Follow by Email

sexta-feira, 1 de julho de 2011

O EU ACOLHE O OUTRO EU

"Sendo o ato da Razão prática uma perfeição (enérgeia) do sujeito no caminho de sua auto-realização e cuja estrutura se constitui a partir do momento da universidade que ordena o ato ao bem como tal, o encontro com o outro como ato ético exige, como primeira condição de sua possibilidade ou como primeiro momento de seu movimento dialético, o reconhecimento do horizonte comum de universalidade no qual o Eu acolhe o Outro como Outro Eu." (J. de Finance)

A razão prática é um movimento que termina no próprio sujeito, uma efetivação da razão teórica, e ao final, proporcionando uma auto-realização humana.

Uma dualidade inerente ao homem, que por meio do transcendente saberá dosar e equilibrar a razão. Para que ela não domine seu pensamento de forma a torná-lo desequilibrado.

A bondade e a ética serão mais importantes que os interesses e as utilidades, proporcionando ao homem uma vida de paz interior e de desapego às coisas materiais.

A união de um eu com o outro eu é um desafio humano, viver em comunidade, assim como vive o corpo e a alma.