Follow by Email

sábado, 14 de junho de 2014

A EXATIDÃO E A ARGUMENTAÇÃO



 (Thomas Hobbes)


Jurista. O que leva o senhor a dizer que o estudo do Direito é menos racional que o da matemática?

Filósofo. Não digo isso, pois, todo estudo é racional, ou então de nada vale. O que digo é que os grandes mestres da matemática não erram com tanta frequência quanto os grandes profissionais do Direito.” (Thomas Hobbes)

Diálogo entre o filósofo e o jurista expressa as diferenças entre a exatidão e a argumentação.

Devido a matemática ser uma ciência exata, os grandes matemáticos possuem decisões mais precisas e com grande quantidade de acertos.

Já o estudo do Direito, é formado de lógica e argumentação, não é uma ciência exata, mas um meio para se alcançar a justiça.

O filósofo questiona os erros cometidos pelos grandes profissionais do Direito que tomam suas decisões com base em argumentos. Quando as provas são falhas e os argumentos falsos, surgem os grandes erros.

A filosofia faz uma grande investigação das situações e argumentos, a observação e o olhar do observador são imprescindíveis, as decisões não são precipitadas, as respostas são de acordo com o momento e os argumentos, tudo de forma fundamentada e explicada.

O pensamento do filosofo é sempre racional, quando a razão se afasta do Direito ele se aproxima da injustiça, por isso o filósofo critica o direito ao afirmar que a matemática é mais racional que ele, pois, um estudo sem razão nada vale.

Para que o direito seja justo, ele necessita ser racional, se basear em argumentos verdadeiros e provas legítimas, assim se chega à Justiça.