Follow by Email

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A HISTÓRIA DO LADRÃO

“Existe uma história do ladrão que partiu em peregrinação a uma cidade sagrada. No caminho, ele e os outros peregrinos, pararam para dormir em uma estalagem. Sendo viciado em roubar, o ladrão começou a elaborar planos para roubar os pertences dos outros peregrinos. Porém, ele pensou: “Estou indo em peregrinação, portanto, não me parece apropriado roubar estas bagagens. Não, eu não farei isto”. No entanto, por causa de seu vício, ele não conseguiu abandonar por completo o ato. Assim, ele pegou a mala de alguém e a colocou noutro lugar, e depois a mala de alguém e a colocou noutro lugar. Ele passou a noite inteira colocando diferentes malas em diferentes locais, porque sua consciência o importunava, ele não pôde tirar nada das malas.

De manhã, ao acordarem, todos os peregrinos começaram a procurar suas malas e não as encontraram. Houve um grande tumulto, mas por fim todos foram encontrando suas malas em diferentes locais. Após acharem todas as malas, o ladrão explicou: “Senhores, sou um ladrão e tenho o hábito de roubar durante a noite. Portanto, quis roubar alguma coisa de suas malas, porém, pensei que não seria bom roubar uma vez que estou indo a este lugar sagrado. Assim, talvez eu tenha trocado as bagagens mas, por favor, desculpem-me”. Isto é característico de um vício. Ele não quer mais roubar, porém, às vezes o faz pois ainda mantém o hábito.” (Srila Prabhupada – A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada)

O ladrão estava em peregrinação a um lugar sagrado, a busca pelo Senhor começou a mudar sua vida, ele se arrependeu do que fazia e sua consciência pesou.

Embora não conseguisse dominar seu vício, ele buscou forças e mudou a realidade, pois, ao invés de roubar, ele apenas mudou as malas de lugar, deixando as intactas e não as violando.

O ladrão ao final teve coragem de confessar o que era e que foi ele quem escondeu as malas, demonstrou publicamente o sentimento de arrependimento já que buscava o sagrado e foi Deus         quem tocou seu coração e mudou sua vida. Sendo assim, pediu desculpa a todos pelo transtorno causado.

A partir daquela noite, ele passou a ser consciente, ele tentou ser uma pessoa melhor, deu um exemplo de mudança, embora tivesse um passado sombrio e vergonhoso, ele agora procura combater o seu vício e estar ainda mais consciente de Deus.

Ele ao contar publicamente ensinou a outros que ainda é tempo de mudar, de se arrepender pelo que fez, de ser uma boa pessoa e de não prejudicar os outros, e o maior exemplo que transformou totalmente sua vida, buscar a Deus.