Follow by Email

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O ESTUDO DA PERSONALIDADE

"O conhecimento dos fenômenos em que se baseiam os estudos sobre a personalidade deve ser tão velho quanto nossa espécie. Até mesmo o homem-macaco cedo aprendeu pela experiência que certos membros da horda eram bondosos ou irracíveis, estúpidos ou inteligentes, pouco sensíveis ou de rápidas reações emotivas. Contudo, em quase toda a história humana essas diferenças têm sido consideradas como da natureza das coisas, dispensando explicações. O aparecimento dos conceitos modernos de personalidade e o estudo dos processos referentes a sua formação são criações sumamente recentes, mais novas mesmo do que os estudos da cultura e da sociedade." (Ralph Linton)

O estudo da personalidade iniciou em um tempo antigo, com simples observações e diferenças comportamentais, que davam pequenas classificações compreendidas por todos. Já os conceitos de personalidade, estes necessitaram passar pros estudos cautelosos derivados de processos de análise.

Embora pareçam ser semelhantes, não podem ser misturados os conceitos e definições que se aplicam aos estudos da personalidade. A personalidade possui inúmeras definições que são estabelecidas com o desenvolvimento cultural.

A dinâmica cultural e o meio ambiente relacionado com a personalidade humana modificam as definições e dificultam uma delimitação do estudo da personalidade e o estabelecimento de conceitos, já que estes necessitam de exatidão ao serem formulados, tornam-se paradigmas temporais.

As definições de personalidade são criadas a partir do estudo de um conjunto de processos de análise e estados psicológicos dos indivíduos. Sendo estes delimitados a partir de fenômenos estudados e encontrados constantemente na sociedade, mas, não abarcando todos eles e deixando de fora os fenômenos não comuns e isolados, porém ganham bastante destaque quando ganham destaque na mídia.

A partir daí ficamos sem explicação, esses casos extremos são polêmicos entre os próprios estudiosos, não apresentam uma lógica para motivar a explicação de tal fenômeno, pois sua origem ainda é incompreensível e modificam os processos de análise revolucionando as definições da personalidade.