Follow by Email

sexta-feira, 17 de junho de 2011

LEIS PARA OS MAIS FRACOS

"Não podemos deixar que o mundo se transforme num mercado global, sem outra lei que a do mais forte" (Mitterrand)

A globalização e o capitalismo avançam ferozmente, impondo suas vontades, seu poder econômico, dinheiro e mais dinheiro, poder e mais poder essa é a regra que eles pregam.

Fazem pressão para que sejam criadas leis favoráveis a eles, um lobby que se consolida com troca de favores, uma mão lava a outra, mas isso restrito a poucas mãos.

E onde fica a maior parte da população? Os que estão em condições econômicas desiguais? O poder do capital não pode restringir a dignidade deles, nem reduzir seus direitos que ao longo dos anos vai sendo legalizado de forma abrangente, pois são direitos humanos.

O capitalismo global traz a desigualdade social, monopoliza a renda entre poucos, e o fluxo do capital pode aquecer e destruir uma economia, é um capital volante que tem como destino gerar riqueza doa a quem doer e aconteça o que acontecer, o importante é satisfazer os capitalistas.

É nesse instante que o social deve aparecer, mostrando a grandiosidade da população marginalizada e que espera por leis igualitárias, impedindo que exista a lei do mais forte, mas que haja a lei do mais fraco para que ele fique em pé de igualdade com o mais forte nas relações.