Follow by Email

domingo, 10 de março de 2013

A PRUDÊNCIA




André Comte-Sponville


“A prudência não é uma ciência; ela é o que faz as suas vezes quando a ciência falta. Só se delibera quando se tem escolha, em outras palavras, quando nenhuma demonstração é possível ou suficiente. É então que é necessário querer não apenas o bom fim, mas os bons meios que conduzem a ele!” (André Comte-Sponville)

A prudência é uma virtude, não é uma ciência, mas na presença e na ausência da ciência, ela é importante.

O prudente age com cuidados, segurança, buscam sempre um bom fim, com amor nos seus atos e atitudes.

O prudente possui ética, bom senso e convicção, prevê consequências e procura evitar que ocorram situações negativas diante de suas escolhas.

O prudente agente com modéstia e paciência possui atitudes e pensamentos pacíficos.

A prudência supõe as certezas, nesse aspecto se diferencia da ciência que supões verdades diante de incertezas, podendo tais suposições científicas serem grandes imprudências.