Follow by Email

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

O LOBO E O CORDEIRO

“O lobo e o cordeiro tinham ido ao mesmo riacho, levados pela sede. O lobo estava mais acima e o cordeiro bem abaixo. Então o bandido, estimulado por sua goela insaciável, introduziu um motivo de briga:
 – Por que – disse ele – sujaste a água que estou bebendo?
Responde o lanígero:
 – Como posso, pergunto, fazer aquilo que reclamas, lobo? A água corre de ti para os meus goles.
O lobo, repelido pela força da verdade, diz:
 – Seis meses atrás tu falaste mal de mim.
O cordeiro respondeu:
 – Mas eu ainda não tinha nascido.
 – Por Hércules – diz o lobo –, o teu pai falou mal de mim.
E assim, agarrando o cordeiro, o dilacera, num cruel assassinato.
Esta história foi escrita por causa daqueles homens que oprimem os inocentes com razões falsas.” (Fedro)

Pessoas más criam circunstâncias para atacar os inocentes, são capazes de falsear argumentos com afirmações de verdade, como fundamento de sua razão de atacar e oprimir o próximo.

Mesmo que o outro esteja certo e com a razão, não tendo argumentos cabíveis ele parte com voracidade ao ataque a fim de destruir e devorar sua vítima.

Falta caráter, falta razão, existe a arrogância, o desprezo e a falta de respeito, a vontade de fazer o mal prevalece, mesmo que custe uma vida.

A sociedade está cheia de lobos a destruir e devorar os cordeiros, não apenas para saciar sua fome, que seria uma necessidade, ao invés disso, é por pura vontade de acabar com o próximo.