Follow by Email

segunda-feira, 27 de maio de 2013

O EU PENSANTE NÃO TEM IDADE



Hannah Arendt


Todo pensador, se se torna muito velho, deve assim aspirar a dissolver o que há de resultado propriamente dito em seu pensar, e simplesmente porque ele o medita novamente. Ele dirá com Jaspers: “E agora, que se desejaria pela primeira vez realmente começar, é preciso partir!”. O eu pensante não tem idade, e, na medida em que os pensadores não existem efetivamente senão no pensar, sua felicidade e infelicidade é o se tornarem velhos sem envelhecer.” (Hannah Arendt)

O pensador se torna velho sem envelhecer, seus pensamentos se tornam cada vez mais enérgicos e iluminados.

Quanto mais velho é o pensador, maior é sua força de vontade de chegar aos resultados dos seus pensamentos.

As ideias se dissolvem em novas ideias e os velhos pensamentos quando dissolvidos não desaparecem, eles são renovados.

O pensador com o passar do tempo, vai revendo os seus pensamentos e recomeça tudo novamente, unindo os velhos pensamentos aos novos, deixando-os sempre atuais.

Mas, o recomeço nem sempre é uma tarefa fácil para o pensador, pois, ele vive do pensar e muitas vezes não consegue tempo para recomeçar e suas ideias ficam marcadas para outro pensador dissolver e fazer o recomeço, pois, chegou a hora do velho pensador partir.