Follow by Email

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ERROS E ACERTOS

"A ciência pode apenas determinar o que é, não o que deve ser." (Albert Einstein)

Um dos maiores expoentes da ciência reconhecia que ela possuía erros e acertos. Quando algo é comprovado, explicado e por mais que questionado chegue a ter uma certeza da sua exatidão, a ciência determina que "é".

Mas, muitas vezes surgem as proposições do deve ser, nestes momentos, ela inventa uma resposta para o inexplicável, aquilo que ela desconhece, não alcança, sabe até que existe, mas não sabe cientificamente comprovar.

Nem tudo pode ser explicado cientificamente, o transcendente não se explica materialmente, é questão de "crer ou não crer", mas, muitos dos cientistas não aceitam, eles querem "que seja e não seja ou deva ser".

Muitas ilusões são criadas, promessas perdidas e expectativas frustradas, são as quedas da ciência, fatos e fenômenos que ultrapassam a razão de ser, que são e não devem ser, e que existem, mas sua essência é desconhecida.

A ciência inegavelmente tem sua importância na vida do homem, tem sua razão de existir, ela também é fundamental para a vida, mas não ao ponto de tudo poder, de tudo ser e de tudo poder determinar. Pois ela tem seus limites, onde a razão deixa de existir, esse é o campo do "é" e não o do que "pode ser" ou "deve ser", e para poder entender é necessário acreditar e ter fé.