é a situação em que estamos, mas a direção para a qual nos movemos.” (Oliver Wendell Holmes)

Se estivermos em uma situação, podemos sair dele indo para uma direção.

Se nos movermos para uma direção correta, poderemos sair de uma situação desfavorável.

Mas, se nos movermos para uma direção errada estaremos mais envolvidos e enlaçados na situação.

As situações podem ser transformadas, pois, nem todas são impossíveis de serem alteradas e/ou superadas.

As direções levam aos progressos, regressos e mudanças de situações, mas também existem as direções que nada alteram e a situação permanece do mesmo jeito.

As situações são estáticas e as direções dinâmicas, quando nós cairmos em uma situação, necessitaremos continuar com a mesma direção ao qual nos movíamos ou mudarmos para uma nova direção.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A CONCLUSÃO DEFINITIVA DAS ESCRITURAS


sastreshv iyan eva suniscito nrinam
asanga atma-vyatirikta atmani

 


“Segundo a conclusão definitiva das escrituras, após devida consideração, a meta última para o bem-estar da sociedade humana é o desapego do conceito corpóreo da vida e o crescente e inabalável apego ao Senhor Supremo, que é transcendental, estando além dos modos da natureza material.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Todas as Escrituras ensinam ao homem o modo de viver e o caminho para eternidade e vida junto ao Senhor Supremo, pois, as Escrituras transmitem a Palavra de Deus.

Elas promovem o desapego e o bem-estar da sociedade humana, pois se os homens vivem na bondade e eles buscam transcendê-la, eles vivem em harmonia social, pois, ali paira a bondade e a paz entre eles.

Elas ensinam os homens a amarem a Deus e ao próximo, a se libertarem dos limites corpóreos e materiais a caminho da vida eterna, que se inicia quando o homem passa a amar e aceitar o amor de Deus, ele cresce espiritualmente e vive de acordo com a vontade de Deus.

 

domingo, 20 de janeiro de 2013

ACYUTA E CYUTA


“Acyuta refere-se àquele que não cai por nunca ser influenciado pelos modos da natureza material. Ao cair de sua posição original ao mundo material, a entidade viva torna-se cyuta, o que significa que ela se esquece de sua relação com Acyuta. Na verdade, toda a entidade viva é parte integrante, ou filha, da Suprema Personalidade de Deus. Ao ser influenciada pelos modos da natureza material, a entidade viva se esquece desta relação e pensa em termos de diferentes espécies de vida; porém, quando volta novamente à sua consciência original, ela não observa tais designações corpóreas.”
(Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Quando somos Acyuta não sofremos as influências da natureza material, pois, estamos no plano espiritual junto da Suprema Personalidade de Deus, em plenitude de amor, perfeição e serviço devocional.

Quando nos tornamos cyuta sofremos todas as influências da natureza material e passamos a viver no mundo material como seres vivos, com a chama de Deus dentro de nossos corpos representando a alma que nos torna vivos.

Acyuta possui a plena consciência de vida, amor e serviço devocional a Deus, suas ações são além da bondade, ou seja, transcendentes a ela, não existindo espaço para as paixões e ignorâncias.

Cyuta perde a consciência do amor e do serviço devocional ao Senhor, perdendo também a noção e o conhecimento de sua origem espiritual, passando a aprender a vida sob as influências da natureza material, vivendo num mundo entre bondades, paixões e ignorâncias.

Enquanto as Acyutas vivem para o espírito e para o serviço devocional ao Senhor, as cyutas vivem para o corpo e os desfrutes ilusórios do mundo material.

Quando as cyutas retomam sua consciência original, elas passam a viver para Deus mesmo estando no mundo material, vão substituindo os desejos materiais corpóreos pelos desejos espirituais do amor a Deus e o serviço devocional.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O RESULTADO E O PARALELOGRAMO DAS FORÇAS


“Muitas vezes o resultado é idêntico ao do paralelogramo das forças: verifica-se um desvio da linha primitiva, que passa a progredir na diagonal. Só assim se explica que não raro certas instituições há muito condenadas pela opinião pública ainda consigam sobreviver por bastante tempo. Não é a inércia histórica que proporciona essa sobrevivência, mas a resultante dos interesses empenhados na defesa se sua posição.” (Rudolf  von Ihering)

Um resultado pode vir de algo planejado, esperado, previsível, mas também pode vir de algo desejado e alcançado pelo paralelogramo das forças.

O planejamento tende a conquistar resultados de forma linear e crescente, as estratégias buscam ser mais eficazes que as forças desordenadas.

O paralelogramo das forças age com a união das forças e cresce de forma diagonal, muitas vezes igual ao resultado estratégico e planejado.

As estratégias sobrevivem, são aperfeiçoadas, sempre possuem uma força que as leve adiante e as faça crescer novamente.

O paralelogramo das forças usa força e desejo, união, mas não dura para sempre, pois, as forças podem ser reduzidas e a união se transformar em desunião. Com a mudança de ideias e ideais, as forças buscam outros rumos e se unem a forças diversas.

As estratégias são resistentes ao tempo e as mudanças, suas forças a defendem de forma constante e sem desperdícios, enquanto o paralelogramo das forças pode fraquejar e as forças acabarem, migrarem ou serem vencidas após o desperdício de forças e desejos desenfreados.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

A FRAGATA QUE LEVA A TERRAS E MUNDOS DISTANTES


“Não há melhor fragata que um livro para nos levar a terras distantes.” (Emily Dickinson)

Os livros são fragatas que nos levam á terras e mundos distantes.

Viagens de conhecimento e fantasia, mistérios e descobertas.

Uma viagem fantástica, calma, cheia de perfumes e sentimentos que nos fazem refletir e sentir as paisagens e momentos.

As ondas e os ventos conduzem essa viagem na fragata, que é balançada pelos sons da leitura.

Essa viagem possui destinos certos, mas por mais distantes que sejam as terras e mundos, os leitores estão na viagem e a fragata os leva a esses lugares encantados.

Cada pessoa que embarca nessa fragata pode chegar a lugares diversos, ver paisagens únicas, fazer descobertas que não estão aos olhos dos outros passageiros, mas cada um deles vai ter uma maravilhosa viagem.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

A APARÊNCIA MISTERIOSA DA EXISTÊNCIA


“Quanto menos inteligente um homem é, menos misteriosa lhe parece a existência.” (Arthur Schopenhauer)

Os mistérios da existência vão sendo compreendidos pelos homens através do conhecimento humano e científico, esse conhecimento é limitado e não desvenda todos os mistérios existenciais.

As escrituras e Deus revela ao homem a verdade existencial, de acordo com sua capacidade de compreender, a ele vai sendo revelado através de sinais no mundo material, sonhos, compreensão, esse conhecimento vem diretamente de Deus e é ilimitado e infinito.

Existem os homens que vivem atoa na vida, não buscam nenhum dos conhecimentos, querem se divertir e conhecer as coisas materiais, não sabem eles que é pura ficção, essa aparente forma de existência não tem mistérios, tudo é fácil e perceptível para estes homens que vivem acordando e dormindo nos sonhos da ilusão de uma aparente existência.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

A VIDA É UMA VIAGEM A TRÊS ESTAÇÕES


“A vida é uma viagem a três estações: ação, experiência e recordação.” (Julio Camargo)

As ações geram alterações no mundo, também consequências, os homens podem agir de forma boa ou má e sofrerá ou viverá com as rações decorrentes de seus atos.

Com as vivências, alegrias e sofrimentos decorrentes das suas ações, os homens vão aprendendo e o acúmulo desse aprendizado vai formando uma experiência que adquirida ao longo da vida.

As recordações humanas evitam que novos erros sejam cometidos, pois o homem já aprendeu e sofreu as consequências deles. Mas as recordações também fazem o homem saborear as alegrias vividas durante a vida, os bons momentos cheios de felicidade.

Durante a viagem da vida, os homens passam e repassam pelas três estações.

domingo, 13 de janeiro de 2013

A MENTE É A GRANDE ANIQUILADORA DO REAL


“A mente é a grande aniquiladora do real.” (Helena Petrovna Blavatsky – H. P. B.)

A mente cria ilusões que afastam o conhecimento da realidade, quanto mais alimentado o seu poder de criação, mais ela vai substituindo a realidade pela fantasia.

O real está dentro de cada ser vivo, a verdade é a revelação de Deus, o seu conhecimento o seu amor e seu plano para nossa vida.

A mente faz com que o homem se apegue cada vez mais as fantasias do mundo material, se o homem não a controlar, ele se desliga a realidade existencial e passa a viver de forma inconsciente.

Quando o homem deixa transparecer sua alma, sua consciência vai aumentando, ele vai seguindo a vontade de Deus, percebendo seus sinais e revelações, caminha para uma vida de felicidade após o fim da vida humana. Em vez de aniquilar a realidade existencial com sua mente, ele passa a vivenciar essa realidade e a compreender o mundo material e o mundo espiritual.

sábado, 12 de janeiro de 2013

A OPINIÃO PÚBLICA


“A opinião pública é um tirano invisível, intangível, onipresente; uma hidra de mil cabeças; é a mais perigosa das bestas, pois é composta de mediocridades individuais.” (Helena Petrovna Blavatsky – H. P. B.)

A opinião pública é formada por várias ideias e pensamentos individuais, no que eles convergem forma uma opinião que não é definitiva, mas momentânea e inesperada.

Cada pessoa que expõe suas opiniões e desejos possui pré-conceitos que jogam influências na opinião pública, que pode ser manipulada e bombardeada de interesses individuais predominantes sobre uma coletividade que não percebe as opiniões e ideiais que estão seguindo.

As mediocridades individuais formam as opiniões públicas que trazem o mal para sociedade, a falta de prosperidade, de harmonia, de liberdade, de igualdade, de fraternidade e solidariedade, dando espaço para hipocrisia e desordem social.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

NADA É UNIFORME NA NATUREZA


“Nada é uniforme na natureza. A Terra está cheia de irregularidades que vão desde o deserto mais inóspito até o pico nevado da montanha. Os seres humanos seguem a mesma lei. A grande maioria, entretanto, é plana, sem qualquer atração. Só poucos seres, psicologicamente falando, atingiram as culminâncias das montanhas. Pouquíssimos são os Himalaias do espírito. Esses picos isolados não são compreendidos pelos homens da planície. Surgem daí o ataque, a crucificação, as lanças, as balas, a cicuta, os aviões assassinos cruzando os céus, recursos usados pela mediocridade em defesa de sua tranquilidade ameaçada.” (Helena Petrovna Blavatsky – H. P. B.)
 
Assim como as irregularidades da Terra, os homens são seres dotados de imperfeição, mas, ao mesmo tempo a Terra e os homens também possuem perfeições que nenhum homem pode crear, pois são creações da perfeição que somente Deus possui.

A maioria dos homens vive no deserto, no vazio, perdidos nas areias, são movidos pelos vendavais, não possuem coragem de subir até o pico nevado da montanha, uns possuem medo de conhecer aquela nova vida, outros não acreditam que ela exista, e muitos preferem viver no deserto a procura de tesouros em um oásis, muitos se iludem com as falsas miragens do deserto.

Os homens da planície se acham fixos em um local seguro, sem precipícios ou montanhas, à eles essa vida deve ficar cada vez mais alargada de riquezas materiais, se achando ainda no direito de se aproveitar daqueles que vivem no deserto ou estão a caminho das montanhas. A vida das montanhas para eles não faz sentido, pois a vida da planície é muito melhor e mais segura, os homens do deserto podem ser escravizados por eles a qualquer momento. Esses homens se acham cheios de direitos e poder, acham que a matéria é tudo e o espírito não é nada.

Chega um momento que as montanhas são descobertas, muitos homens da planície querem ir até elas, e os homens do deserto querem se libertar, nesses momentos os homens da planície enlouquecem, pois sentem-se ameaçados e pequenos naquele mundo e vida fantasiosa criados por eles. Sua mediocridade é tão grande que eles partem para o ataque, para destruição sem limites.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

COISAS CONTRA NATUREZA HUMANA


“As coisas contra a natureza que os homens, levados pela louca imaginação, pensam serem prazeres, consideram-nas eles um obstáculo e não uma contribuição para a felicidade, quando se apoderam de alguém, obcecando o seu espírito com uma falsa idéia do prazer, não deixando lugar algum para o prazer natural e verdadeiro.” (Thomas More)

Os homens entram em loucuras imaginárias e imagináveis, sentem falsos prazeres em situações passageiras e que a eles não trazem a verdadeira felicidade.

Os falsos prazeres desnorteiam os homens, ao invés de eles seguirem a caminhada natural de sua vida e a recuperação da consciência perdida, eles caminham na ilusão.

A felicidade é encontrada com o prazer natural e a verdade, não com ilusões e desenganos prazeres que geram uma maior infelicidade.

O prazer natural e verdadeiro decorre do amor e não dos desejos e malícias materiais que vão contra a natureza humana.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

MOLDANDO A VIDA



“É dever de todos moldar sua vida de tal maneira que sua próxima vida seja proveitosa.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

O homem vive apegado ao mundo material, porém, seu destino, é retornar ao mundo espiritual, local onde ele se originou e pode servir a Deus com toda pureza, amor e devoção, desfrutando de um imenso prazer que não pode ser desfrutado no mundo material.

Se o homem não molda sua vida, ele não fica consciente e nem cresce espiritualmente, ele quer gozar dos sentidos materiais, se deleitar em falsos prazeres e ilusões que deixam nele um imenso vazio, pois, são fictícios e passageiros.

O homem tem de aceitar a vontade de Deus e viver de acordo com ela, assim, ele vai moldando sua vida e se desapegando do mundo material, sua alma vai sendo elevada ao mundo espiritual graças às bênçãos e graças de Deus.

Transcender ao mundo espiritual é o objetivo que todos os seres vivos buscam, porém, as ilusões materiais vão cirando empecilhos e laços que aprisionam eles e os deixam inconscientes.

Com essa mudança de vida e as bênçãos de Deus o homem morre e sua alma parte para vida eterna, uma vida de amor, verdade, prazer, devoção, alegrias e felicidades, onde não existe lugar para os sofrimentos e ilusões materiais.

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

OS SERVIÇOS PRESTADOS AO SENHOR

tvam pratyag-atmani tada bhagavaty ananta

 


“Recuperando assim tua posição natural e prestando serviço ao Senhor Supremo, que é o reservatório todo-poderoso de todo o prazer e que vive em todas as entidades vivas como a Superalma, mui brevemente te esquecerás da compreensão ilusória de “eu” e “meu”.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

A compreensão de “eu” e “meu” são ilusões do mundo material, pois, no mundo espiritual tudo é do Senhor Supremo e as superalmas que transcendem o mundo material e chegam ao mundo espiritual esquecem essas ilusões materiais e se dedicam a servir ao Senhor com amor e devoção.

As almas servirão ao Senhor com prazer, prazer esse que só podemos sentir com a realização do serviço devocional, pois o Senhor é o reservatório e a fonte de todo o prazer.

O prazer que sentimos enquanto estamos no mundo material faz parte do prazer do Senhor que está presente em todas as entidades vivas.

No mundo material os homens possuem uma compreensão ilusória de “eu” e “meu”, como se fossem donos de si mesmo e possuíssem as coisas, isso também faz parte do apego material, apego ao corpo humano e as coisas materiais.

Se os homens praticam o serviço devocional, eles vão elevar sua alma e começar a se desapegar do corpo humano e das coisas materiais, eles receberam a consciência do Senhor e iniciarão o processo de libertação das suas almas.

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

O CORPO E A ALMA


“A entidade viva é constitucionalmente pura. Asango hy ayam purusah. Na literatura védica se diz que a alma é sempre pura e não contaminada pelo apego material. A identificação do corpo com a alma deve-se a má compreensão.”
(Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

Os seres vivos possuem corpo e alma, mas apesar da alma estar unida ao corpo, ela permanece pura, já o corpo, sofre as influências do mundo material.

A alma é pura e após o fim da vida humana fica livre do mundo material, ela não possui apego algum.

O corpo é apegado ao mundo material, vive enquanto permanece nele e sua vida também se encerra neste mundo.

A alma humana é desapegada, mas o homem já nasce com apego ao mundo material, ele não possui a consciência espiritual de sua alma, mas ao longo da sua vida ele pode conscientizar-se e começar a se desapegar das coisas materiais e crescer espiritualmente.

Quando o homem passa a ser consciente de Deus, ele cresce espiritualmente, vai descobrindo as verdades da vida, do mundo material e do mundo espiritual. Esse conhecimento infinito vai se revelando e ele percebe que cientificamente não iria descobrir.

O homem busca a pureza que existe no interior da sua alma e vai se libertando das mazelas materiais.

domingo, 6 de janeiro de 2013

A ORIGEM DA MANIFESTAÇÃO CÓSMICA


“A Suprema Personalidade de Deus, que é a origem da manifestação cósmica, oculta-Se sob as atividades maravilhosas da natureza material, assim como o espaço exterior ou a iluminação do sol e da lua às vezes são cobertos por nuvens ou poeira. É muito difícil encontrar a origem da manifestação cósmica; portanto, os cientistas materiais concluem que a natureza é a causa final de todas as manifestações.”
(Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

A Suprema Personalidade de Deus é infinita, é a fonte da sabedoria, da verdade, Deus é o Supremo Creador.

Os homens são Creados por Deus, possuem origem divina e um corpo humano material, são sujeitos às influências do mundo material e suas energias.

Deus é perfeito, infinito e eterno, sua energia espiritual interior é a fonte de toda energia material exterior da creação.

Os homens são criaturas de Deus, são seres imperfeitos, finitos e limitados, alguns deles sentem-se autônomos e superiores a Suprema Personalidade de Deus, mas chegam a ocasiões que demonstram sua condicionada inferioridade.

Quando os homens buscam desvendar todos os mistérios do mundo material, eles não conseguem e acabam por tirar conclusões das realidades existentes e das manifestações materiais, mas na verdade, todo o mundo material não passa de uma ilusão, por isso, eles não conseguem desvendar os mistérios e nem descobrir a verdade.

A Suprema Personalidade de Deus é a fonte de toda a verdade e a origem da manifestação cósmica, os homens observam as manifestações de Deus nas maravilhas creadas, nos gestos de bondade humanas, nos sinais que Deus revela aqueles que estão em comunhão com ele.

sábado, 5 de janeiro de 2013

O SÁBIO COMO ASTRÔNOMO


“O sábio como astrônomo. Enquanto sentires as estrelas sempre “por cima de ti”, é porque não possuis ainda o olhar do homem que sabe.” (Friedrich Wilhelm Nietzsche)

O sábio não sabe tudo e nem por isso ele deixa de ser sábio.

Os sábios são humildes e sabem que acima deles existe Deus, a fonte de sabedoria, de verdade, de bondade, de amor, a eternidade.

Os sábios vivem na terra e olham as estrelas, caminham para eternidade, pois vivem na terra e realizam a vontade de Deus, possuem um contato íntimo e constante com ele.

Os sábios são agraciados com dons e bênçãos de Deus, eles iluminam o mundo e acendem chamas apagadas, trabalham para manter as chamas acesas e assim os homens vão sendo conduzidos a buscar o caminho da verdade, a se aproximarem de Deus.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

CONHECE-TE A TI MESMO


“Durante o período pré-histórico, o período mais longo da história da humanidade, o valor ou não valor de um ato deduzia-se das suas consequências. O ato em si interessava tão pouco como a sua origem. No entanto, mais ou menos do mesmo modo que ainda hoje, na China, qualquer distinção ou vergonha do filho se reflete nos pais, era também o efeito retroativo do êxito ou insucesso que fazia o homem pensar bem ou mal de uma ação. A este período, chamemos de período pré-moral da humanidade. Por essa época, ainda era desconhecido o imperativo “conhece-te a ti mesmo!” (Friedrich Wilhelm Nietzsche)

As pessoas não eram conhecidas, mas a elas eram imputados atos e fatos cometidos por terceiros, a culpa era familiar e suas consequências também.

O bom ato gerava elogios tanto a quem cometeu quanto aos seus familiares, do mesmo modo que os atos de vergonha e maldade também eram imputados a todos, a pessoa em si continuava sendo desconhecida.

No período da pré-moral, os valores eram bem extensos, pois eles não ficavam restritos a pessoa analisada, pois, também eram julgados os seus familiares, amigos e quem estivesse ao seu redor, o “diga quem são e direi quem tu és” prevalecia, a pessoa individualmente continuava desconhecida.

Finalmente a pessoa passou a ser conhecida como ser humano, cidadão, as ações e atitudes de uma pessoa deixou de ser transferida para os demais, pois, os fatos foram individualizados e as responsabilidades passaram a ser atribuídas a quem deixou de cumprir com suas obrigações.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

O CINISMO


“O cinismo é a única forma sob a qual as almas torpes tocam ao de leve no que se chama sinceridade. O homem superior deve apurar o ouvido perante qualquer variante do cinismo, e felicitar-se de cada vez que ouve as idiotices do farsante despudorado ou do sátiro científico.” (Friedrich Wilhelm Nietzsche)

O cinismo nega, desestimula e esconde a sinceridade.

O cínico mente, ilude, engana, falseia, cria fantasias que se passam por verdades daqueles que não as percebem ou não as escutam.

Quando nosso ouvido escuta as idiotices e inverdades cínicas, ele passa a ficar mais apurado, ou seja, ele escuta e nos demonstra que aquilo é falso e não possui sinceridade.

Com um bom ouvido e atenção podemos descobrir as farsas dos cínicos e não cairmos nas situações e ilusões criadas por eles.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

ÓDIO E TEMOR SÃO ATITUDES NEGATIVAS DA ALMA


“Ódio e temor são atitudes negativas da alma, e é sabido que toda atitude negativa, quando diuturnamente alimentada, acaba por envenenar o seu autor. O homem que odeia volta-se contra a pessoa de quem julga ter recebido injúria e que, por isso, considera seu “inimigo”, procura pagar-lhe mal com mal e, possivelmente, com o maior dos males físicos, a morte.” (Huberto Rohden)

O ódio e o temor não engrandecem o homem, nada trazem de positivo, suas atitudes e consequências são negativas.

O temor e o ódio quando alimentados tendem a crescer, a dominar o homem, que fica descontrolado e cada vez mais incontrolável, cada vez mais envenenando sua alma com o mal.

O homem movido pelo ódio é incapaz de perdoar, ele quer vingança, quer acabar com seus inimigos e com quem tiver lhe feito algum mal.

O homem que odeia não quer apenas fazer o mal, pois, ele chega a querer a morte do próximo.

O ódio e o temor tornam o homem doente espiritual e psiquicamente, chegando a causar consequências também fisicamente que vão dominando o ser humano e o impedindo de agir e pensar, fechando ele para o mundo.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

O ALARGAMENTO INTERNO


“Um ser autoconsciente, como o homem, possui ilimitada capacidade ou potencialidade de alargamento interior, de expansão interna, ou seja, de perfectibilidade.” (Huberto Rohden)

O alargamento interior é possível, pois, Deus nos dá a vida aqui na terra, sua chama está a acesa no interior do nosso corpo enquanto durar a vida humana.

Mas, muitos homens se afastam de Deus e essa chama continua pequenina em nosso interior, porém, não se apaga e sempre pode ser ampliada.

O homem é uma potência de Deus, se ele vive em conexão com Deus, ele é capaz de alargar seu interior, pois viverá na terra de forma diferenciada e transcenderá a bondade.

A perfectibilidade humana cresce com o alargamento interior, pois, ele passa a viver desapegado do materialismo e a se libertar das paixões e ignorância do mundo e da vivência em sociedade.

O homem passa a ser autoconsciente, ou seja, antes sua consciência vivia importunando ele devido aos erros cometidos e ao viver de forma errante, agora ele possui a consciência do que é certo e errado, se errar já saberá que está errando, se acertar, está caminhando pela verdade e aumentando sua potência interior.