Follow by Email

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

A ANALOGIA DA TOLERÂNCIA

“És o Senhor Supremo, que deve ser adorado por todos os seres vivos. Então, eu me prostro para Te oferecer minhas respeitosas reverências e pedir Tua misericórdia. Assim como um pai tolera a insolência de seu filho, ou um amigo tolera a impertinência de seu amigo, ou uma esposa tolera a familiaridade de seu parceiro, por favor, tolera os erros que acaso eu tenha cometido contra Ti.” (Bhagavad-Gita, Verso 11.44)
"Significado: Os devotos de Krsna cultivam vários tipos de relacionamento com Krsna; alguém pode tratar Krsna como um filho ou pode tratar Krsna como um marido, e há o devoto que O estima como amigo ou como seu senhor. Krsna e Arjuna relacionam-se em amizade. Assim como o pai tolera, ou o marido ou o amo toleram, do mesmo modo, Krsna tolera." (A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, Bhagavad-Gita Come Ele É)

Ó Senhor, reconheço toda a sua glória, por isso, a ti me rendo, peço que tenha misericórdia de mim, assim falou Arjuna, diante da ilusão que encobria seus olhos diante do Senhor Krishna e pede a ele misericórdia e tolerância por antes não ter percebido quem Ele era e não tê-lo tratado como Senhor Supremo, sendo assim, cometeu inúmeros erros ao achar que Ele era um humano e não o Senhor.

Encoberto pelos olhos de Maya, estava Arjuna influenciado pelos modos da natureza material e não conseguia ver o dever de prestar o verdadeiro serviço devocional puro, então, quando ele se entrega ao Senhor, ele passa a ver a verdade e a necessidade da obediência, e o Senhor Krishna, de forma bondosa, misericordiosa e tolerante, aceita as desculpas de seu amigo e agora discípulo Arjuna.