Follow by Email

domingo, 24 de fevereiro de 2013

UM OLHAR FILOSÓFICO DO MEIO AMBIENTE E DO MUNDO



Josef Pieper

“Obviamente, meio ambiente e mundo (por mais que utilizemos estes conceitos) não são duas regiões separadas da realidade, de modo que o indagador filosófico saísse de uma região e entrasse na outra! O filosofante não vira o rosto quando, no ato filosófico, transcende o meio ambiente do cotidiano do trabalho. Não tira o olhar das coisas do mundo do trabalho, das coisas concretas, sujeitas a fins, manuseáveis do cotidiano. Não olha em outra direção a fim de ali então enxergar o mundo universal das essências.” (Josef Pieper)

O olhar está para o ser, sua adaptação ao meio ambiente, à sociedade em que vive e também para o mundo.

O meio ambiente é composto de inúmeras espécies de seres vivos e matéria não viva, possui diversidade de climas, temperaturas, vegetações, e seres vivos que vivem nos seus ambientes devem se adaptar ao meio.

O mundo é formado por matéria em diversos estados, meio ambiente e seres vivos, todos estão em uma realidade e não em locais separados, por isso, eles vivem em adaptação, pois, os seres vivos migram entre os ambientes do mundo.

O olhar filosófico sobre o meio ambiente e o mundo deve observar as relações materiais dos seres vivos no meio ambiente e no mundo.

Com as adaptações, os seres vivos passam a ter um cotidiano, ou seja, seus atos vão sendo repetidos, isso causa transformações no meio ambiente e no mundo, pois a matéria que existe no mundo vai sendo moldada, o natural passa a ser concreto e artificial.

É necessário que o olhar transcenda as relações do ambiente que é um dentre milhares que existem no mundo, e passe a perceber as relações entre os seres vivos-meio ambiente-mundo.

Essa é uma visão material do planeta terra, do que é visível, do que é palpável.