Follow by Email

sexta-feira, 1 de março de 2013

O UNIVERSO




Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero
 

“O universo constitui uma série de fenômenos mais ou menos transitórios, não pode ter em si mesmo a sua origem e a sua explicação. Esses fenômenos são todos relativos e, não podendo a inteligência humana prescindir de uma causa absoluta, ou iremos dar à matéria todos os caracteres do necessário, do infinito, do absoluto, o que implica contradição, ou havemos de lhe assinar uma causa transcendente e a ela superior.” (Sílvio Vasconcelos da Silveira Ramos Romero)

O universo não está parado, ele é dinâmico e sofre mutações.

O universo é transitório e finito, não é o início, mas possui fim, ele não se auto-origina e nem se auto-explica, pois, possui uma creador.

O universo é transitório e cheio de fenômenos relativos, portanto, ele não pode ser tratado de forma absoluta, pois, com as dinâmicas mutacionais ele fica cada vez mais relativo e inexplicável aos olhos materiais.

Quanto mais se tentam explicar os fenômenos universais por caracteres materiais, mais se encontram contradições e destruições de pensamentos que se diziam absolutos, mas que na verdade são relativos.

A explicação da creação do universo transcende a matéria, pois, sua origem está no Senhor Supremo, o creador e o aniquilador da matéria, ele a crea e aniquila, enquanto o homem simplesmente a pode criar. Mesmo quando o homem desintegra a matéria, ele não a aniquila, apenas a transforma em elementos diversos, pois, Deus é o creador e aniquilador da matéria.