Follow by Email

sábado, 17 de dezembro de 2011

O GOZO MATERIAL

“Uma pessoa inteligente deve compreender que, se existe uma alma eterna diferente do corpo, então a felicidade verdadeira deverá estar em nossa situação eterna, além do cativeiro da natureza material. Contudo, as pessoas comuns, mesmo quando discutem assuntos espirituais, geralmente desejam tornar-se famosas ou aumentar sua riqueza e duração de vida através de tais práticas espirituais. Muitas pessoas comuns pensam, por exemplo, que o sistema de yoga destina-se ao aprimoramento da saúde, que se pode orar a deus pedindo dinheiro e que nosso conhecimento espiritual destina-se a aumentar nosso prestígio perante a sociedade.” (Hridayanada Dasa Goswami)


Os seres humanos buscam árduas atividades pregando religiosidade, ascendência econômica, desfrutes materiais, conhecimento do eu e da alma, aumento da duração da vida terrena e riquezas materiais.

O gozo espiritual não significa impotência, incompetência, fragilidade, respeito na sociedade, um status elevados de humanidade perante os outros. O gozo espiritual vem com o transcendente, com a aceitação do Supremo Creador, a percepção dos sinais divinos, a busca da verdade, a humildade e a simplicidade.

O gozo material é passageiro, traz incertezas, não torna o homem feliz, deixa um vazio espiritual, faz o homem regredir, coloca-o numa corrida em busca de prazeres materiais, que nunca tem fim e ele sempre quer mais.

Os homens devem desfrutar o material com a consciência espiritual, desse modo, o material servirá de complementos da vida terrena, para sobrevivência, na verdade o homem estará alimentando seu corpo, mas seu espírito estará consciente e saberá diferenciar o material do espiritual, saberá que existe a eternidade que vai muito além do mundo material.