Follow by Email

quinta-feira, 27 de junho de 2013

NOSSA MENTE JULGA




Nossa mente, sem a intervenção da inteligência iluminada, sempre deseja julgar, na maioria das vezes condenando, responsabilizando os outros por nossos problemas.” (Sesalila Dasa – Adalberto José Campelo)

Ao invés de nos responsabilizar pelos nossos atos, pensamentos e consequências das ações, a nossa mente sempre quer responsabilizar os outros, porém, essa ação da mente ocorre por falta da intervenção da inteligência iluminada.

Nossa mente quer julgar sem se responsabilizar, pois, para ela é muito mais fácil nos iludir ao jogar a culpa nos outros do que nos responsabilizar e fazer assumir a verdade.

Quando julgamos os outros esquecemos que existimos, a falta da intervenção da inteligência iluminada na mente nos ilude de tal modo que pensamos ser perfeitos enquanto os outros são imperfeitos e merecem ser julgados por nossas mentes mergulhadas em fantasias.

Esse julgamento inescrupuloso condena inocentes pelos nossos problemas, nos torna tiranos e ditadores, incapazes de nos reconhecermos e de assumir os nossos próprios erros.

Enquanto a mente não for controlada pela Verdade Absoluta e nem sofrer a intervenção da inteligência iluminada, nossa mente continuará julgando a tudo e a todos, sempre os condenando pelos nossos erros e problemas.

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O COFRE DO BANCO



Carlos Drummond de Andrade


O cofre do banco contém apenas dinheiro. Frustrar-se-á quem pensar que nele encontrará riqueza.” (Carlos Drummond de Andrade)

O cofre do banco possui dinheiro mas não possui riqueza.

O dinheiro do cofre é incapaz de comprar a riqueza.

O dinheiro e a riqueza são aniquilados no mundo material.

O dinheiro do cofre não compra a felicidade buscada.

O homem será rico com as riquezas espirituais eternamente.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

AS DIFICULDADES SÃO O AÇO ESTRUTURAL QUE ENTRA NA CONSTRUÇÃO DO CARÁTER



Carlos Drummond de Andrade


As dificuldades são o aço estrutural que entra na construção do caráter.” (Carlos Drummond de Andrade)

O homem de bom caráter não se abala diante das dificuldades.

O homem que não tem caráter vive sempre mudando para aproveitar-se das situações e assim vai demonstrando que seu caráter não existe de forma estruturada.

O homem de caráter possui uma estrutura de aço, que é mantida e blinda seu caráter, sua integridade, por mais difícil que seja o momento, seu caráter não muda.

terça-feira, 18 de junho de 2013

ESCALANDO A MONTANHA DA VIDA



Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas


Fiz a escalada da montanha da vida removendo pedras e plantando flores.” (Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas)

A vida assemelha-se a uma montanha a ser escalada, com solos férteis, pedras a serem removidas e o contato direto com a natureza.

Na escalada, existem pedras escorregadias e pedras a serem removidas, além das armadilhas que podem aprisionar o homem para sempre na montanha.

A natureza é maravilhosa e está presente em toda a montanha, mas também existem os solos férteis onde podem ser plantadas flores que deixam a montanha mais bela.

As pedras removidas nos dão mais força e coragem para enfrentar a vida, o aprendizado dos desafios superados, as flores colorem, perfumam, alegram e animam nossas vidas.

segunda-feira, 17 de junho de 2013

APRENDENDO O SABER E A SABEDORIA



Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas


O saber agente aprende com os mestres e os livros. A sabedoria, se aprende é com a vida e os humildes.” (Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas)

Os mestres e os livros nos ensinam o saber, os pontos de partidas para encontrar a sabedoria.

Os mestres possuem a sabedoria e ensinam o saber, eles são humildes e experientes.

Muitos não tem a oportunidade ou tempo de estarem em contato com os mestres, e os livros farão a transmissão do saber.

Os livros transmitem o saber e a sabedoria dos mestres.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O QUE VALE NA VIDA NÃO É O PONTO DE PARTIDA E SIM A CAMINHADA



Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas


O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher.” (Cora Coralina – Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas)

Todos iniciam a vida em um ponto de partida e vão encontrando várias escolhas e caminhos.

As escolhas e as opções vão determinando a caminhada humana e o que o homem planta.

O homem sempre planta durante sua caminhada e algumas das sementes vão brotar.

Existem caminhos bons e maus, sementes boas e sementes que não germinam.

Quando boas sementes são plantadas em maus caminhos elas nem sempre brotam, mas se conseguirem germinar, algo da colheita pode se aproveitar.

Quando boas sementes são plantadas em bons caminhos, elas sempre brotam e o homem terá uma boa colheita.

Quando sementes ruins são plantadas em bons caminhos, elas são impedidas de germinar e o mal deixa de brotar e se expandir.

Quando sementes ruins são plantadas em maus caminhos, o mal brotará e a colheita será prejudicial a todos.

As escolhas e os caminhos determinarão se existirá ou não o que colher e o que será colhido na caminhada independente de qual seja o ponto de partida.

quarta-feira, 12 de junho de 2013

FELIZ DIA DOS NAMORADOS




O verdadeiro amor é formado de confiança, alegrias e felicidades.

O amor nem sempre é entendido ou compreendido, mas é sempre demonstrado embora não seja sempre percebido.

O amor se demonstra com palavras, gestos, olhares e muitas outras formas, pois o amor é tão amplo que não tem uma forma exata e definida, mas é percebido e visto de diversas formas.

Embora não seja exato e perfeito, o amor transforma mesmo com suas imperfeições, traz felicidade, romantismo, carinhos e emoções.

O amor não tem limites ou distâncias, ele une pessoas próximas e distantes, seus laços são firmes e mesmo quando existe a distância, as pessoas estão unidas pelo amor.

O verdadeiro amor não é comprado, mas é conquistado, o que se compra não é o verdadeiro amor, é uma ilusão que engana quem compra e quem é comprado, além das demais pessoas.

O amor é formado de momentos maravilhosos, felizes, alegres, românticos e inesquecíveis, que deixam saudade ao longo da vida.

Feliz Dia dos Namorados!!!

terça-feira, 11 de junho de 2013

FICA MAL COM DEUS




Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão


Fica mal com Deus quem não sabe dar. Fica mal com Deus quem não sabe amar.” (Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão)

Vivemos para servir, aprendemos a servir aos homens na terra para poder servir a Deus na eternidade.

É necessário dar amor e bondade a humanidade, para depois transcender este estado e os modos da natureza.

Nós amamos a Deus, mas é necessário amar ao próximo, se não amamos o próximo, não saberemos amar a Deus.

É necessário amar, perdoar, compreender, ter compaixão e misericórdia, ter esperança e fé para toda eternidade servindo e amando a Deus.

segunda-feira, 10 de junho de 2013

A FINITUDE HUMANA



(Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão)


Ninguém é eterno e o que a gente ganha a gente não vai levar, a gente tendo Deus para a gente, o Divino Mestre se encarrega de colocar as coisas no lugar certo. A gente luta, sofre, suor, lágrimas, depois passa a viver de emoções.” (Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão)

A vida humana é finita e a alma é eterna.

O materialismo da vida humana não é levado para vida espiritual.

Tudo que se consegue na vida humana permanece no mundo material, nada se leva.

O homem que aceita a vontade de Deus eleva sua alma e passará para vida espiritual.

Deus dá tudo que o homem necessita na hora certa e no momento certo.

Com fé em Deus, os sofrimentos são aliviados e o homem se torna mais forte.

Enquanto a vida humana é cheia de sofrimentos, a vida eterna é cheia de amor e emoções.

domingo, 9 de junho de 2013

UMA VIDA ANDANTE



Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão


Minha vida é andar

Por esse país

Pra ver se um dia

Descanso feliz

Guardando as recordações

Das terras por onde passei

Andando pelos sertões

E dos amigos que lá deixei.” (Luiz Gonzaga do Nascimento – Gonzagão)

Uma vida de andanças e liberdade, por todos os lugares e por qualquer lugar.

Uma vida de acúmulos de alegrias e felicidades, buscando um descanso feliz.

Uma vida que é recheada de recordações, de lugares e pessoas, momentos de saudade.

Embora todos os lugares e pessoas deixem saudades, o lugar marcante são os sertões.

Os sertões de simplicidades e de muitos amigos, com grandes momentos de felicidades.

Os lugares com riqueza e esplendor foram conhecidos, lá também ficaram pessoas queridas.

Os sertões de humildade, de um povo sofre e muito se esforça é mais feliz que a riqueza.

Embora tenha conhecido muitos lugares desse país, um único lugar lhe marcava, o lugar escolhido para seu descanso feliz, o sertão.

sábado, 8 de junho de 2013

A FORMA COMO SE VÊ E A FORMA COMO SE É



Clarice Lispector – Helen Palmer
 

Sou como você me vê.

Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,

Depende de quando e como você me vê passar.” (Clarice Lispector – Helen Palmer)

A forma como eu sou visto não é a forma que eu sou.

A forma como você me vê depende de seu ponto de vista e das influências da circunstâncias que eu estou.

O que eu sou se difere do que eu estou.

O que eu sou não muda, está na minha alma, já o que eu estou, muda de acordo com o meu bem-estar, das influências que meu corpo está sofrendo.

O eu sou é absoluto, o eu estou e a forma como eu sou visto são relativos.

Eu sou a minha alma e estou no meu corpo, muitas vezes sou visto pelo meu corpo e não pela minha alma, tudo depende de quem me observa e o que observa em mim e no meio onde estou.


sexta-feira, 7 de junho de 2013

TODOS MERECEM RESPEITO



Clarice Lispector – Helen Palmer


E se me achar esquisita,

respeite também.

até eu fui obrigada a me respeita.” (Clarice Lispector – Helen Palmer)

Todos os seres humanos possuem direitos e merecem ser respeitados como seres humanos e sujeitos de direitos.

Devemos respeitar não somente os iguais ou os que achamos semelhantes a nós, mas também os desiguais, diferentes e até mesmo aqueles que achamos esquisitos.

As pessoas possuem características diversas, nascem em todos os lugares do mundo, mas todas possuem algo em comum, a alma, o que garante a vida de cada um, então, porque achar que o outro é diferente e não merece respeito?

Deixar de respeitar o próximo é contrariar a nossa própria essência e objetivo final da vida.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

UM DESEJO SEM NOME



Clarice Lispector – Helen Palmer


Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.” (Clarice Lispector – Helen Palmer)

Muitos desejam a liberdade, uns a conseguem, enquanto outros não.

Todos nós merecemos a liberdade, mas nem todos estão livres.

Aqueles que não estão livres buscam a liberdade, mas ela não é tudo.

Além da liberdade há um desejo sem nome que muitos procuram.

Um desejo anônimo pela falta de conhecimento ou pela ignorância.

Mas, esse desejo tem um nome, esse desejo é a busca por Deus.

Muitos procuram esse desejo pelos caminhos errados e acabam perdidos.

Quando as pessoas se perdem por desejarem algo e ir pelo erro, a perdição não é plena.

O amor e a misericórdia de Deus são tão imensos que estas pessoas podem ser salvas.

domingo, 2 de junho de 2013

ERROS PRECIPITADOS



Clarice Lispector – Helen Palmer


“Passei a vida tentando corrigir os erros que cometi na minha ânsia de acertar.” (Clarice Lispector – Helen Palmer)

A busca pelo acerto nem sempre está composta de certezas e nem pelos caminhos corretos.

Na vontade de acertar, e de forma impensada e impulsiva, muitos erros podem ser cometidos.

Devido às atitudes precipitadas, erros bruscos e graves surgem e fica difícil de repará-los devido ao seu grau e situação.

Os acertos podem ser obtidos com o aprendizado dos erros ou com atitudes corretas, temos vários caminhos a seguir e escolhas para fazer.

Muitos dos erros podem ser reparados momentaneamente ou ao longo da vida, outros não deles são irreparáveis.

Quanto mais nos aproximamos da verdade, diminuímos os nossos erros e aumentamos os nossos acertos.