Follow by Email

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

O OCIDENTE É EFETIVAMENTE UM FRAGMENTADOR

“Penso que o Ocidente é efetivamente um fragmentador – e mesmo assim esse “frag” não é nada adequado. Aliás, foi a fragmentação (ou seja, a atitude que consiste em construir objetos parciais) que forneceu ao Ocidente o poder técnico e intelectual. Se, entretanto, esse objeto parcial se reforça, se atinge domínios cada vez mais amplos, se produz boas performances em laboratório, isso não ocorre obrigatoriamente no caso da vida. O pensamento Ocidental (e aqui reside sua grande armadilha) acabou por acreditar que a parte podia ser separada do todo. Nossos especialistas conseguem resultados realmente bons a partir do momento em que seu discurso social admite que a parte possa ser separada do todo. O que se tem é uma parte, um fragmento artificial, mesmo que se trate de algo didático. Depois de tê-la manipulado artificialmente, esquecemo-nos dela ou nos recusamos a reintegrá-la no todo. Trata-se de um erro do pensamento. [...].” (Boris Cyrulnik) 

Um todo demonstra uma realidade, mas, a partir de um fragmento de um todo, pode ser visto um potencial menor daquela mesma realidade ou se criarem falsas e ilusórias realidades, ou seja, alterando todo o conteúdo e essência de sua origem e enganando os analistas e observadores daquele fragmento que pensam ser a mesma realidade se sua origem.

A partir de um fragmento, poderão ser construídas inúmeras teses, que vão desmistificar o conteúdo da origem do fragmento e clarear sua essência ou vão desconstruir tudo que existia, ou seja, criar falsas informações que desnortearão a finalidade do objetivo a ser alcançado.

As falsas ideias e teorias tentam matar a fonte da verdade, encobrir a realidade existencial, alimentam as fantasias e as fazem parecer fortes e resistentes realidades. Um mundo de ilusão fica mais atrativo que a realidade, e enquanto as pessoas se iludem com fragmentos de fantasias, estão mascarando e reduzindo a existência de seu ser, que passa a ser dominado pela falsidade.


A cultura do ocidente, se iniciou fragmentando o saber e a verdade do oriente, construiu realidades diversas e tentou ao máximo matar a realidade original, pois, a mesmas parecia não existir e até hoje ainda está encoberta e desconhecida aos olhos de muitas pessoas, pois, não existiu ainda a oportunidade dessas pessoas terem um contato com um fragmento que mostrasse um fragmento da realidade original, portanto, cresceram e vivem na ilusão das criações dos fragmentos com falsas informações.