Follow by Email

sábado, 6 de agosto de 2011

AS VARIAÇÕES

"Mas a mera existência de variabilidade individual e de algumas poucas variedades bem caracterizadas, mesmo sendo relevante por constituir a base de todo esse processo, na realidade nos ajudaria muito pouco na compreensão de como surgem as espécies na natureza. Como as espécies teriam se aperfeiçoado a ponto de possuir todas essas maravilhosas adaptações, que modificam o organismo parte por parte, dadas as condições de vida que ele suporta, acabando por transformá-lo em um organismo diferente de seus ancestrais?" (Charles Darwin)

Facilmente percebemos que existem os descendentes completamente diferentes de seus ancestrais, divergindo tanto na personalidade quanto no comportamento, mas porque isso ocorre? O meio em que vivem influencia em parte desse comportamento e formação da personalidade, já que os pais viveram uma realidade e os filhos estão em outra, uma época de poucas informações e outra ultra desenvolvida. Tudo que não existia ou estava longe agora se aproxima, um mundo de prazeres diante de toda uma criação, que chegam a causar certo descontrole, ou seja, fogem as regras de condutas pré-estabelecidas por seus pais, pois não podem estar ao lado deles em todos os momentos, ficando a mercê do meio em que vivem.

Devido há essas mudanças de realidade e de pensamento não podemos culpar de forma total os ancestrais pela criação dos filhos, a não ser que eles os deixem livres nesse meio em que vivem ou os orientem para más condutas. Nesses casos tanto o meio como a criação vão contribuir para esses desvios comportamentais, existindo grande parcela de culpa dos ancestrais que conhecem a realidade, mas assumem o risco de deixar seus descendentes viverem a vida desse meio.