Follow by Email

sábado, 23 de fevereiro de 2013

A PROVIDÊNCIA DIVINA



Thomas Bulfinch


“Assim, os desígnios da Providência,

Movida não por ódio, mas piedade,

Cegaram-no, tal como um Cupido,

Não qual Narciso – presa da vaidade.” (Thomas Bulfinch)
 
 
A providência divina não possui ódio e nada que seja mal, ele é repleta de piedade, amor, bondade e misericórdia.

Quando um homem age cegamente, ele não pensa, os impulsos do mundo material o movem, os modos da natureza o dominam, ele fica refém de sua própria vaidade e de forma narcisista.

Quando o homem está agindo sob o domínio da providência divina, como se estivesse recebido uma flechada do Cupido, ele não é influenciado pela natureza humana e nem pelos modos da natureza material. Ele obedece e serve a Deus com amor e devoção.