Follow by Email

domingo, 31 de março de 2013

FELIZ PÁSCOA





A Páscoa é a comemoração da passagem da escravidão para liberdade.

É a comemoração da Ressurreição de Jesus Cristo após sua morte por crucificação.

A festa da Páscoa celebra a vitória do bem sobre o mal, Jesus Cristo morreu e levou consigo os pecados do povo de Deus escravizados pelo pecado, quando ressurge em glória liberta e salva o seu povo do pecado.

É tempo de renascimento, de fé e crescimento espiritual, relembramos o sofrimento pelo qual passou Jesus Cristo, e da sua vitória por amor ao Pai e do Pai por amor ao seu povo ao sacrificar seu filho amado e unigênito para poder libertar seu povo do pecado.

Por isso a Páscoa é importante, é celebrada com bastante alegria e felicidade, é demonstração das Luzes de Deus no mundo, da ardilosa missa de Jesus Cristo e da importância de sua vinda ao planeta terra trazendo uma mensagem de paz e amor ao mundo.

Uma Feliz Páscoa para todos.


sábado, 30 de março de 2013

CONTINUE SUBINDO



Subindo o rio...

foto de Maurício André Anjos
 


“O almirante Joe Fowler serviu nas duas Guerras Mundiais. Como arquiteto naval, projetou duas das maiores aeronaves americanas. A USS Lexington e a USS Saratoga. Ele se aposentou da Marinha em 1948. Pouco depois, Walt Disney pediu para ele dirigir o projeto e construção de seu primeiro parque temático na Califórnia. Nada semelhante havia sido feito antes. Fowler não apenas concluiu o projeto em 1955, como também administrou a operação do mesmo por muitos anos. Mais tarde, quando Disney quis construir outro parque temático na Flórida, chamou Fowler para fazê-lo. Fowler concluiu o projeto em 1971, aos 71 anos. Fim da história? Não, quando Fowler tinha 87 anos, Disney chamou-o novamente para construir um parque temático futurista chamado Epcot Center. Em 1993, ele completou o trabalho, e aposentou sua prancheta de desenho aos 99 anos. Missão Cumprida!” (Autor Desconhecido)

Na vida existem montanhas a serem escaladas, podemos passar por todas elas, são desafios que nos trazem crescimento.

Existem outros caminhos que contornam as montanhas, por eles os objetivos também são alcançados, mas eles embora sejam mais fáceis, não trazem o crescimento e o conhecimento que é proporcionado aos escaladores das montanhas.

Quando estamos escalando as montanhas e enfrentando grandes desafios, passamos por transformações em nossas vidas, ficamos mais próximos de Deus, aumentamos a nossa fé e a nossa espiritualidade, pois, com a ajuda dele superamos os grandes desafios.

Deus nos dá força para subir, para resistir, para não retroagir, para nos levantar diante dos tropeços, das quedas, dos escorregões e deslizes que temos na vida. Ele nos guia ao alto e ao outro lado da montanha, pois, com ele somos vencedores e vitoriosos.

Recebemos missões ao longo da vida humana, e podemos cumprir todas as missões se fizermos as escolhas corretas.

sexta-feira, 29 de março de 2013

ESPÍRITO E MATÉRIA




Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada



“Um especialista que entende de solo pode saber onde há ouro e então escavar o local correto. Depois, pode analisar a pedra e, com ácido nítrico, dosar a quantidade de ouro. Do mesmo modo, deve-se analisar todo o corpo para encontrar dentro deste a alma espiritual. Ao estudar seu próprio corpo, a pessoa deve indagar se sua cabeça é sua alma, se seus dedos são sua alma, se sua mão é sua alma e assim por diante. Dessa maneira, ela deve imediatamente rejeitar todos os elementos materiais e as combinações de elementos materiais que formam o corpo.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)


Quando se estuda a matéria, alguns dos seus aspectos e características podem ser determinados por métodos e análises, ou uma simples observação.

Quando se estuda o espírito, é necessário ter fé, crer em Deus, ser orientado segundo as Sagradas Escrituras que expressam a palavra de Deus, é necessário transcender a matéria.

A matéria é procurada dentro da própria matéria, mas ela é creada pelo espírito, tudo tem origem espiritual, Deus é o creador e o homem é o criador.

O espírito está dentro do nosso corpo material, somos creados por Deus, é nele que devemos buscar as explicações e não na matéria.

As respostas espirituais são verdadeiras, é Deus quem fala pelas escrituras, pelos fenômenos e pelas pessoas. Já as respostas materiais, podem sem simples e errôneas suposições.

Sem o conhecimento não se consegue discernir o que é terra e o que é ouro, bem como o que é corpo e o que é alma.

quinta-feira, 28 de março de 2013

O CAÇADOR DE PÁSSAROS


Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 


lubdhako vipine kascit
pakshinam nirmito 'ntakah

 


Certa vez, havia um caçador que atraia os pássaros com alimento e capturava-os após espalhar uma rede. Ele vivia como se a morte personificada o houvesse designado a um matador de pássaros.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

O caçador atraia os pássaros para sua armadilha, dava alimentos de forma amigável e os aprisionava maldosamente com sua rede.

O caçador era a morte vivendo na terra, pois, ele sentenciava os pássaros a morte após tirar a liberdade deles, não satisfeito com a captura ele os matava e tirava o direito deles viverem.

O caçador é um aniquilador da vida e do amor, seu desejo de caça nunca o satisfaz e sempre ele quer mais, mesmo que tenha de ir extrapolando todos os limites existentes.

O caçador vai se tornando cada vez mais obsessivo e torna-se uma presa do mundo material, quanto mais ele caça, mais ele é aprisionado.

Enquanto o caçador mata, ele esquece que um dia também irá morrer, sua felicidade é matar e sua tristeza será morrer.

 

quarta-feira, 27 de março de 2013

A COMPAIXÃO É UMA QUALIDADE




André Comte-Sponville


“A compaixão é o contrário da crueldade, que se regozija com o sofrimento do outro, e do egoísmo, que não se preocupa com ele. Tão certamente quanto esses são dois defeitos, a compaixão é uma qualidade.” (André Comte-Sponville)

A compaixão não é uma penalidade, ela é sensibilidade com a situação do próximo.

Ao invés do egoísmo de ser alguém independente e despreocupado com a sociedade, a compaixão se preocupa com o próximo e quer vê-lo em uma situação melhor.

O sofrimento da compaixão é um sofrimento do bem, é solidário, não prejudica ninguém.

A compaixão é ter um sentimento de simpatia com o próximo, ter misericórdia e piedade diante de seus sofrimentos.


terça-feira, 26 de março de 2013

A GENEROSIDADE




André Comte-Sponville


“Que também se possa assim satisfazer a justiça, certamente é possível (dar a alguém o que, sem ainda lhe pertencer, sem mesmo lhe caber segundo a lei, lhe é devido de uma maneira ou de outra: por exemplo, dar de comer a quem tem fome), mas isso não é necessário nem essencial à generosidade.” (André Comte-Sponville)

A generosidade não se trata apenas de dar a cada um o que é seu, ela vai muito mais além disso, pois, ela dá a quem não tem, o que nos sobra, o que não nos faz falta, mas falta ao outro, e até dar uma parte maior do que a nossa.

A generosidade vai além da justiça, que dá segundo a lei e os preceitos, enquanto a lei possui limites, a generosidade é ilimitada.

A generosidade é simples e espontânea, é um ato de amor e não possui interesses. É ser solidário com o próximo e buscam o bem-estar de todos.

O generoso é desapegado do materialismo, é bondoso, não é egoísta, e oferece com amor.


segunda-feira, 25 de março de 2013

ÉPOCAS DE CONTRA-HUMANISMO




Paulo Bonavides


“Verdadeiros oásis, à sua sombra vem o escritor refrigerar-se das altas temperaturas de egoísmo que escaldam a sociedade e lá fora lhe paralisam o ânimo e a iniciativa e não raro a crença mesma na proficuidade dos esforços dirigidos á arte criadora. Oásis – devo eu dizer – necessário, quando se vive época de contra-humanismo e coação sufocante sobre a consciência e o pensamento.” (Paulo Bonavides)

O egoísmo contribui para o fim da humanidade, é aniquilador do humanismo.

O egoísmo é contra o Creador, pois, Deus prega o amor, a partilha, o perdão, o desapego, a preocupação com o próximo.

O contra-humanismo sufoca a consciência e o pensamento, mas, isso não é motivo para ficarmos inertes ou sermos vencidos, pois, Deus nos ajuda a vencer o contra-humanismo e o egoísmo.

Temos uma armadura e um escudo para nos defendermos do contra-humanismo, além de uma espada da vitória que o derrota sem violência.


domingo, 24 de março de 2013

LA COSA MÁS GRANDE EN EL MUNDO EL AMOR



Henry Drummond


“El amor es sufrido, es benigno; el amor no tiene envidia, al amor no es jactancioso, no se envanece; no hace nada indebido, no busca lo suyo, no se irrita, no guarda rencor; no se goza de la injusticia, mas se goza de la verdade. Todo lo sufre, todo lo cree, todo lo espera, todo lo suporta.” (Henry Drummond)

É importante amar a Deus e amarmos uns aos outros, essa é a melhor maneira de viver nesse mundo, pois, sem amar a Deus, estaremos vivendo nas infelicidades desse mundo.

O homem que não ama se torna duro e frio como o metal, sem amor somos pobres e frios, não encontramos nenhuma satisfação em viver, tudo passa rapidamente e nunca encontramos o que procuramos. Sem amor, a vida inteira é um vazio, um abismo escuro.

O homem que ama Deus possui fé e esperança, humildade, gratidão, vive com felicidade e alegria.

O amor tem paciência, amabilidade, benignidade, generosidade, humildade, cortesia, perdão, sinceridade, justiça, verdade, respeito, esperança, desinteresse, muitos elementos formam o amor e o tornam grandioso e importante para a vida humana.


sábado, 23 de março de 2013

CULTIVE A PACIÊNCIA


“Cultive a paciência. Muitas vezes ouvimos dizer: “Preciso disto ou daquilo, e preciso já!” Não só é importante aquilo que precisamos, mas também a forma como o conseguimos. O desejo intenso de alcançar uma meta imediatamente impede-nos de sentirmos a satisfação do esforço, da paciência, da dedicação e do sacrifício que a sua conquista exige.” (Autor Desconhecido)

Com paciência podemos ter grandes e maravilhosas conquistas, plantando a paciência colheremos bons frutos.

Será que precisamos de tudo? Qual o motivo para precisarmos disso e daquilo? Quais benefícios isso trará em nossa vida?

Algo é tão importante assim para necessariamente ter de imediato? Será que é indispensável? Não há nada mais importante que isso?

Se algo é importante, a forma como conseguimos também é, pois, nem tudo depende apenas de esforço humanos, há algo mais, algo que não está subordinado ao nosso tempo, e sim nós é que estamos subordinados a ele.

Com paciência, esforço, dedicação e sacrifícios, seguindo a conduta correta, nós poderemos saborear essas conquistas, essas vitórias não são nossas, são transcendentes, são bênçãos de Deus.

quinta-feira, 21 de março de 2013

APRENDA A TOLERAR


“Aprenda a tolerar, mas nunca apoie uma conduta errada. O amor que você mostra aos outros não deve ser condicionado. Respeitar é querer. Querer é respeitar.” (Autor Desconhecido)

Tolerar é preciso, mas, apoiar uma conduta errada é um erro que não pode ser confundido com a tolerância.

O amor deve ser natural, incondicionado e não surgir ficticiamente a partir da existência de condições interesseiras.

O respeito deve existir sempre, quem respeita quer respeito e quem quer algo, tem de ter respeito às condições necessárias à realização de seu objetivo.

quarta-feira, 20 de março de 2013

A TEMPERANÇA




André Comte-Sponville


“A temperança é essa moderação pela qual permanecemos senhores de nossos prazeres, em vez de seus escravos. É o desfrutar livre, e que, por isso, desfruta melhor ainda, pois desfruta também sua própria liberdade.” (André Comte-Sponville)

Quem age com temperança desfruta com bondade, liberdade e humildade.

O temperante não abusa dos prazeres ilimitados, ao invés disso, ela desfruta de uma maneira muito melhor os prazeres com moderação.

Com a temperança desfrutamos de prazeres com alegrias e felicidades, pois, a temperança é uma virtude e não uma tristeza.


terça-feira, 19 de março de 2013

DEUS APENAS PEDE QUE ACEITEMOS O QUE ELE NOS OFERECE




Dr. Michael Youssef


“Mesmo com todo o desejo que Deus tem de manter um relacionamento com você, ele não violará a livre vontade que ele te deu. Ele não o pressionará. Não te tomará, forçará, nem te levará para a eterna segurança com ele, se você não quiser isso. Precisamos aceitar o que Deus nos oferece.”

As much as God longs to be in a relationship with you, He will not violate the free will that He has given you. He will not force Himself upon you. He will not pick you up and carry you to eternal safety with Him if that is not your desire. (Dr. Michael Youssef)

Deus oferece a vida eterna, mas dá o livre arbítrio ao homem, não força ele a aceitar a salvação, mas oferece várias oportunidades.

Deus ama seus filhos e busca estar em comunhão com eles, mas nem todos querem, preferem viver afastados e às vezes sequer acreditam em Deus.

O amor do Pai é tão grande, que ele oferece amor gratuito, distribui bondade e misericórdia mesmo àqueles que não acreditam nele ou não aceita o que ele oferece.

Deus apenas pede que aceitemos o que ele nos oferece.


segunda-feira, 18 de março de 2013

PERDIDO OU ENCONTRADO




Dr. Michael Youssef


“Cada pessoa enquadra-se em uma destas categorias: perdido ou encontrado. Não existe a possibilidade de estar “um pouco perdido” ou “um pouco encontrado” quando se trata de sua condição espiritual e seu relacionamento com Deus. Espiritualmente cada um de nós está perdido ou encontrado.”

Every person falls into one of these categories: lost or found. There is no such thing as being a “little bit lost” or “a little bit found” when it comes to your spiritual condition and your relationship with God. Spiritually, each of us is lost or found. (Dr. Michael Youssef)

Existem pessoas perdidas e pessoas encontradas, isso depende do relacionamento delas com Deus, as que seguem as ideias e os ideais do mundo material estão no caminho da perdição, mas os que seguem a vontade de Deus estão no caminho do encontro com ele.

Não existe um meio termo entre perdidos e encontrados, apenas alguns caminham a passos lentos ou tentam se encontrar por meios errados enquanto encontram a orientação para seguir o bom caminho.

Nosso espírito quer ir ao encontro de Deus, mas o mundo nos atrai para meios de perdição, depois do encontro com Deus, podemos viver nesse mundo e não cairmos na perdição.

Se amarmos a Deus estaremos encontrados, mas, se amarmos o mundo estamos perdidos.

domingo, 17 de março de 2013

TRANSFORMAÇÕES NA VIDA




Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol


“A vida se transforma, certamente, com a simples troca dos pensamentos que a sustentam moral, psicológica e espiritualmente. Se alguém crê desnecessário mudar a vida que leva e está de acordo em suportá-la, que faça o que lhe agrade ao entendimento e à sensibilidade; mas devemos fazê-lo notar, isso sim, que perde uma inestimável oportunidade: a de tomar contato com uma nova realidade, que corresponde a outro modo de viver e apreciar a vida, de dimensões muito superiores ao que se conhece.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

A vida se transforma com a mudança de pensamentos, embora estejamos no mesmo local, passamos a enxergar a vida e a viver de uma forma diferente.

Passamos a viver melhor e ter uma vida melhor, deixando de lado coisas que nada contribuíam para o nosso crescimento, que nos amarravam a um ponto cego e ilusório.

Quem não aceita as mudanças, necessita aguentar uma vida de sofrimentos desnecessários e enlaçados em ilusões e que causam regresso com o passar do tempo. Mas a vida é passageira e depois o tempo de mudar pode acabar.

Todos tem a chance de viver uma vida melhor e apreciar uma realidade e um sabor livre de ilusões, basta querer, basta acreditar e mudar de vida.


sexta-feira, 15 de março de 2013

FAMILIARIZANDO-SE COM OS ENSINAMENTOS




Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol


“Familiarizar-se com o ensinamento é acolhê-lo como hóspede grato ao sentir; é oferecer-lhe o calor de um afeto que se vai acentuando à medida que ele corresponde com seus valiosos conhecimentos.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Quanto mais se acolhe os ensinamentos, mais eles são compreendidos.

O ensinamento é um hóspede valioso e grato a quem o recebe.

Os ensinamentos transmitem conhecimentos, basta querer recebê-los.

Quanto maior o afeto com os ensinamentos, mais ainda vamos nos familiarizando com eles.


quinta-feira, 14 de março de 2013

O CAMINHO ASCENDENTE DA APROXIMAÇÃO DE DEUS



Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol


“Os avanços nesse caminho ascendente configuram um processo de aproximação, de assimilação progressiva dos desígnios cósmicos, que o espírito absorve à medida que é capaz de compreender a altíssima finalidade desse processo de aproximação ao Deus único, dono e senhor de tudo quanto existe. Interpretar com precisão sua Vontade, plasmada em suas Leis, é haver alcançado a sensatez necessária para não infringi-las.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Quanto mais for ascendente esse caminho, maior será a aproximação de Deus.

Os desígnios de Deus vão sendo assimilados cada vez mais, eles vão sendo revelados ao homem.

Quanto mais se amarmos e servirmos a Deus, maior será nossa capacidade de assimilação e compreensão de sua vontade.

Quanto mais se absorve a Palavra e a Vontade de Deus, alimentos espirituais do homem, mais ainda o homem aprenderá a respeitar e não infringir as Leis de Deus.

Cada vez mais o espírito vai se elevando e se aproximando de Deus.

 

quarta-feira, 13 de março de 2013

TRÊS ÂNCORAS




Rui Barbosa de Oliveira


“Veritas carissima.

Três âncoras deixou Deus ao homem: o amor da pátria, o amor da liberdade, o amor da verdade.

Cara nos é a pátria, a liberdade mais cara, mas a verdade mais cara que tudo. Pátria cara, carior-Libertas, Veritas caríssima. Damos a vida pela pátria. Deixamos a pátria pela liberdade. Mas pátria e liberdade renunciamos pela verdade. Porque este é o mais santo de todos os amores. Os outros são da terra e do tempo. Este vem do céu, e vai à eternidade.” (Rui Barbosa de Oliveira)

Com as três âncoras o homem pode viver, sem elas, ele viverá por viver, terá uma vida sem sentido.

Com a âncora da pátria o homem terá amor a terra, ao mundo material.

Com a âncora da liberdade, o homem terá amor a vida humana, ao respeito e aos direitos da vida em sociedade.

A âncora principal é a âncora da verdade, é o amor a Deus, sem ela, nenhuma das outras âncoras terá êxito seja qual for o modo de vida do homem.

As âncoras da pátria e da liberdade são terrenas, temporárias.

A verdade é a âncora mais cara, imprescindível, é uma verdade eterna.

Para levarmos a âncora da verdade, podemos renunciar as âncoras da pátria e a da liberdade, pois a âncora da verdade leva o homem ao amor de Deus.


terça-feira, 12 de março de 2013

SUPERANDO A INÉRCIA MENTAL E VOLITIVA




Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol


“Desde os alvores da atual civilização, foram se somando, dia após dia, os que nenhum esforço fazem para superar sua inércia mental e volitiva. Das faculdades de sua inteligência, só funcionam com preponderância a imaginação e a memória. As demais trabalham e trabalham só por necessidade ou por alguma premência, observando-se sempre uma acentuada insuficiência, devido à sua habitual inércia. Estamos nos referindo à maioria dos seres, ao homem que não organizou seu sistema mental de modo que todas as faculdades de seu mecanismo inteligente funcionem, alternada e ativamente, no ofício construtivo que devem desempenhar.” (Carlos Bernardo González Pecotche – Raumsol)

Os homens que só pensam em trabalho e mais trabalho, acúmulo de riquezas e mais riquezas, acabam vivendo apenas para seu corpo, esquecem-se de trabalhar seu espírito e vivem em uma situação de inércia mental e volitiva.

Quando o homem decide trabalhar seu espírito, estimula sua inteligência, a memória, a imaginação, são sonhadores, buscam evoluir sua mente.

Os homens que superam a inércia mental e volitiva, trabalham e cuidam de seu espírito, mantém um equilíbrio entre o corpo e a mente, organizam seu sistema mental de forma inteligente, buscam o bem e a verdade.

segunda-feira, 11 de março de 2013

O PRISMA FILOSÓFICO




Paulo Bonavides


“Tanto os fatos como as instituições e as idéias, matérias desse conhecimento, podem ser tomados como foram ou deveriam ter sido (consideração do passado), como são ou devem ser (compreensão do presente) e como serão ou deverão ser (horizontes do futuro).” (Paulo Bonavides)

O prisma filosófico analisa o presente, o passado e o futuro, na forma do que é ou deveria ser hoje, o que foi ou deveria ser no passado, e como será ou deveria ser o futuro.

A observação ocorre mediante considerações, compreensões e projeções de um futuro esperado.

O prisma filosófico reflete sobre o que é ou deve ser, o que foi ou deveria ser e o que será ou deverá ser, com bases em considerações e expectativas, ao invés de meras especulações, prevalecendo a compreensão das realidades.

Dessa forma, o contexto histórico é sempre relevante, os aspectos polêmicos e transitórios também, assim, vão sendo formadas as projeções doa horizontes futuros.


domingo, 10 de março de 2013

A PRUDÊNCIA




André Comte-Sponville


“A prudência não é uma ciência; ela é o que faz as suas vezes quando a ciência falta. Só se delibera quando se tem escolha, em outras palavras, quando nenhuma demonstração é possível ou suficiente. É então que é necessário querer não apenas o bom fim, mas os bons meios que conduzem a ele!” (André Comte-Sponville)

A prudência é uma virtude, não é uma ciência, mas na presença e na ausência da ciência, ela é importante.

O prudente age com cuidados, segurança, buscam sempre um bom fim, com amor nos seus atos e atitudes.

O prudente possui ética, bom senso e convicção, prevê consequências e procura evitar que ocorram situações negativas diante de suas escolhas.

O prudente agente com modéstia e paciência possui atitudes e pensamentos pacíficos.

A prudência supõe as certezas, nesse aspecto se diferencia da ciência que supões verdades diante de incertezas, podendo tais suposições científicas serem grandes imprudências.

sábado, 9 de março de 2013

OS PRISIONEIROS DA CAVERNA




Padre Henrique Claudio de Lima Vaz


“Os prisioneiros da Caverna, discutindo sobre as sombras que vêem passar diante de si, vivem, na verdade, a ficção do livre-arbítrio, do oscilar daqui e dali entre objetos irreais. O prisioneiro libertado avança através de objetos reais, pelo exercício da liberdade de escolha orientada pelo mais real, isto é, pelo melhor. Finalmente, a liberdade atinge o ápice de seu itinerário quando o prisioneiro libertado pode contemplar o Sol, imagem do Bem em si, real realíssimo. É então plenamente, liberdade de autonomia.”(Padre Henrique Claudio de Lima Vaz)

Os prisioneiros da caverna vivem num mundo de escuridão e de sombras, convivem com fantasmas e com a irrealidade.

Eles vivem entre a fé, a obediência a Deus e o livre arbítrio, o desespero da prisão, da vivência com a rotina fechada e a falta de liberdade.

Se os prisioneiros buscam o melhor, eles não perdem a fé, eles acreditam que podem se libertar da caverna e atingir a liberdade do exterior, a volta ao encontro das realidades.

Se os prisioneiros se acostumam com a caverna, eles viverão ali até o momento de sua morte, ou até que alguém os liberte das sombras.

A consciência dos que tem fé a preservada pela busca e pela crença do melhor, mas quando os prisioneiros se entregam a falta de liberdade, eles se tornam inconscientes.

Quando os prisioneiros se libertam da caverna, eles encontram a luz, se maravilham ao contemplar o Sol, sentem a presença de Deus em suas vidas e a resposta de que valeu a pena esperar, pois aquele momento chegaria.

Eles permanecem com o livre arbítrio, a autonomia, mas o modo de enxergar a realidade jamais será o mesmo, pois, eles saíram da escuridão e das sombras para as luzes do mundo.

sexta-feira, 8 de março de 2013

PARABÉNS A TODAS AS MULHERES







Dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher.

Se as mulheres não existissem, a humanidade também não estaria existindo, pois, o dom da maternidade foi dado à mulher e através delas, muitas vidas surgem no mundo.

Cheias de belezas e mistérios, são frágeis e ao mesmo tempo fortes, sabem decidir, pensar e agir por sabedoria.

Possuem uma sensibilidade comovente, cheias de delicadeza e talento, possuem o dom de tudo embelezar.

Cheias de alegrias, merecem admiração, dignidade e respeito, receber amor, pois elas dão amor ao mundo.

As mulheres devem ser amadas, admiradas, lembradas e respeitadas todos os dias.

Ser mulher é benção e é dadiva, parabéns a todas as mulheres.

Feliz Dia Internacional da Mulher.

 

quinta-feira, 7 de março de 2013

OS DIREITOS IMPÕEM QUE AS PESSOAS SE CONDUZAM COM JUSTIÇA




Michel Miaille


“Evidentemente que todos os direitos impõem que as pessoas se conduzam com justiça, que respeitem este ou aquele valor. Mas isso são preceitos muito gerais, regras morais, se se atender a um enunciado tão abstrato. O que é importante é conhecer a que justiça faz ele alusão, que forma assume o respeito pelo próximo, etc. ora, estas precisões, não pode o direito natural dá-las.” (Michel Miaille)

As pessoas devem se conduzir com justiça, essa é uma ordem dos direitos, pois, muitas pessoas deixam de respeitar valores e precisam ser coagidos a respeitarem.

O direito é composto de normas jurídicas, estabelecidas para regular as condutas humanas e normas tornadas jurídicas, ou seja, aquelas que vieram dos costumes, das normas morais. Enquanto as normas jurídicas possuem mais concretude, as normas morais são conceitos abstratos e genéricos, afinal, a moral se realiza quando é aceita pelo homem.

A justiça deve estar ao acesso de todos, bem como todos devem conhecer a justiça, essa é uma meta que ainda não foi atingida, mas que a realidade vem sendo alterada e busca atingir esse fim.

O homem que conhece a justiça a infringe sabendo que poderá ser punido, já o que desconhece, pode chegar a infringir a lei sem estar consciente do que faz, ou seja, sua ignorância faz com que ele erre inconscientemente.

O que o direito natural não conseguiu impor, as normas jurídicas devem impor.

Se os homens deixam de se respeitarem, o direito vai impor que eles se conduzam com justiça, buscando preservar a harmonia, a paz e o bem-estar social.

 


quarta-feira, 6 de março de 2013

O DIREITO DAS GENTES



Imperador Flávio Pedro Sabácio Justiniano – Flavius Petrus Sabbatius Justinianus – Justiniano, o Grande – Justiniano I


“Todos os povos que se regem por leis e costumes usam, em parte, do seu próprio direito (jus civiles), e em parte de um direito comum a todos os homens. (...) O direito que a razão natural constituiu para todos os homens é observado igualmente por todos, chamando-se direito das gentes, isto é, direito de que usam todos os povos. (...) O direito das gentes é comum a toda espécie humana.” (Flavius Petrus Sabbatius Justinianus – Justiniano)

O direito das gentes é comum a todos os povos, consistem em leis, regras e preceitos humanos e que evoluíram junto da sociedade.

O direito das gentes surgiu com a civilização humana, era necessário regrar a vida dos aglomerados de pessoas (gentes), que correspondiam ao conjunto dos pequenos grupos de pessoas (gens) que estavam unidos por laços sanguíneos ou supostos.

O direito das gentes primava pela ordem e a boa conduta entre eles, o respeito, a obediência, a humanidade entre eles, nesse aspecto, o direito das gentes se diferencia do direito natural que tem em sua essência a espiritualidade das leis.

O direito das gentes surge no embrião da sociedade e a acompanha, preserva a ordem e os valores da humanidade, dignidade, o bem-estar social, tudo isso fundamentado em leis humanas e sociais.

 


terça-feira, 5 de março de 2013

O HÓSPEDE E O HABITANTE




Friedrich Adolf Trendelenburg


“Para que o pensamento seja consequente, importa possuir um sistema tanto quanto é necessário ter uma casa. Mas eu acho que uma casa habitável e adequada ao meu espírito deve ser construída por mim mesmo; e quero que ela seja como que móvel, feito uma tenda, e, pelo menos, passível de ser facilmente aperfeiçoada. Na altura em que me encontro, não posso passar de um hóspede.” (Friedrich Adolf Trendelenburg)
 
Um pensamento precisa de um alicerce, de uma base sólida, para que ele cresça, que se concretize, mas que não fique engessado, ele precisa ser flexível.

Um sistema tem uma estrutura definida, uma lógica, um planejamento, permite que ele sofra mutações sem perder sua estabilidade e sua centralidade.

Um local habitável é estruturado, possui definições e regras, existe um domínio, as pessoas que ali habitam se sentem acolhidas e seguras.

Um local de hospedagem é passageiro, transitório, quem ali se hospeda, sabe que ali não ficará, mas por ali também poderá passar novamente, esse local não oferece tantas garantias e seguranças quanto a nossa casa, o nosso lar.

Uma habitação móvel não fica parada no tempo e nem cai no esquecimento, ela é dinâmica, leve como uma tenda e sempre pronta para ser habitada passe o tempo que passar. Podendo ser cada vez mais aperfeiçoada, sempre será aconchegante e acolhedora.

O mundo está cheio de hóspedes e habitantes dos pensamentos.


segunda-feira, 4 de março de 2013

A POLIDEZ





André Comte-Sponville


“A polidez é a primeira virtude e, quem sabe, a origem de todas. É também a mais pobre, a mais superficial, a mais discutível. Será apenas uma virtude? Pequena virtude, em todo caso, como se diz das damas de mesmo nome. A polidez faz pouco caso da moral, e a moral da polidez. Um nazista polido em que altera o nazismo? Em que altera o horror? Em nada, é claro, e a polidez está bem caracterizada por esse nada. Virtude puramente formal, virtude de etiqueta, virtude de aparato! A aparência, pois, de uma virtude, e somente a aparência.” (André Comte-Sponville)

Ser polido é o primeiro passo que é dado para o homem ir desenvolvendo virtudes, é a virtude mais fácil de ser apresentada pelo homem.

A polidez passa a ter um maior valor quando o homem passa a ter outras virtudes, pois, ela sendo a única virtude do homem não demonstrará grandeza, pois, suas características não virtuosas irão predominar.

A moral faz pouco caso da polidez, pois, existem muitos polidos imorais, com esse comportamento a polidez é uma etiqueta e uma virtude apenas aparente.

A polidez é um valor ambíguo, pois, quando associada à etiqueta e sem outras virtudes, possui um valor suspeito, insuficiente e pode ser uma característica de uma pessoa hipócrita.

A polidez tem valor quando está associada a moral e às outras virtudes. Ela é mais uma aparência de virtude do que uma virtude real, pois, seu valor é relativo e ela sozinha não tem um valor.

domingo, 3 de março de 2013

A VIRTUDE É UMA FORÇA QUE AGE OU QUE PODE AGIR





André Comte-Sponville


“O que é uma virtude? É uma força que age, ou que pode agir. Assim a virtude de uma planta ou de um remédio, que é tratar, de uma faca, que é cortar, ou de um homem, que é querer e agir humanamente.” (André Comte-Sponville)

A virtude está presente nos seres vivos e nos objetos, existe em forma de uma força que age ou pode agir.

A virtude tem poder e é poder, é o valor que possui o ser, o objeto, suas boas ações. As virtudes não são idênticas, pois os seres vivos possuem um tipo de virtude e os objetos outras, umas não se aplicam as outras.

As virtudes possuem objetivos para o bem, o bem-estar, a utilidade, a força de agir e de poder agir é quem vai determinar. Pois, o valor das virtudes nem sempre age adequadamente, nem por isso perdem seu valor. Por isso que a virtude é uma força que age ou que pode agir.

sábado, 2 de março de 2013

A POESIA VIVE CONOSCO




Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero


“A poesia vive conosco, palpita no seio da humanidade, é um dos seus predicamentos imanentes. O homem interior reforma-se com as evoluções da história e novas inspirações se mostram no seio da literatura. Na vasta obra da poesia e da arte, transformada pela ciência e pelas novas inclinações da cultura contemporânea, todos os assuntos têm o direito de apresentar-se.” (Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero)

A poesia vive nos corações dos homens, em alguns está dormindo, em outros está sonolenta, enquanto em outros vive acordada e palpitando constantemente.

Embora pareça estar morta em alguns, ela está apenas desacordada e pode despertar a qualquer momento e alegrar a vida humana.

A poesia sempre recebe novas inspirações de acordo com as evoluções culturais, mas não deixa de levar consigo todos os bons valores que adquiriu ao longo da história da humanidade.

A poesia está na arte, na literatura, na música e nas expressões, ela se apresenta no meio de vários assuntos e de formas diversas.

A poesia é uma arte que se transforma e se molda com as evoluções culturais, ela não fica para, o sentimento poético vai se expressando de acordo com os assuntos que vão marcando a onda cultural e o sentimento de expressão da humanidade.

sexta-feira, 1 de março de 2013

O UNIVERSO




Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero
 

“O universo constitui uma série de fenômenos mais ou menos transitórios, não pode ter em si mesmo a sua origem e a sua explicação. Esses fenômenos são todos relativos e, não podendo a inteligência humana prescindir de uma causa absoluta, ou iremos dar à matéria todos os caracteres do necessário, do infinito, do absoluto, o que implica contradição, ou havemos de lhe assinar uma causa transcendente e a ela superior.” (Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero)

O universo não está parado, ele é dinâmico e sofre mutações.

O universo é transitório e finito, não é o início, mas possui fim, ele não se auto-origina e nem se auto-explica, pois, possui uma creador.

O universo é transitório e cheio de fenômenos relativos, portanto, ele não pode ser tratado de forma absoluta, pois, com as dinâmicas mutacionais ele fica cada vez mais relativo e inexplicável aos olhos materiais.

Quanto mais se tentam explicar os fenômenos universais por caracteres materiais, mais se encontram contradições e destruições de pensamentos que se diziam absolutos, mas que na verdade são relativos.

A explicação da creação do universo transcende a matéria, pois, sua origem está no Senhor Supremo, o creador e o aniquilador da matéria, ele a crea e aniquila, enquanto o homem simplesmente a pode criar. Mesmo quando o homem desintegra a matéria, ele não a aniquila, apenas a transforma em elementos diversos, pois, Deus é o creador e aniquilador da matéria.